terça-feira, 28 de dezembro de 2010

O Rabicídio do Consumidor (ou como ser enrrabado na garantia)

Não, não estou chocada, nem um bocadinho, isto é apenas mais uma peripécia que em nada me surpreende no nosso país, onde os Direitos do Consumidor são ideias tão abstractas como um quadro em branco e onde as frases:
"Ah, é a primeira vez que temos uma reclamação"
"Tem que vir na embalagem original", mesmo que a embalagem se refira a uma máquina de lavar loiça.
"Oh, lamento muito, mas o seu telemóvel levou com humidade"
"Oh tenho muita pena, mas tem um risco de unha do mindinho na parte lateral esquerda noroeste por debaixo da bateria"
"Lamento, mas o produto não está nas mesmas condições originais, tem uma impressão digital"
"Passaram exactamente 30 segundos do final da garantia"
"Não devolvemos o dinheiro"
São o pão nosso de cada dia e onde é mais fácil accionar uma garantia na loja do chinês, do que numa empresa conhecida.
Querem um conselho?
Tentem sempre comprar em estabelecimentos dos nuestros hermanos (é triste, mas é verdade), como o Corte Inglês, é que eles, regra geral, não escrutinam o aparelho em busca de um risco imaginário, ou de sémen de gaivota no chip, limitam-se a recebê-lo e a aceitar a reclamação sem que tenhamos que perder 10 anos de vida para provar que o produto em questão quinou por conta própria e no final da odisseia levarmos com um processo em cima por termos ousado criticar os deuses do comércio justo.

2 comentários:

PP_FANTASMA disse...

Complicações "Made in Portugal" :)

Naná disse...

E devem faltar tantas...
E tenta lá explicar que te roubaram a carteira com a factura?? A mim aconteceu-me e nem sequer consegui mandar a coisa para a reparação. Por isso, em vez de um home cinema tenho um sistema de rádio "potente"!
Adorei!!