segunda-feira, 4 de agosto de 2014

com tanta coisa que inventam

para quando uma incubadora para o nosso próprio cérebro?
Ficaríamos de fora, a vê-lo recuperar de prematuridades e reacções tardias, velando pelo seu repouso, mas sem neurónios em funcionamento que nos retirassem do estado de total esvaziamento.
Nós numa cadeira de balouço com zero pensamentos, descansaríamos dele.
Ele na incubadora a descansar de nós.
O idílio.

4 comentários:

saudosa disse...

Concordo em absoluto!!! Invisto o pouco que tenho nessa aposta!!!! É vencedora!!

dona da mota disse...

Não sei se ia pela incubadora, era mais por um centro de recauchutagem para certos cérebros... Com isto, tens um exemplo do que são conversas de terra pequena, com mentes proporcionais no meu blogue. De nada! :)

Luísa Livros disse...

Como gostava de ter acesso a uma invenção assim!!! :) Tento de algum modo chegar a algo que se aproxima, mas a verdade é que nunca funciona na perfeição, ou se se aproxima, é por um tempo muito reduzido, demasiado reduzido comparado com o necessário.... :P

Naná disse...

O meu cérebro por estes dias precisava era de ir para um spa, ou uma casa de repouso...