sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Uma coisa que me faz rosnar

Se há coisa que me revira o lobo central ao contrário e me troca o hemisfério Norte pelo Sul, é entregar o dinheiro na mão à senhora que está atrás do balcão e quando lhe estendo a mão para receber o troco, ela espalha o cascalho todo pelo balcão.
Hoje então estive mesmo para pegar nas moedas que a senhora projectou com desprezo sobre a superfície sebosa à minha frente e atirar-lhas às ventas.
Caramba, não pedia um atendimento britânico com Love para aqui e Love para acolá, mas os mínimos dos mínimos por favor.

7 comentários:

I. disse...

Falta de educação, pura e simples. Atender público não é para qualquer um, mas qualquer um consegue acabar atrás de um balcão.

Ana disse...

E aquelas que te dão um troco e nem um obrigada? Quem não quer trabalhar, que dê lugar aos outros!

gralha disse...

Gosto mesmo, mesmo é quando eu digo um "bom dia" sorridente e nem alteram a cara de bidé...

MARIINHA disse...

O pior é que esta gente, que não liga nenhuma ao trabalho que faz, tavez esteja a tirar o lugar a alguém que podia ser mais atencioso e interessado. Se não gostam do que fazem, deixem o lugar. E depois dizem que o comércio está em crise.

Jo disse...

a primeira vez que um senhor muito simpatico em Inglaterra me tratou por "my love" eu pensava que ele me estava a assediar. Demorei algum tempo a aceitar confortavelmente o ser bem atendida

Marina disse...

É o que mais se vê por aí, é má educação atrás dos balcões. Também já me aconteceu umas poucas de vezes essa do dinheiro, fico doida! É por estas e por outras que o comércio tradicional está como está. (Digo comércio tradicional porque é a minha experiência.) Bjs

Dulce disse...

Mas também há o reverso da medalha. Dizermos "bom dia" e perguntarmos a um cliente se precisa de ajuda, e o cliente não olhar para nós e resmungar um "não" mal-disposto. Também acontece. Sou lojista, sim.