segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Trust

Continuo a achar que a coisa mais difícil de recuperar, depois de perdida, é a confiança.
Por muito que tentemos retomar as coisas tal como eram antes de quebradas, jamais voltarão a ser iguais.
Ficará sempre uma névoa, um tom baço em cada gesto, em cada atitude, em cada silêncio.
Mesmo quando se fale verdade, imaginaremos mentira. Mesmo quando se jure, a palavra perdeu todo o seu poder. E quando a nossa palavra perde o valor, então de nada vale falarmos.
Podemos tentar recuperar os laços antigos, mas estes já não prendem como antes. A ligação foi interrompida e ficará para sempre desfiada naquele lugar.
Aceitar isto e seguir em frente, ou aceitar que não dá para seguir em frente assim, tornam a vida de quem trai e de quem é traído, estupidamente fodida.
Por isto, é tão importante sermos leais e fieis, em todos os sentidos. Acho que estas duas características, são das merdas mais satisfatórias que podemos ter na nossa vida.

7 comentários:

Naná disse...

Ana Cê, sou da mesma exacta opinião. Além disto, acho que a fidelidade e a confiança acabam por se tornar uma forma de estar perfeitamente natural, nada forçada!

Rute disse...

"Concordadissímo" :)

Tapinhas disse...

Sem tirar nem pôr...
Dizem que só quem ama de verdade consegue perdoar.
Mas também só quem ama de verdade, consegue suportar as dúvidas e inseguranças que ficaram escondidas debaixo do lençol.

MARIA MARIQUITAS disse...

Concordo plenamente!

João disse...

Não sei o dia de amanhã, mas do meu passado posso falar. E algo que me enche o ego, é ter sido sempre fiel, em todas as relações que tive. Mesmo tendo oportunidade para não o ser, o que acontece, alguma vez na vida, a toda a gente. Mesmo quando não o foram comigo. Porque principalmente, estou a ser fiel comigo próprio e com os meus principios. Gosto de ter a consciência tranquila quando me deito á noite. Para mim, isto torna-se fácil, Ana. Quem quer ser respeitado, que se dê a esse respeito. Eu faço a minha parte.

Melissinha disse...

fidelidade na amizade, sobretudo.

Silvina disse...

Epa, que post brutal. Ando nesse dilema, do tentar refazer a confiança, mas simplesmente não acontece. E este post ajuda a perceber um bocadinho melhor o porquê...
Um beijinho*