sábado, 28 de agosto de 2010

Férias, ou nem por isso

Fomos parar a um hotel servido por uma praia com 10 cm de comprimento, espaço esse partilhado por barcos de pescadores e alminhas que desconhecem a palavra distância mínima da toalha alheia.
Fomos parar a um hotel cuja praia de tamanho normal mais próxima se situava na mais bela e por explorar localidade algarvia chamada Armação de Pêra. Localidade ímpar na sua natureza selvagem e sem construções em altura, onde arranjar um buraco para o carro e outro para uma toalha de bidé no areal nojento é mais difícil do que espetar uma bandeira no topo do Everest. Localidade que muitos portadores da nossa portugalidade parecem achar paradisíaca, avaliando pela forma sedenta com que fluem nas ruas apinhadas e desgovernadas, ou com que sacam das toalhas para o dia todo na selva barulhenta.
Fomos parar a um hotel com uma vista magnífica sobre o mar, mas sem podermos sair da piscina por todos aqueles motivos acima. Vai daí mudámos.
E agora, apesar de já ter descoberto que o António não gosta de praia e chora para ir embora, ao passo que a Alice chora quando vai embora, apesar de me ter conformado em passar as manhãs com o meu baby debaixo dos pinheiros, enquanto o Hugo vai para areia com a Alice, apesar de já ter entendido que férias com dois miúdos de idades diferentes são uma espécie de gestão de recursos humanos paterno-maternos, em que pai e mãe se revezam e raramente se encontram, sinto que tenho as coisas controladas.
A praia gigantesca a três minutos de distância a pé, os pinheiros que nos dão sombra e os finais de tarde no areal a quatro, já dão um certo cheirinho a férias e caramba, férias, apesar de cansativas, são boas.

5 comentários:

Miguel disse...

Xôôôôôô férias stressantes e cansativas!!!
Aproveitem bem!

Precis Almana disse...

Boa! Divirtam-se!

gralha disse...

Queres lá ver que descobriste a minha praia? ;)

Naná disse...

Ui ui Ana C., eu que sou algarvia, acho Armação de Pêra uma das maiores aberrações de betão que se fez por este algarve... e ainda estou para entender o que leva os elementos da nossa portugalidade a irem espetar o sombreiro na praia às 7h da matina... ou seja, às 8h a praia está cheia... de toalhas e chapéus de sol, porque os donos foram comprar o jornal e tomar o pequenoo almoço...
realmente é complicado gerir duas crianças com gostos diferentes.
Há efectivamente praias muito boas aí na zona, mas implicaria andar de carro para lá chegar, em acessos pouco conhecidos...
Mas aproveita!

MARIINHA disse...

Espero que agora estejas devidamente instalada numa praia boa e a aproveitar o máximo dentro do que é possível a um casal com dois filhos, sendo um ainda bebé.
Estar na piscina ou à sombra dos pinheiros também é bom. Eu adoro.

Beijinhos e boas férias