terça-feira, 18 de junho de 2013

Para onde foram todos?

Confesso que li esta notícia, que nos fala da agressão sofrida pela famosa Nigella Lawson, com um misto de asco e estupefação. Asco pelo verme do marido da Nigella e por ter constatado, mais uma vez, que a violência doméstica toca a todos, ricos, pobres, famosos, incógnitos. Estupefação pelo facto de as pessoas no restaurante se terem dado ao trabalho de fotografar a agressão, mas ninguém ter feito um corno em defesa da senhora.
Que merda de sociedade a nossa em que, protegidos pela objectiva de um telemóvel, julgamos ser ficção virtual o que se passa mesmo à frente do nosso nariz?
Mas o que é isto, que demissão é esta de todos os nossos deveres cívicos, para onde foram as pessoas que se preocupam e que interferem quando uma atrocidade é cometida bem em frente do seu nariz?
Para onde andamos todos a olhar, que nunca nos metemos em nada, nunca interferimos, não levantamos a peida da cadeira para ajudar quem precisa de auxílio?
O que é esta merda de andarmos todos obcecados com o cotão do nosso próprio umbigo, ignorando os umbigos dos outros?

11 comentários:

Junto à Janela disse...

Parece que é mais importante vender a fotografia do que "salvar" alguém...

Marshmallow disse...

Discordo. Na minha opinião e depois de tudo o que li acerca do caso, concordo com a atitude de quem estava presente. Não foi a primeira vez que o senhor a maltratou em publico e precisamente no mesmo restaurante. Há fotos de Dezembro do ano passado que o comprovam. Ora se a Nigella quisesse já poderia ter apresentado queixa anteriormente. Além de que a impressão que dá pelas fotos, é que ela só está preocupada com as aparências. Ela não pediu ajuda. Não ligou à polícia a pedir protecção!
Por aqui tem havido um grande debate nas redes sociais sobre este assunto, sobre o facto de terem interferido e exposto o caso à polícia, mesmo não tendo havido queixa da Nigella. E sobre o facto de agora ela ser forçada a tomar uma attitude publicamente.

Julieta disse...

Em muitos casos essa tua questão aplica-se. Neste caso não me parece. Não se trata de uma mulher indefesa, sem recursos para tomar conta de si própria, que se vê sem saída e se sujeita aos maus tratos.

Aqui é outra coia qualquer. Deve ser ajudada, claro, pelo que os rodeiam e a conehcem, mas não merece que um qualquer estranho o faça.

Condenável aqui é o acto de fotografar e divulgar a fotografia. Isso sm, demonstra muita falta de respeito pela privacidade da Nigella.

Ana C. disse...

Meninas, tirando o gosto pelos cozinhados calóricos, nada sei da vida da senhora, mas garanto-vos que, se visse uma mulher a ser agarrada pelo gasganete em público, fosse Nigella, ou Angela das Couves, não ficava sentada a tirar fotografias. Mas isso sou eu.
As cifras negras de mulheres que sofrem abusos pelos maridos são imensas, precisamente porque as pessoas tardam/não fazem queixa e precisamente porque as pessoas em volta "não metem e a colher entre marido e mulher".
Nenhuma mulher gosta de ser vítima de agressões e se nada diz haverá certamente razões de foro emocional para tal.
Não devemos emitir juízos de valor apenas porque é alguém famoso. Alguém estava a apertar o pescoço a alguém e ninguém mexeu o cú da cadeira. É isto.

Melissinha disse...

Marshmellow, crime de violência doméstica é público. Pode ser denunciado por qualquer pessoa, não precisa de ser a própria.

Quem vê uma mulher a ser estrangulada num restaurante e não faz nada é cúmplice, sim.

Melissinha disse...

Pelo mesmo motivo, também não acho que seja uma invasão de privacidade publicarem a fotografia - é condenável pelo sensacionalismo, isso sim, mas levar porrada não é um assunto privado, é de todos nós.

Marshmallow disse...

A diferença é que neste caso as fotos foram a evidência necessária para a intervenção da polícia, visto tratar-se de um crime publico. Só assim a polícia pôde agir. E o senhor em causa levou um Aviso Formal, ficando o caso registrado no seu cadastro. É mais do que alguma vez vi ser feito em Portugal.

Marshmallow disse...

Melissinha, não tinha lido ainda o seu comentário.

Sim, eu sei que não é preciso ela fazer queixa. Mas pelos vistos ela também não QUER apresentar queixa.

E a Nigella não estava a ser estrangulada, ele estava "só" a intimidá-la e a humilha-la em publico. Se fosse de facto estrangulamento ele tinha sido preso, não tinha recebido só um aviso.

Vânia Silva disse...

Concordo e acho inaceitável a passividade com que se assiste a esse gesto, preferindo gastar tempo em registar o momento. Principalmente sendo um gesto já visto anteriormente...mas enfim.
Fez-me lembrar a estupidez dos jornalistas aquando do acidente da Princesa Diana: após o embate, os primeiros jornalistas a chegar ao carro tiravam fotos sem parar enquanto ela ainda respirava e agoniava.
É o mundo em que vivemos...

Melissinha disse...

Pá, mão no pescoço é estrangulamento. Só não seria se tivesse parado antes de a tocar. O mesmo vale para tabefes, seja o que for. Existe o verbal e o físico, o limite está no meio. Acho que não devemos ver gradações no físico (nem em mulheres, nem em crianças, nem em ninguém).

Mafalda disse...

Por acaso acho que a Nigella foi vítima de ser a Nigella e daí desatarem a tirar fotos invés de chamar a polícia. Se fosse a Angela das couves se calhar alguém se lembrava de lhe prestar socorro. E francamente não interessa nada se ela quer ou não fazer queixa, se continua a voltar para este canastrão que a estragula. Uma pessoa envolvida nestes casos de violência doméstica não tem filtro para se auto defendes (às vezes até que seja tarde demais).