quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

O que Será que Será

Olho as datas dos iogurtes dentro do frigorífico e percebo que quando expirarem o meu filho já terá nascido.
Dou-me conta que posso espreitar a previsão metereológica para o dia 4 de Fevereiro.
Olho o meu quarto despedindo-me de todos os elementos que deixarei de usar por uns tempos. Os meus livros, o espaço ao lado da minha cama, onde ficará a cama dele, o cheiro que muito em breve será diferente, pois cheirará a mais uma pessoa nas nossas vidas.
Imagino a desorganização da chegada, o reboliço, o revirar dos ponteiros do relógio em função de um pequeno ser.
O meu cérebro está quase 100% vidrado neste começo de viagem, deixando de lado tudo o que não tenha importância.
António e Alice são as duas únicas palavras no meu pensamento. Como reagirá a minha filha, como reagiremos nós, como será.
Desculpem a falta de originalidade, mas nesta última semana enquanto três aqui em casa, todo o meu pensamento voa para o resto das nossas vidas.

29 comentários:

Melissinha disse...

Por acaso dei-me conta, já tou a planear o aniversário do Gabi e o António vai ter gloriosos 10 dias nessa altura. Um matulão!

Quando me esquecia do desconforto do fim da gravidez, adorava essa antecipação. O fazer a alcofa dele de lavado, o pôr a almofada por baixo do colchão, o ensaiar as melhores posições dos móveis. Tudo o resto me parecia tão incrivelmente fútil, tudo o que era importante no mundo estava dentro da minha barriga. A vida era um anúncio da Crioestaminal, ou algo assim.

O segundo não há-de ser tão idílico, porque já conheces as dificuldades, conheces até bem demais. Conheces tanto que é capaz de essa noção passar por cima das delícias: caretas, arrotinhos, soluços, chorinhos, cheiro de leite (o Hugo dizia McBafo), tudo tão pequenino e delicado. Cá para mim, vais-te lembrar disso tudo depois de dormires a bom dormir na primeira noite depois do parto, logo de manhãzinha (o Hospital tem uma luz magnífica, vais ver).

A Alice vai vibrar. O Hugo também.
E tu também.
E eu também! :)

Muita coisa boa para a recta final, a nossa família tem os pensamentos e boas intenções postos na vossa.

Ana C. disse...

Melissa queria mais, queria continuar a ler os teus pensamentos. Adorei cada linha.
Tu dormiste a primeira noite descansadinha? Eu estava cheia de dores...
Quanto ao resto, pelo menos hoje, foi exactamente como descreveste, até na parte do idílico.

Melissinha disse...

Até dormi, porque, pasmem, esqueci que o pequeno alien comia e deixei-o coisa de sete horas a seco. Só tive dores na segunda noite, enchi-me de drogas e mandei o bebé para o berçário - lá não se iam esquecer de alimentá-lo.

Joanissima disse...

Eu acho que ele (já) sabe que cheiras bem e que a (voz da) Alice é a coisa mais luminosa do mundo.
Vive estes dias com tudo a que tens direito porque é sempre inacreditável saber que tens um (outro) sol dentro de ti.

: )

c disse...

Vais ver que já te esqueceste de muitas coisas tão deliciosas como os barulhinhos de bebé recém-nascido, as mãos e pezinhos minúsculos e tudo o que a Melissinha mencionou... e depois há o que ainda não sabes, a plenitude de olhar para dois filhos juntos, o momento em que olham um para o outro pela primeira vez...
Com o segundo muita coisa já não é, de facto, tão idílica, mas também não é tão stressante e causador de ansiedades gigantes. Muitas vezes, com o segundo, lembrava-me de situações idênticas que tinham acontecido com o primeiro e me tinham provocado verdadeiros ataques de pânico e sorria com condescendência e sentia-me uma mãe experiente e sábia. Depois, às vezes, saía tudo ao contrário, é certo. Mas nada que me abalasse a confiança de mãe de segunda viagem.
Arranja toda a ajuda que puderes para os primeiros tempos e desfruta dos teus filhotes.

JS disse...

A Alice vai adorar, um irmão é uma dádiva e ela vai perceber isso assim que lhe tocar.

Nunca me vou esquecer da Francisca ao ver a Leonor pela primeira vez, estava ali diante de mim um amor indescritivel... A Leonor pouco fala,mas diz sempre que a Francisca é o amor da vida dela.

A Alice vai pedir mais um irmão logo na primeira semana!!!

Disse disse...

Bem... tenho mesmo andado ausente. Mas só duas palavrinhas para desejar a perfeição e a pura felicidade para esta recta final. Depois de tantas lágrimas, dores, risos e gargalhadas, a supra realização humana que um homem nunca pode sentir pois foi dada em exclusividade à Mulher assoma. E a beleza do momento olvidará seguramente qualquer sofrimento.

Cat disse...

Olá! As tuas palavras emocionaram-me muito, tentei colocar-me no teu lugar e imaginar como seria ter mais um ser na nossa casa, um(a) irmão(ã) para o meu filho Francisco (que se fosse menina era Alice) e mais um bébé para eu e o meu marido (que também se chama Hugo) mimar-mos e cuidarmos mas, por condicionantes várias,neste momento não é possivel pensar em ter outro filho e quando leio palavras como as tuas dos últimos tempos fica uma saudade...
Sei que vamos ter textos maravilhosos que me vão fazer sorrir, rir ou chorar quando relatares a nova vida a quatro!
Beijinhos

Cláudia disse...

Só para desejar mais uma vez que corra tudo bem...energia positica nunca é demais!
Já agora, remeto o meu maior elogio para o comentário que refere que "(...)a beleza do momento apagará qualquer sofrimento"; e creio sinceramente que tal não se deve ao facto de, tal como o autor, nunca ter passado por esse momento!
Eva

Precis Almana disse...

É natural que estejas assim. Está quase...
Quanto à recepção pela Alice, terá sempre alguma parte de inesperado, mas alguma dela pode ser controlada por vocês, penso, como o deixarem-na participar no que for possível que ela participe. Sentindo-se importante, vai correr bem de certeza.
Muitos beijinhos, penso que aqui os habitués estão todos desejosos :-D

CarlaB disse...

Primeiro que tudo, quero desejar-te as maiores felicidades e muita boa sorte para a fase que se aproxima.
Não sei o que é viver esse sentimento de antecipação, pois a minha filha nasceu prematura com 32 semanas e por isso a minha barriga nunca foi enorme, ou vivi a ansiedade de nunca mais chegar o momento.Acho que foi mais um choque, quando dei conta tinha a minha filha nos braços, mais parecia um ratinho de tao pequena e magra que era e enviaram-na para casa com 4 dias e com uma lista de cuidados adicionais. O 1º mes foi um inferno, de tanto medo e receio que o pior acontecesse. Estamos a pensar em ter outro e gostaria de viver tudo isso que falas.

Um beijnhos para todos.

Cá estarei á espera das novidades.

Ana. disse...

Tu és das pessoas mais sensíveis que conheço.
Tens sempre uma maneira genuína de encarar e descrever as coisas. Comovo-me com tanta facilidade com as tuas palavras que chego a sentir o teu peso, o teu cansaço e a tua ansiedade.
É estúpido, já sei, mas ando constantemente a pensar nos dias, a fazer contas para ver quantos faltam e a imaginar o ambiente na tua casa. Sei que rodeias a Alice com mais carinhos do que nunca, porque é a última semana em que vão ser só os três e se é certo que o António é muitíssimo desejado, imagino que paire no teu coração uma certa nostalgia pelo tempo em que só tinhas a Alice.
Dizem que o amor pelos filhos não se divide, multiplica-se e eu acredito que seja verdade.

Tu estás cheia de amor para dar, até a desconhecidos que precisam de umas quantas palavras sábias...
E o amor que receberás é a tua maior recompensa.

Um beijo, cheio de ansiedade!
Dificilmente passarei pela tua situação, mas sou uma grávida por simpatia!!

;)

gralha disse...

É mesmo isso. Agora é tempo de recolhimento e mainada :)

PP_FANTASMA disse...

Vejo que isso está mesmo perto...
E por falar nisso, Fevereiro é um óptimo mês para começar:)
Ks

Ana C. disse...

Joaníssima eu cheiro bem? Sem dúvida que sabes derreter uma gaja hormonal com as tuas palavras. Obrigada :)

Ana C. disse...

C obrigada pelas tuas palavras, adorei ler a tua história...

Ana C. disse...

JS torço para que tudo seja como dizes. Se há coisa que me comove sempre é ver a amizade entre irmãos. É tão importante ao longo da vida...
Obrigada

Ana C. disse...

Disse caramba que vieste inspirado :) Obrigada pelas tuas palavras...

Ana C. disse...

Cat o António só não se chama Francisco porque já temos muitos na família. Sempre foi o meu nome de eleição :)
Sabes que gravidezes e partos alheios fazem-nos sempre pensar, mas não tenhas pressa. Vai curtindo o teu Francisco e quando estiverem preparados força. ´Cada família tem os seus próprios ritmos e eu levei 4 anos a ganhar coragem...

Ana C. disse...

Cláudia muito obrigada. Sabes que o Disse é um homem sensível, dá uma espreita ao blog dele porque vale a pena ;)

Ana C. disse...

Precis a Alice da nossa parte está preparada para o que aí vem e tenciono enchê-la de tarefas para que se sinta parte de tudo, mas da teoria à prática às vezes vai mesmo uma grande distância :)

Ana C. disse...

CarlaB adorei a tua história :)
Eu demorei algum tempo até me sentir preparada para ser mãe de novo, depois fechei os olhos, respirei fundo e disse sim.
A decisão de sermos pais tem uma grande dose de aventura inerente...

Ana C. disse...

Ana. sua grande inqualificável chatíssima-gaja-que-faz-chorar. Isso são coisas que se digam? Eu nem sequer tenho jeito para receber elogios, quanto mais super elogios como o teu. You Kill Me.
Muuuuuuuuuito obrigada vou estar sempre aqui :)

Ana C. disse...

gralha sua prenha mais prenha que eu, muito boa sorte para ti em solo americano :)

Ana C. disse...

PP Fantasma achas que Fevereiro é um bom mês seu tarólogo? Por acaso também gosto do mês de Fevereiro sim senhor. Muito obrigada :)

Ana. disse...

Não é elogio. É verdade. E tu sabes.
;)

mãeee disse...

Está quase Ana CÊ ... quase quase a sentir o milagre de ser abalroada por amor quando os vires aos dois juntos ... essa sensação de complitude que a maternidade nos proporciona. O coração salta de fora do nosso peito para ir morar em dois pequenos seres que nos dizem tudo o que importa nesta vida. São os nossos potes de mel no fim do arco-íris

E a Alice vai acolher e ser acolhida pelo António, num caminho que se fará dos pequenos pormenores do dia a dia, no renascer ou recriar das vossas rotinas (os meus bebés sempre ofereceram um presente aos irmãos mais velhos, que guardam religiosamente como um grande tesouro "foi a mana que me deu quando nasceu"!)
beijos emocionados

Sónia disse...

Espero que corra tudo pelo melhor e como se costuma dizer na minha zona, que a tua hora seja pequenina :) Tudo de com para ti e para a tua família.

Sónia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.