quarta-feira, 27 de novembro de 2013

avós

Avós, muitos avós no feminino e masculino, acompanham os netos nas actividades pós escola. Uns ficam a preencher palavras cruzadas, outras definem estratégias de banhos e jantares, falando com as filhas pelo telemóvel, ordenando que não se atrasem de novo, que não sabem se têm jantar para os meninos, mas tentarão dar um jeitinho.
Eu sou uma das poucas mães no meio infindo de tantos avós que esperam pelo final da aula de natação. Fico ali sentada, a ver a minha filha crescida nas suas braçadas periclitantes, a bebericar um café demasiado torrado e a pensar que, hoje em dia, muita coisa só é possível por causa dos avós e que eles estão de novo, como nos primórdios não tão antigos da nossa História, a regressar em força à vida dos netos.
O que seria destas filhas com filhos, sem os seus pais, ou sogros, para complementar os seus atrasos, as suas idas madrugadoras para o trabalho? Agradecer-lhes-ão o suficiente? Terão consciência dessa maternidade tão mais suavizada pela presença constante e sem cerimónia daqueles que estão lá por elas?
Espero que sim.

10 comentários:

Naná disse...

Se não sabem, deviam saber!

Eu que só conto com a minha sogra e mesmo assim, é complicado dada a sua idade avançada, sei o valor que teria a minha mãe/avó, para dar mimos a rodos e ir com ele aqui e acoli, e permitir todos os bolos e doces!

dona da mota disse...

Ai Ana, nem imaginas o quanto sou agradecido pelas ajudas dos avós lá de casa e até bisavós, se for preciso.
Ter os meus pais a duas ruas e os meus sogros a 20 km's de distância torna tudo muito mais fácil. Coisas simples como sair às 18h e ter sempre quem os vá buscar ás 17h30 para que não fiquem ao frio á porta da escola. Ter quem desenrasque um jantar, ou dois, ou três por semana, como a minha mãe. Mais quem me mande caixinhas de refeições meio preparadas ao domingo, como a minha sogra. Eu sei, e digo-lhes muitas vezes, muitas mesmo, o quanto sou privilegiada. Tenho perfeita noção que me é mais fácil ter 3 filhos aqui do que uma colega que tem só 1 mas com avós a 200 e 400 km's... Para ela é muito mais difícil...
este teu post é muito real. Eu já tinha tido um fanico nervoso ou então tinha filhos cheios de carências emocionais que os avós tanto ajudam a preencher, ok, por vezes até demais... mas ser avós é exagerar, não é?!!!
:)

disse...

Ana, por falar em avós e em amor...enviei-lhe um email ;)

'O DIÁRIO' por Mãe Solteira disse...

Agradeço e valorizo todos os dias os meus pais por estarem sempre lá, ou onde é preciso, por serem os avós, os pais, os brinquedos, os professores, os transportes, o tudo do meu filho. São um verdadeiro exemplo e inspiração que tenho.

e sem duvida, este texto é a verdade absoluta. O que seria destes pais sem os seus pais, destes filhos nem quero pensar

Carla R. disse...

Não dão, não dão. Pode haver excepções, mas são isso mesmo, a excepção à regra. Quem lhes da o devido valor são as mães como eu como tu, que não os têm ao pé e que sabem a falta que lhes fazem.
Dona da Mota, és a excepção.

gralha disse...

Está a faltar aqui uma nota pessimista e eu cumpro muito bem esse papel: e então como será daqui em diante, com os filhos a nascerem cada vez mais tarde e os avós a verem as reformas adiadas? Os meus pais foram avós aos 53 anos e agora ainda estão a trabalhar. O que vale é que são óptimos avós de fim-de-semana :)

Portuguese Girl With American Dreams disse...

agradeco muito a minha avozinha. E como uma segunda mae para mim! linda por dentro e por fora:)

http://fromportugaltonyc.blogspot.com/

Rita Camões disse...

Carla que injustiça, eu valorizo e muito a ajuda dos meus pais e sogros, nem sei o que seria da minha vida sem eles, aliás não sei o que seria dos meus filhos sem os seus queridos avós. Não porque não houvesse onde os deixar até nós chegarmos, mas porque não há nada melhor que um leitinho quente com chocolate e uma torradinha com planta, em casa da avó... não se trata de ter amas a tempo inteiro, trata-se de construir memórias boas com pessoas que nos amam muito e fazem tudo para nos ver sorrir.

Raquel Ribeiro disse...

Por isso tenho só 1 filho! com avós longe,nós pais temos que gerir o nosso tempo pra conseguir estar o máximo de tempo com ele...

quem sabe se com avós por perto a facilitar fins de tarde, jantares e idas à natação não teria pelos menos mais um filho!!! enfim...

bjs

conceicaobarreta disse...

Arrisco dizer que alguns não sabem reconhecer,e é uma pena.