quarta-feira, 18 de abril de 2012

Quanto mais conheço o mundo, mais amo as crianças

A Alice tem que levar acessórios meus para a escola, a fim de fazer uma surpresa para o dia da mãe. O entusiasmo dela ao ver os meus escassos colares de pedras coloridas foi de uma doçura impagável. Para ela, todos os meus colares de missangas são de diamantes e as minhas pulseiras de couro, simples e sem grandes ornamentos, são a mais bela filigrana.
As pessoas que a Alice ama são todas lindas, e ela não se cansa de o repetir, as vezes necessárias, até que eu própria acredite nas suas palavras. Quer envergue uma sweat-shirt puída e calças de ganga, ou sabrinas prateadas (o máximo do meu esplendor, ultimamente), a mãe dela é a mais bonita de todas as mães, excedendo aos pontos algumas das mães produzidas, que deixam um enorme rasto de perfume, quando levam os meninos à escola.
Para o António, o pequeno e discreto carro do pai é um Ferrari e, de cada vez que vê um igual na rua, estacionado, ou em movimento, grita a plenos pulmões que é o carro do pai, com uma espécie de orgulho desmedido, de amor imenso reflectido em cada gesto. Os seus olhos brilham e o coração acelera, de cada vez que se aproxima daquela humilde viatura, que é a mais veloz e mais gira do seu universo, pelo simples facto de ser a do seu pai.
O amor que eles nos têm, pelo menos até uma certa idade, depende apenas do amor que lhes damos e isso não tem a ver com a beleza que se vê por fora e sim com a mais importante, aquela que se sente por dentro.
Quanto mais conheço o mundo, mais gosto das crianças (há quem diga isto para os animais, mas eu prefiro as pessoas pequenas de tamanho).

12 comentários:

Smile disse...

Este texto que expressa o amor dos filhos pelos pais e não o contrário como sempre nos habituam está lindo, lindo, lindo.
Achei de uma ternura tamanha a forma como foi escrito e todo o rol de sentimento que expressa

Maravilhoso

Ana. disse...

Este texto é de uma ternura deliciosa e deve ser maravilhoso vermo-nos pelos olhos de uma criança. Acho que os miúdos sabem retribuir o amor e carinho que recebem, por isso não me admira que os teus sejam como descreves!
Morro de vontade de os estrafegar de mimo!!
;)

Melancia disse...

Durante uns anos somos os heróis do mundo inteiro e, cabe-nos a difíciol missão, de prolomgar essa ideia pela vida toda. Sermos sempre o porto seguro, o colo quente e o abraço apertado, quer tenham 2, 3 anos ou menos 20 ou 40.

Raquel (persiana) disse...

Adorei o teu texto!!! ADOREI!
apetece-me linkar-te!
posso?!
bjs

triss disse...

Que bonito o teu texto:-)

gralha disse...

Estou viciada nesse amor assim (agora 'treinei' o pequeno a dizer que eu sou princesa, para veres onde cheguei). Deus permita que, quando crescerem, mantenham pelo menos um bocadinho minúsculo desse brilho nos olhos quando lhes estendemos os braços.

Naná disse...

Li este texto ontem e fiquei sem palavras suficientes para comentar...

Será que um dia vão descobrir a fórmula para podermos congelar um bocadinho destes momentos e assim podermos reviver vezes sem conta?!

_ba_ disse...

Para eles a vida é tão simples :-)
Ontem o meu chegou a casa a dizer que a Maria hoje faria 6 anos e que tinha dito que queria receber 2 bey blades e 1 jewel pet. Ele pegou no pacote de pipocas da Zon, recortou, fez corações e M's em post it's e depois queria fazer daquilo um cubo para servir de embrulho ao Jewel Pet ...ajudei-o a fazer outro embrulho e respectivo laço mas são momentos destes que fazem o meu dia ...afinal só tem 5 anos.
E quando diz que eu sou a mais gira e que tenho um vestido lindo e blá blá blá ...a vida é tão simples e nós complicamos tanto :-)

O Blog da Mafaldinha disse...

<3 delicioso e ternurento

O Blog da Mafaldinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ginguba disse...

Ó D. Ana C., então a senhora está na corda bamba e não nos diz nada?

:)

PARABÉNS!!!!

Aline disse...

Adorei.