sábado, 21 de agosto de 2010

Choramingar e coisas assim

Dou ao pé para o acalmar num embalar mais ou menos suave, pisco-lhe o olho e respiro fundo. Sei que vai melhorar quando o que quer que seja que o põe de mau humor for embora.
Até lá tento pensar nas coisas boas, só nas coisas boas, mas o choramingar não deixa, o choramingar só me faz pensar em choramingar e mais nada ao cimo da minha vida inteira interessa, só interessa que ele pare, que me dê um momento de silêncio.
Li algures num blog demasiado estranho para o linkar aqui que existem estudos que dizem que quando o bebé chora a culpa é da mãe, as cólicas são culpa da mãe, a ansiedade do bebé é culpa da mãe e penso: Caramba há mesmo mães que vivem assim, que pensam assim, que se culpam assim? E há mesmo estudos que se debruçam sobre coisas tão estúpidas assim, como descobrir culpados para a má disposição de um bebé?
Há, parece que há sim.

3 comentários:

Melissinha disse...

Ó pá podendo usar o mesmo tempo a tentar descobrir a solução, né?

É impressionante como há quem se divirta a arranjar carga para as mães, como se já não fossemos animais culpados por tudo e mais alguma coisa sem ajuda. O mais engraçado é que normalmente são outras mães que engajam nesse tipo de comportamento.

Leveza, é o que todas nós precisamos. Leveza e compreensão.

Naná disse...

Estou com a Melissinha! Há tanta coisa pelas quais nós próprias já nos culpabilizamos... até por coisas que a sociedade nos impõe como sendo normal assumirmos a culpa... mas o facto é que nós adultos também temos momentos de neura e aborrecimento que nem nós próprios sabemos a razão... quanto mais um bebé, um ser humano em formação!...
E sim, nesses momentos, dez minutos de silêncio são uma benção, um bálsamo para a alma...

Pekala disse...

opá nem me digas nada,o fedelho era um bébé terrível e eu passei o primeiro ano a culpabilizar-me enquanto papava estudos desses..depois caguei e a minha vida melhorou.mesmo!