terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Crónica de um coto de sabonete

Existem coisas da intimidade doméstica entre um homem e uma mulher, às quais já me habituei sem grandes dramas.
Não queres tirar o rolo do papel higiénico vazio do suporte?
Tudo bem, há coisas bem piores na vida. Eu tiro, sem grande drama. Apesar de o esforço físico empreendido na tarefa me desgastar o pulso, eu faço-o uma e outra e outra e outra vez, até me sentir a Dama do Rolo do papel higiénico.
Ele acaba o champô e não deita o frasco vazio fora. Fica ali a enfeitar a banheira, dias a fio, enquanto vai usando o meu champô e o das crianças, sem piar? Tudo bem, como gaja prática, desenvolvi o hábito de ir agitando os frascos, sentindo-lhes o peso com uma mão, enquanto esfrego o cabelo com a outra. Multi-tasking é o meu nome do meio.
Mas no meio de todas estes pequenos dramas domésticos sem importância, existe um em particular que não consegui ainda tolerar e que tem ajudado a entupir as minhas artérias de um veneno chamado stress raivoso:
O Sabonete gasto. Ele termina o sabonete e deixa o coto ressequido e cheio de rachas, sob o sabonete novo. Ou seja, se não sou eu a deitar fora o fóssil carcomido, teriamos hoje um Empire State Building de cotos de sabonete.
A semana passada cheguei ao meu limite e, farta de gastar palavras, passei à acção. Peguei no coto e deixei-o ao lado do lavatório, qual prova irrefutável de desmazelo masculino.
Não reparou.
Dia seguinte: Pego no coto e espeto com ele ao lado do desodorizante masculino.
Não reparou.
Dia Seguinte: Pego no coto e enfio-o em cima da escova de dentes dele. Afastou-o e pousou-o com carinho ao lado do lavatório.
Dia Seguinte: Pego no coto, fecho o tampo da sanita e pouso-o sobre o tampo. Ahahaha, penso eu, com esta é que não estás a contar. Vais ter que perceber, vais ter que aprender. Aguardo em ânsias expectantes a lição que tudo aquilo lhe ensinará.
Feita estúpida, vou fazer xixi e deito o coto fora.

13 comentários:

Naná disse...

Não padeço desse mal certamente, porque até essa tarefa lá em casa é partilhada...
Além disso, lá em casa usamos sabonete em doseador, logo não há cotos de sabonete nenhum... e nos tempos em que usávamos sabonete normal, o asco pelo coto do sabonete é ainda vincado nele que em mim.

Melissinha disse...

hahahaha tal e qual, tal e quaaaaaal.

Tenho de manter debaixo de olho não só o champô como também os cremes de barbear, nestum, minis.

Ana C. disse...

Naná, falo do sabonete do duche. Eu uso gel de banho e para as mãos, toda a malta usa sabonete líquido. Mas o macho gosta de se esfregar com cotos.

Turista disse...

Querida Ana, mas porquê? Porquê que os homens foram feitos todos na mesma fábrica?!
Com a minha idade, ainda consigo ficar assim :O
Magnífico texto! :)

Miguel disse...

Admite: não nos podes vencer AHAHAHAHAHAHAHAH!!!

Ginguba disse...

Hum...vou experimentar essa tua última táctica a ver o que é que acontece por cá! Aposto que o coto vai parar ao chão por trás da sanita e vou ser eu a deitá-lo fora. se calhar é melhor não!

gralha disse...

Se dependesse do meu homem, a banheira teria já pelo menos 27 embalagens vazias de champô e 46 de gel de banho. São todos miopes domésticos, catano!

(mas os cabelos no ralo da banheira, esses, topam-nos a todos)

Catarina disse...

Chorei a rir com este texto. Muito bom!! E é tão fácil identificar-nos com ele! Mesmo :)

_ba_ disse...

Ahahahahahahaahahahahahahah acabaste por fazer ahahahahah
Lá em casa temos o "filme" do papel higiénico: acaba e põe-se o novo por cima da caixa dos Kangoos do Becas. Esta semana deixei 1, 2, 3 dias mas hoje lá acabei por tirar a porcaria do rolo sem nada e pus o que resta do novo...quanto ao sabonete eu uso sólido e liquido e ele só líquido mas tem a mania de deixar sempre as embalagens de "rabo para o ar" quer estejam cheias ou vazias. Na banheira tenho uma "cena" que tem 3 prateleiras sendo que a mais alta é dele portanto se não tiver também não dou conta ...mas o "cemitério" das coisas vazias é tipo na borda da banheira ...
Resumindo: todos diferentes todos iguais :-)

Sílvia disse...

ahahahahah tantos esquemas pra nada... Não pode ser :)

Ana. disse...

Eu já perdi a batalha dos rolos de papel higiénico vazios! Já chegaram a estar quatro ou cinco rolos vazios por cima do lavatório, do autoclismo, no próprio suporte e... não consegue mudar aquela porra!
E eu lá perco a paciência e deito os rolos no ecoponto...
!!

Ana. disse...

Ahahahaha! Adorei o míopes domésticos da gralha!! Vou chamar míope doméstico ao Nuno da próxima vez que houver meias usadas atrás da porta da casa de banho!! (logo à noite,portanto!!)

Cláudia disse...

Nestes particulares até que eu tenho sorte com os homens...até agora!!!