quinta-feira, 8 de julho de 2010

A Tusa Artística Portuguesa



Nós somos merdosos em quase tudo é bem verdade, mas em termos de mentes criativas conseguimos sublimar a merdice, pois somos medíocres, medíocres a armar ao pingarelho, que é o pior que se pode ser.
É triste constatar que nem numa revista que vende gajas nuas classudas, conseguimos arranjar gajas com classe, mas mais triste ainda é julgarmos que enfiarmos Jesus Cristo numa capa de uma revista erótica é arte.
Sim ai que tusa que deve dar esta capa, ai o génio criativo por detrás desta ideia brilhante, ai tanta intelectualidade mal compreendida por pessoas um bocadinho broncas como eu.

7 comentários:

Melissinha disse...

Queria tanto não concordar, mas concordo, ai, se concordo.
Merdosos armados ao pingarelho. E infelizmente, não é só nessa revista chunga.

Melissinha disse...

E nem acho que seja por ter metido o JC - por exemplo, adoro aquela campanha da Benetton da década de 90, super chocante mas muito bem conseguida artisticamente, em termos de cores, expressões, tudo - acho que isto é uma merda porque é MESMO uma merda: má ideia, gratuita até mais não, foto porca, modelos miseráveis.

E até dá para ouvir a ideia atrás: ai, Saramago era um provocador, e tal. Vamos lá fazer uma cena muito à frente, à Saramago.

Argh, fiquei mal do fígado!

Ana C. disse...

Melissa não tem rigorosamente nada a ver com a campanha da Benetton, nada. Associar JC a roupa é uma coisa, associá-lo a uma revista erótica e a bordeis é outra completamente diferente.
Viste as páginas de dentro, com JC no bordel, gajas com metrelhadoras etc? É puro atrofio mental e ponto final. Aliás, desde o começo que a Playboy portuguesa se tem revelado uma merda medíocre cheia de gajas bregas.

Ana C. disse...

Até a gaja que escolheram e que está deitada na cama tem mamas compradas. No tempo de JC não havia mamas destas, pois não? que falha histórica grave.

gralha disse...

É bastante difícil calar uma gralha mas esta capa deixa-me mesmo sem palavras. É que não lembra mesmo ao Menino Jesus... E o que vem a seguir? Uma ilustração infantil para homenagear a Matilde Rosa Araújo???

aniebit disse...

Sim... Claro que sim!
Concordo plenamente!

Há alhos que não se misturam com bogalhos.
Entristece-me a alma esta confusão de ideias publicitárias que nos impôem todos os dias.

Ser criativo e diferente ou inovador não significa ausência de limites, há que haver coerência e sensatez, afinal estas devem ser caracteristicas de qualquer bom profissional.

Joanissima disse...

gralhinha, e tu achas q esta gente sabe quem era a Matilde Rosa Araujo???? : )))

Sabem do saramago pq deu na telebisao e tudo...

País mais mínimo, meu Deus.