quinta-feira, 15 de setembro de 2011

O meu sonho recorrente


Quanto maiores são os problemas supérfluos, maior é a vontade de viver do que a terra me dá.
Tenho sonhado acordada com isto:
Sou dona de uma quinta imensa e preocupo-me com as condições do clima.
Leio, escrevo e as minhas dores de cabeça dão-se à conta das colheitas e dos animais que crio.
Levanto-me antes da luz do sol e canso o corpo. Canso-o de tal forma, que nada me sobra na mente. Nada além de um livro, ou de uma folha de Word em branco, à espera de ser fertilizada.

8 comentários:

gralha disse...

Like!

Turista disse...

Querida Ana, bem vinda à reforma agrária, como diz aqui o maridão! É essa, a nossa vida actual! E gostamos muito, sim. :)

Naná disse...

Acreditas se te disser que já estive mais longe de assumir o meu papel de "latifundiária"?? Viver do campo e da costura!

Melissinha disse...

hahaha não fertilizes a página em branco, por favor. Já há demasiados escritores a fazê-lo!

Ana. disse...

Neste momento, esse é o nosso plano (meu e do Nuno) para a reforma!
Terrenos não nos faltam, por isso, daqui a uns quinze anos vamos ter uma quintinha, com ovelhas, patos, um burro, um cão, um lago com peixes e sementeiras: de tomate, pepino, pimentos, ervas aromáticas, abóboras, feijão verde, espinafres e tuditudo! Ahh e uma cerejeira, um pessegueiro, uma laranjeira, um limoeiro, uma nespereira, um loureiro, uma ameixeira e um baloiço!
Vamos ser agricultores e felizes!
Depois trocamos produtos, tá?!
;)

Moleskine disse...

e de que estás à espera?

Emoções disse...

A arte de escrever transforma escritores em sonhadores,a alma atinge o céu e simples palavras se transformam em sentimentos...

Joanissima disse...

Começa mazé a jogar farmville pra veres a dureza que é acordares às 5 da manhã para apanhar as batatas antes que elas apodreçam!!