quinta-feira, 13 de novembro de 2014

contenção desabafada

Gosto muito de escrever. É certo que não sou daquelas pessoas cheia de caderninhos, escrevinhando freneticamente todas as angústias pessoais a uma mesa de café, quase nunca encontro uma caneta à mão e não coleciono diários encadernados de viagem (infelizmente, claro), mas sempre consegui organizar-me melhor escrevendo do que falando. Só que, ultimamente, ando contida.
Desperdiço menos palavras escritas, falo menos e reservo-me o direito de não emitir opiniões sobre tudo.
Provavelmente é apenas uma fase, despoletada por muitos meses a viver profissionalmente da escrita, sem férias, nem interrupções, ou ocasionada por muitas leituras erradas daquilo que escrevo.
Também já aprendi a não julgar-me tanto, quer dizer, aprendi a tentar não julgar-me tanto e aceitar que tenho fases de baixa gestão mesmo. Fases em que me apetece recolher-me num canto do sofá a ouvir apenas coisa nenhuma.
O silêncio é cada vez mais essencial na minha vida, pois o ruído de todos os que têm sempre algo a dizer, a partilhar, a fotografar, a criticar enche-nos a vida por todos os lados, fazendo com que esqueçamos que é importante ficarmos calados de vez em quando.

8 comentários:

Vanita disse...

Não se pode ser sempre genial se estivermos sempre a fazer barulho. Os silêncios alimentam o que se segue. Tenho a certeza de que algo de muito bom estará por aí a germinar :)

Melissinha disse...

Eu também sinto que preciso de silêncio, mas acho que me esqueci comosefaz.

_+*Ælitis*+_ disse...

Por vezes, um momento (pouco ou menos) longo de silêncio é tudo o que precisamos para falar melhor, ouvir melhor, partilhar melhor.

Beijo.

Ana. disse...

Agora sou eu que estou contigo e não abro!
Concordo e partilho do sentimento a 100%!
Dito isto, sinto a tua falta. A tua escrita sempre me fez tão bem!
:)

Naná disse...

Estou com a Ana, sinto falta da tua escrita, do teu humor, das tuas considerações tão directas e sem papas na língua!

Mas compreendo o sentimento e ainda mais a necessidade de responder às próprias necessidades antes de mais nada

Ana C. disse...

Também sinto a vossa falta, meninas:) Nem tempo para andar a cuscar nos vossos blogues tenho tido.
Obrigada pelos vossos mimos

Gigi Loop disse...

Primeira vez aqui e me identifiquei com seu post. Silencio e essencial...Tb preciso desses momentos para recarregar. Espero que tenha esse tempo e volte com tudo.

mãeee disse...

Este texto disse-me tanto ... identifiquei-me mais uma vez com as tuas palavras e necessidades e sinto que, no meio dos meus silêncios e ausências, sinto que as tuas palavras me fazem falta.
Aproveita os silêncios que consegues conquistar. Aproveita as palavras que consegues ordenar.
Sabe apenas que a tua sensibilidade para o jogo do falar por escrito me faz falta, mesmo que quase nunca comente.
Beijo Ana C.