terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Ansiolíticos e negócios florescentes

Depois de uma ida à farmácia e de lá ter deixado uma pequena fortuna, o meu cérebro deprimido conseguiu carburar uma brilhante ideia:
Um projecto de lei que obrigasse este governo à comparticipação a 100% dos ansiolíticos, ou da erva (ainda não decidi o que compensa mais). Não basta a voz do nosso Ministro das Finanças, que nos embala na sua cadência dormente. É preciso de facto entorpecer os sentidos a outro nível, para não desatarmos todos aos tiros.
Uma vez que a taxa de suicídio e de mortalidade deve disparar em breve, pensei num bom negócio: Uma funerária que tenha no seu catálogo de possibilidades, caixões de cartão reciclado a preço de saldo.
Só boas ideias de negócio. Como é que eu não tirei Gestão?

7 comentários:

Melissinha disse...

és brilhante.

Naná disse...

Já vi uma campanha duma funerária que era absolutamente macabra: na compra dum caixão de adulto ofereciam um de criança...

gralha disse...

Então por isso que não sobem o IVA do vinho, pá!

gralha disse...

Naná, diz-me que não é verdade.

Joanissima disse...

tu es o dr oz da economia, é o que se me apraz dizer.

Naná disse...

Gralha, infelizmente vi com estes olhinhos na televisão uma reportagem sobre o negócio das funerárias, a publicidade que faziam, como geriam o negócio! Ainda quis crer que não era verdade...
Havia uma que tinha esta "promoção", outras faziam preços mais acessíveis a quem encomendasse a sua própria urna em vida, davam facilidades de pagamento e coisas assim...

Pp_FANTASMA disse...

podes iniciar um novo franchising :)...