segunda-feira, 1 de abril de 2013

putos

Há quem diga que depois de se ter filhos, passa a achar-se menos graça às crianças dos outros.
Comigo foi o oposto, pois, apesar de já não ter tanta paciência, passei a achar-lhes o dobro da piada, entendendo-os muito melhor do que antigamente e, confesso, valorizando os meus próprios filhos.
Se é um bebé tímido, que se enterra no pescoço da mãe assim que entra numa sala cheia de gente, não o pressionem. A melhor coisa que podem fazer por ele é ignorarem-no, sem stress.
Ele há de sair da sua casca e quanto menos o massacrarmos, mais rapidamente o fará, ao seu próprio ritmo.
Pobres putos tímidos que têm que levar com centenas de perguntas, festinhas, cutxi cutxis e pobres mães de putos tímidos que têm que justificar-se a cada instante pela falta de interesse do filho em entabular relacionamentos profundos com desconhecidos.
Eu tenho uma tímida (agora muito melhor), que enfiava a cabeça no meu rabo, de cada vez que entrava numa sala cheia de gente e um simpático ser sociável, que diz "bom dia e obrigado" a todas as empregadas das lojas. Saíram os dois da mesma mistura genética, eduquei-os da mesma forma, por isso, nada disto é contornável. Há feitios diferentes e há que olhar para os putos como pessoas pequenas e não seres homogéneos, mais ou menos todos iguais. Não podemos dirigir-nos a todos da mesma maneira e isso não é necessariamente mau. Aproveitamos para treinar as nossas próprias competências sociais :)

6 comentários:

Maggie disse...

olha que giro nunca tinha pensado nisto, e acabo de perceber que pertenço á outra metade, aquela que depois de ser mãe acha mto pouca piada ás outras crianças!

bjos
Maggie

gralha disse...

Podia ter escrito este post.

O pessoal não respeita a timidez. E eu ainda não sei bem como lidar com isso, porque a minha vontade era virar bulldozer e varrer todos aqueles que não dão espaço ao meu rapozinho. Mas tenho de o largar no mundo cruel e esperar que se safe...

Naná disse...

Olha que não noto diferente do pré-mãe para agora. sempre gostei de miúdos, tímidos ou não!

O meu é um ser social, o que por vezes até assusta... porque acaba por ser pouco ciente do perigo de estranhos...

Inês disse...

Tenho dois assim, só com os géneros trocados. Também eu tendo a desculpar a timidez do mais velho, e sofro por ele, porque não é fácil lidar com a exuberância da irmã e com os comentários parvos de pessoas ainda mais parvas.

triss disse...

Sou como tu, depois de ser mãe passei a compreender melhor as crianças:-)

os 3 Viajantes! disse...

"Cai" neste blog e prendi-me neste post... já tinha pensado mais ou menos nisto, de facto depois de ser mãe, sinto mais próximidade com as crianças, embora sempre tenha tido alguma, mas agora acho que as percebo melhor só pelo olhar que trocamos, dá para ver se é daquelas que gosta de brincar logo ou se é daquelas que gosta de pisar terreno primeiro...:P É de facto um mundo mágico que muitas vezes nos enlouquece!!:P lol
Vou seguir o blog!;)