terça-feira, 18 de setembro de 2012

A cidade às pessoas

Tenho um parque urbano aqui muito perto de casa, cujo parque infantil foi vandalizado e os placards com a informação das espécies que podemos nele encontrar, partidos sem dó, nem piedadade. Acrescido a isto, já não vou mencionar os cagalhões de cães que polulam no relvado e que impedem os putos de correrem livremente, a menos que gostem de brincar atirando cagalhões uns aos outros pela relva, qual paint ball improvisado.
Hoje visitei o Bosque dos Gaios, um sítio tranquilo, que deveria pertencer às pessoas e não aos cães, mas infelizmente e, apesar dos sinais à entrada, que apelam à trela e aos sacos para fezes caninas, fartei-me de ver cães à solta a cagarem a seu bel prazer, enquanto as donas se passeiam tranquilamente sem saquinhos nas mãos, nem nada que indicíe vontade de não sujar o nosso espaço.
Dentro do pequeno bosque, passei por umas hortas comunitárias, ideia que adoro e aplaudo a 100%, mas tinha que ver um grupo de velhas a gamar couves da horta.
Portanto, a minha conclusão é que nós não merecemos espaços deste género. Não sabemos lidar com a liberdade que nos oferecem e somos, por natureza, javardos.
Quantos mais anos terão que passar para entendermos definitivamente o que é a comunidade e o respeito que temos que ter pelos espaços partilhados?
Onde poderei ir com os meus putos? Onde respeitarão as regras? Onde serão menos javardos?

9 comentários:

Maggie disse...

Felizmente o parque urbano que tenho perto de casa é limpo e ainda está em excente estado.

Bjos
Maggie

Naná disse...

Este fim de semana fui até um espaço de lazer numa cidade próxima e constatei o mesmo: senhoras com lulus a cagar sem que elas se preocupassem minimamente se isso poderia ser nocivo para as crianças que brincam no parque e na relva. Tive vontade de pegar no cagalhão e fazer-lhes pontaria!

Além do mais, o cão do vizinho tem a predilecção de vir cagar à minha porta... até ao dia em que espete com o cagalhão na tromba do vizinho que abre o portão e deixa-o andar solto e à lá gardé!

Sandra disse...

Tal e qual!!Farto-me de me queixar sobre o mesmo no meu bairro, quer sobre os espaços verdes, os recipientes de reciclagem ou contentores do lixo, até sobre qualquer passeio. É o chamado dar "pérolas a porcos"! Os serviços de limpeza do concelho cumprem o seu dever: varrendo, limpando, desinfectando até certas áreas, pois é ver quase de seguida os cães passeando os donos (que olham para o lado oposto fingindo não perceber que borram tudo, até por baixo das janelas dos vizinhos se for preciso, ou nos passeios que deixamos de poder utilizar, protegidos por varandas, caso chova), mais irritante ainda: ver as pessoas a deixar o lixo no exterior dos recipientes (com estes cheio de espaço no interior), as mobílias que deixaram de lhes servir (sofás, electrodomesticos!Sabendo que há dias fixos para que a carrinha da camara municipal recolher sem custos), um nojo, uma vergonha. À minha porta esvoaçam papeis de publicidade, como folhas de Outono, que atiram para o chão em vez de levar para o lixo de casa ou de dar meia dúzia de passos para os colocar nos da rua...são tantos os maus exemplos, é tanta a falta de respeito e civismo, fico tão desiludida como furiosa que chego a desejar multas pesadas, com a eficiência ao estilo EMEL, para esta gente.

Teresa I. disse...

Ora, podem ir a tantos sítios! Holanda, Dinamarca, Finlândia, Suécia, Noruega... Às vezes só é preciso termos boa vontade! :P

Maffa disse...

Eu acho que a falta de civismo dos donos de cäes universal e invencível.
Vivo na Dinamarca e aqui há montes de regras para os cäes näo estarem, näo defecarem, limpar o coco, saquinhos espalhados, obrigacäo de usar trela e o camamdro e eu continuo a sujar o pé... continuo a levar com caes em cima que querem comer o meu piquenique, o meu filho continua a ficar assustado com caes que ladram excitadinhos, tudo...
Isso da EMEL dos cäes era uma grande ideia! só assim as coisas melhoravam...

Melissinha disse...

Olha, na minha zona são bastante respeitadores - e já vi malta a chamar a atenção de gente incumpridora.

Acho que temos todos de envergonhar a malta dos cagalhões.

Sandra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sandra disse...

Melissinha, concordo contigo. É preciso começar mesmo a envergonhá-los, logo ali, no momento, na hora H. A beata de cigarro arremessada, a tocar o passeio e logo tudo a insurgir-se contra o desrespeitador. A caganita do cão ao abandono, oferecida pelo dono pouco cívico, pimba!, tudo a apontar-lhe o dedo e a pedir-lhe satisfações! Ninguém deseja este tipo de atenção pública, muito menos a vizinhança em peso a cair-lhe em cima por cada javardice cometida.

conceicaobarreta disse...

Era uma boa maneira para as autarquias fazerem dinheiro,multar essa gente que não respeita o espaço público,os nossos politicos não querem,em Lisboa já se falou nas multas e nos espaços próprios para os cães "cagarem"mas ficou tudo em águas de bacalhau,ficou tudo muito escandalizado,eu já interpelei donos que não "viram"o cócó dos seus lulus e ainda me trataram muito mal,gentinha do c.....o.