quarta-feira, 2 de maio de 2012

Domesticamente Imperfeita

Sou um zero no que respeita a economia doméstica. Não tenho queda para a coisa. Esforço-me como tudo, mas nunca consigo ser aquele sucesso evidente e vibrante de tanto mulherio mais capaz. No entanto, existem coisas que já aprendi à minha própria custa. Não são muitas, bem sei, mas são boas e são conclusões tão pertinentes, ou melhores do que muitas dessas teorias das deusas do lar que polulam pelo mundo (sim, a inveja é nojentinha mesmo). A saber (não esquecer de entoar como mantra budista): Nunca comprar o que não preciso, mesmo que esteja em promoção. Se não preciso. Se tenho em casa, é dinheiro que estou a gastar agora sem necessidade. Não comprar bens de primeira nexexidade, como carne e peixe, enquanto não varrer primeiro todos os que tenho no congelador. Aprendi com as profissionais da coisa (e também às minhas custas) que há sempre como aproveitar duas postas de pescada que repousam esquecidas no fundo do congelador, antes de me atirar a um peixe novo. Ontem mesmo, fiz de uma courgete, dois tomates, uma cebola e uma lata de feijão branco, um repasto dos deuses. Qualquer coisa entre o Ratatouille e a feijoada light e dei beijos na minha própria boca com essa conquista tão minha, tão domesticamente perfeita, tão íntima. E sim, continuo sem saber o que aconteceu aos parágrafos.

3 comentários:

ouvirdizer disse...

A minha mãe é do tempo em que as meninas tinham a disciplina "Economia Doméstica". Parecendo um dos exageros da época tinham um Manual que explicava tudo, tudinho, do pregar um botão ao método de dobrar e arrumar roupa. Já emprestei aquele manual 2 vezes, a uma professora socióloga e a uma colega assistente social, das duas vezes o manual servir para tirar fotocópias para projectos em bairros sociais.
Isto tudo para dizer que nunca li o Manual e sou uma fada má do lar ao ponto de ter sido o meu marido a ensinar-me a coser à máquina, sim, que ele sabe...
Mas o meu sonho é tornar-me um boa fada do lar pois, no fundo, até sou boa pessoa.

triss disse...

Eu sou uma nódoa em economia doméstica, mas estou a melhorar...

Naná disse...

eu não sou má em economia doméstica, aliás acho que me safo bastante bem... no entanto, já desisti de ter a casa sempre impecavelmente limpa... um drama que me afligia solenemente.
Mas cheguei à conclusão de que até me safo bem depois de ter lido alguns artigos sobre "iluminados" na matéria e concluí que já o fazia, em maior ou menor grau... só que a minha professora foi a minha querida mãe!