quarta-feira, 4 de maio de 2011

O Choque, o horror

Então e vocês perguntam, tal como eu:
Como é que a Suíça nunca está em crise?
Todos os países na mais profunda merda e a Suíça sempre nos trinques, com malta a emigrar para lá a torto e a direito, com Alpes e flores e vaquinhas.
Durante muitos anos pensei que era por causa dos chocolates, dos relógios e do fondue de queijo.
Aquele povo tem uma sorte do caneco, pensava eu, enquanto lia as histórias da Heidi e da Abelha Maia. Sustentar toda uma economia com chocolate e queijo, é do caralhinho sim.
Por isso, hoje fiquei tão chocada com esta notícia.
Foi a queda de um sonho que acalentava desde a mais terna infância. Um sonho feito de vaquinhas roxas e brancas e de pão mergulhado em queijo a ferver.
Lacrimejei.

Foi isso e ter ficado a saber que os Estados Unidos fizeram uma cerimónia fúnebre, respeitando os rituais muçulmanos, do bicho que dizem ter morto.
Sim, eu ainda acredito no Pai Natal.

3 comentários:

Susana disse...

Ana por morar em Genève há 20 anos posso te afirmar que a Heidiland não é de todo flor que se cheire, o pessoal vem para cá só para arrecadar alguns tostões (isto na ilegalidade porque quando se está legal o dinheiro voa em impostos e custos de seguro de saúde &cia) e depois vai-se embora. Apesar do nosso país estar no fundo do poço nunca fomos cofre de chulos e monstros, guardamos a nossa dignidade.

Beijocas

gralha disse...

Vai ser preciso todos os portugueses emigrarem até descobriram que deviam ter ficado e arregaçado as mangas.

Jo Ann disse...

Ana, não respeitaram os rituais muçulmanos não, por o Islão não permite enterro no mar...