sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

cinema paradiso



Volto a este filme vezes sem conta, talvez para não me esquecer que os filmes, tal como alguns livros, podem ter o poder de nos salvar uma e outra vez, do que quer que seja que necessite de ser recuperado, até ao fim do tempo.
Por regressar a ele tantas vezes sei que o Cinema Paradiso é o mais intemporal dos filmes da minha vida.
Hoje em dia, sinto que a maior parte do cinema é feito para que não tenhamos tempo de pensar, com efeitos especiais, 3D, cenas de cortar o fôlego a cada segundo. Os filmes são planeados para que pensemos cada vez menos, para que nos amorteçamos a cada cena. E eu tenho saudades dos filmes que, na sua sublime simplicidade, têm o mágico poder de me fazer pensar e reconhecer o caminho para dentro de mim própria.
Tenho saudades disso e de ir ao cinema fora dos Centros Comerciais.

5 comentários:

M.P. disse...

Adoro esse filme. Talvez o meu preferido. E a banda sonora é qualquer coisa...

gralha disse...

Tenho de rever. Era demasiado tenrinha quando o vi.

dona da mota disse...

É O Filme da minha vida e mudou a minha vida, quer dizer, não é o ter mudado, foi o fazer-me ter uma certeza. Aos 12 anos, quando o vi pela 1.ª vez, tive em mim a certeza de querer voltar/ficar/ser sempre deste meu sítio. E assim foi!

Naná disse...

Bons filmes são aqueles que me deixam com o miolo revolvido mesmo dias depois de os ter visto.

Este então ficou-me na retina para todo o sempre! Pena que há muito tempo que não o vejo...

Melissinha disse...

O meu filho entra.