domingo, 25 de dezembro de 2011

Iluminatus est

Eu cá acho uma rebarbada treta, uma poeira para a vista, um exagero para inglês ver (ou não ver, neste caso), um teatro para idiotas, não haver iluminação de Natal em Lisboa.
Uma Câmara criativa certamente arranjaria soluções para iluminar a merda da Avenida da Liberdade sem que a Troika nos enviasse para o quinto dos infernos monetários.
Ai que somos tão poupadinhos, estão a ver? Andamos a cortar na luz. Estão a ver como somos bons e poupamos no mês de Dezembro? Olhem só!
Temos funcionários camarários que são absolutas pedras na engrenagem, não funcionamos, chateamos com requerimentos, estupidimentos, entupimentos, adoramos a burocracia, daquela que não deixa ninguém fazer nada, mesmo que esse alguém queira investir na cidade, mas poupámos bué neste mês de Natal.
Ir a Lisboa mostrar as iluminações à criançada sempre fez parte dos nossos percursos de Natal e ajudaria a tornar este Natal, impregnado de crise e vestido de negro, um bocadinho mais luminoso. Agradeço à CML a poupança de dona de casa, mas dispenso. Acendam mas é a bosta das luzinhas, sim?

5 comentários:

Melissinha disse...

concordo a 300%. Concessionassem aquela merda a alguma empresa. Sim, eu sei, quando foi a Nespresso e a TMN todo mundo refilou (eu inclusive), mas os tempos são outros e é melhor alguma iluminação do que nenhuma iluminação.

Para mim, vai para junto das pérolas dos prémios escolares cortados. Pura demagogia, pura poupança de tustos que custa muito mais em desmoralização do que outra coisa.

O Cercadinho disse...

Seguido leio o teu blog, interessantes teus posts.Te escrevo para divulgarmos nosso blog, se quiser nos acompanhar e dar umas risadas:www.o-cercadinho.blogspot.com
Será um prazer ter nos visitando lá. O que é O Cercadinho? Segue uma apresentação para te situares.Em cada relacionamento afetivo, os envolvidos ficam restritos a um espaço, O Cercadinho, onde acontecem as interações. Em algumas fases, está cheio de "queridas", mas em outros, quase vazio. O Cercadinho é o resultado das conquistas amorosas, onde cada um preenche à sua maneira e gosto. Pode ter o critério de cotas e uma de cada: loira, morena, mulata, ruiva ou japa. O estilo Censo do Ibope, com faixas etárias e tipos variados. Até monogâmico com apenas uma mulher selecionada.Entre no nosso Cercadinho e boa leitura.
Por Iberê

Ana C. disse...

Melissa, o que mais me impressiona é a quantidade de pessoas que vai nesta cantiga. Ai eu cá acho muito bem que se poupe, em época de crise temos que dar o exemplo.
Mas que exemplo?
É como a história de irem trabalhar sem gravata. É uma manobra de diversão e o pior é que toda a gente cai nela.
Alguma vez tentaste ir tratar de um assunto à câmara de Lisboa (ou a outra qualquer)?
Eles simplesmente não te deixam resolveres um corno.
Se disseres que tens um espaço que precisas de arrendar (para criares emprego e gerares dinheiro), espera só para ver o cenário kafkiano pelo qual terás que passar.

Ana C. disse...

E sim, já houve a árvore de Natal da Zon, porque é que não se há de arranjar formas inovadoras de patrocinar umas luzes?
Claramente, a Câmara quis passar uma mensagem e os patinhos agachadores caíram.

lifeaspi disse...

Não podia estar mais de acordo. Levei o mês de Dezembro a mostrar a minha indignação. Uma vergonha!!! Foi uma daquelas medidas vazias direccionadas para a comunicação social que só demonstrou a miopia da CML.