quinta-feira, 21 de julho de 2011

Chamem-me taradinha do pudor

Não me atirem pedras os adeptos/fanáticos do ginásio, mas desde os tempos de colégio que não frequento balneários e nessa altura vestíamos e despíamos a roupa numas casinhas individuais, que aquilo era colégio de pudor jesuíta.
Foi, então, com estúpido assombro que, ao levar a Alice às suas aulas de natação, constatei que a malta anda toda nua de um lado para o outro.
Olha, vou tirar o colar! Espera, deixa-me tirar a cueca também!
Olha, esqueci-me de tirar a aliança! Espera, não consigo tirá-la se não desapertar o soutien!
Malta, olhem, vou secar o cabelo! A roupa aquece muito, enquanto o secador está ligado.
Foda-se, mas em casa, quando saem do banho, vão a pingar todos em pelota pela casa?
Juro que ainda hei-de entender esta embriaguez corporal, mas por enquanto, ainda estou na fase de observação.
Quando vai o Hugo com a Alice, têm que ficar no balneário masculino...

21 comentários:

Melissinha disse...

Deixei de fazer duchar no gym por causa disso! Porque diabo não fazem uns espacinhos com cortinas? Odeio que me vejam a perereca, e odeio ainda mais que me vejam a banha.

Melissinha disse...

"fazer duchar" é bonito.

Maggie disse...

Eu tbém sou taradinha do pudor, detesto gente que se expõe dessa maneira, mas eu uma mulher daquelas que já não se usa, sou antiquada, dizem...

Bjo
Maggie

Manuela disse...

Querida Ana, ai isto do pudor, não só mania da(de alguns) minha geração?! É que a mim também me fazia a mesmíssima impressão, quando andava na natação! ;)

Ana C. disse...

Melissa, ahahahaha, eu também não curto que me vejam duchar a perereca. Só a família nuclear.
Mas pronto, há pessoas que curtem a cena do duche e do sabonete e do show de perereca comum.

Ana C. disse...

Maggie, fiquei com a sensação que olham para ti quando estás vestida...
Senti-me descriminada por estar vestida.
Provavelmente, hoje vou ter que me despir, enquanto ponho o fato de banho à Alice :)

Ana C. disse...

Manuela, isto do pudor afecta todas as gerações :)

Melissinha disse...

E também há isso: se já sais do duche de perereca coberta, olham-te de lado, como se dissessem: olha a freira.

Ana C. disse...

Melissa, vou perder a cabeça, vou em pelota, com as cuecas na cabeça, ao bar do pedaço. Quero ver quem é que me chama freira!

Naná disse...

Eu quando andava na natação escolar tinha que por vezes enfrentar os olhares de miudos de 5/6 anos, porque as mães que os acompanhavam às aulas de natação, não podiam entrar nos balneários masculinos... então os filhos tinham que vestir e tomar banho nos balneários femininos...
Estás a ver-te levar o António ao balneário feminino e ele depois vir de lá a comentar: oh mãe, aquelas sr.ª tinha umas mamas muito grandes!

Ana C. disse...

Naná, eu juro que não é por a Alice ver pessoal nú. É mesmo porque não entendo para que é que é preciso andar em pelota por todo o lado naquele contexto. Não entendo mesmo!

sofia disse...

Ora aí está algo que eu também não percebo
Juro que não consigo perceber mesmo!

Irina A. disse...

Então vá, é assim:
Tomar banho é uma cena privada, é como cagar. Quando cago não tenho público, quando tomo banho aplico o mesmo critério.
A ser boua comó milho, desfilava nua para a playboy e pagavam-me para isso, desfilar nua em balneário de ginásio é que não.

Mas acho que há gente altamente de bem com as suas banhas e com a vida que curte mostrar os pêlos da perereca ao mundo. Gabo-lhes a coragem. Eu mostrar a perereca até mostrava, já as banhas é que pronto...
Mas se conseguir ficar toda boa vou fazer questão de andar nua num balneário de ginásio, só naquele de meter nojo às peles das velhas e às gordas.

_+*Ælitis in Paris*+_ disse...

Não é um problema de geração não... sou de uma geração diferente da tua e idem, não consigo ficar nua à frente de gente (des)conhecida, nem ver ninguém nu à minha frente. Prefiro (e vou) tomar banho a casa.

_ba_ disse...

Primeiro deixe-me ahahahahahahahaaha mas também concordo plenamente consigo.
Ando num ginásio e, quando acaba a aula, fico em cuequitas e lá vou eu para o duche. Saio enrolada com a toalha (tal como em casa) e sigo para o meu cacifo. Depois ponho a toalha enrolada à cintura e visto a cuequita lavada e então lá ponho eu os cremes da praxe. Mas sim anda tudo em pelota para o banho e em pelota pelo balneário ...não percebo mas enfim comigo não contem :P (também eu sou uma taradinha do pudor lol)

gralha disse...

Ninguem vê as minhas partes pudendas e eu dispenso ver as partes pudendas dos outros. Aqui no reino dos púdicos põem avisos a dizer que é expressamente proibida a nudez. Inclusive dos putos.

Crente disse...

Eu até nem sou muito púdica... mas só quando vou ao médico das gajas ou quando vou parir um filho. Ou quando vou desgraçar-me na esteticista. E, se pudesse, ia depois de enfiar pela goela uma bela dose que álcool. O que nem sempre é possível.
Vai daí, desisti dos ginásios. Fiz contas à vida e treino em casa. Mas nem em casa eu ando a cirandar numa e a pingar, já que sou eu que tenho de limpar o chão. Vai daí que não percebo essa necessidade de partilha de nudez...

Crente disse...

Tem um erro, que é sexta-feira e eu não funciono bem nestes dias.
Não é "numa", é "nua".
Obrigada

Sandra disse...

Não chamo não...o mesmo acontece quando andava no ginásio e agora qunado vou para a natação com o miúdo...Nem tanto ao mar nem tanto à terra.Há gente que exagera mesmo!

pedro morais correia disse...

O ginásio que frequento tem divisões que permitem ter privacidade. Há todo o tipo de utilizadores, os que se vestem/despem na zona pública, como se estivessem sozinhos no mundo, os pais/tutores/etc que acompanham as suas filhas/meninas sobre sua responsabilidade para a zona pública (julgo que uma menina de 5 anos poderá ficar traumatizada ao ver velhas caraças peludas com os respectivos apêndices dançantes ), aqueles que apesar de utilizarem a zona pública, têm algumas precauções (tolha à volta e etc), blá blá, e eu que uso uma cabine só para mim (para não ser visto mas, principalmente, para não ver) e quando saio da cabine, lavado, penteado e vestido, passo pela zona pública depressa a olhar fixamente a porta. Mesmo assim, por vezes, sou obrigado a registar visões de paquidermes rugosos e que gostam de esfregar minuciosamente todas as pregas e outras zonas mais ocultas do seu corpo. brrrrrrrrrrrrrrrr

Anaa disse...

Finalmente alguem que me compreenda. Tenho 17 anos e ando na escola publica, nao ha ca cabines individuais nos balnearios e isso faz-me imensa confusao. Acabo sempre por me despir na casa de banho porque faz-me uma certa confusao andar ali toda despida e ver as minhas colegas - e pessoal de outras turmas que nem sequer conheço - a despir soutiens ou a falar durante 10 minutos so de cuecas. Tambem tenho esse trauma com ginasios. Quando ia 'a nataçao, apesar de existirem cabines privadas toda a gente se despia completamente ali. Sim, sou um bocado taradinha do pudor, acho que o nosso corpo e' uma coisa relativamente privada, nao e' para mostrar assim a toda a gente...