sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A Urgência do Crescimento dos Putos

Confesso-me ignorante no que toca a escolas e putos, pois só sei das aventuras dos filhos de pessoas próximas de mim. A Alice entrará este mês, mas cai fora do usual, pois vai mais tarde do que é costume. Ultrapassando esta bela introdução, há de facto coisas que me fazem um bocadinho de chateamento cerebral:
Porque carga de água metem os putos a comer sozinhos desde o berço? Sim, eu compreendo que seja impraticavel, alimentarem dezenas de crianças individualmente à hora das refeições, mas se o nosso puto é daqueles que não tem prazer em comer e pensa que o prato à frente dele é um mero suporte de material de brincadeira, lixam-nos a vida em casa, pois temos a criança a brincar com a comida em vez de introduzi-la na bocarra e a recusar-se a ser alimentada por nós. Um bebé de 1 ano, se não for portador de um apetite voraz, associando automaticamente o prato com comida ao saciar da fome, vai inevitavelmente brincar, atirar, projectar, gritar, enquanto o chão, paredes, tecto, mesa e afins são pintados com tinta alimentar.
Há quem ache que tudo isto é pedagogicamente encantador, que os miúdos devem ser atirados para a independência desde o útero, mas eu só pergunto:
Qual é a pressa?
Não é verdade que todos os miúdos, mais cedo, ou mais tarde comem as suas refeições sozinhos? Então e se for um bocado mais tarde, é crime pedagógico? É incompetência materna?
Ai que horror, os teus filhos ainda não comem sozinhos?
Olha não, é que se eu ficasse à espera que comessem sozinhos, olhando-os em hipnotizante encantamento, enquanto me cagavam a casa toda, fecundando-me a paciência até ao infinito, desconfio que por esta altura pesariam 2 quilos, eles e eu.
Se der fantástico, se não der, não deu.

8 comentários:

Luz de Estrelas disse...

Há outras vantagens, que é o facto de poderes jantar descansada. O meu fez agora cinco anos sabe comer sozinho perfeitamente, mas o paizinho continua a dar-lhe à boquinha e ele não se faz de rogado. Vai à boleia do mimo e se ninguém lhe dá a comida à boquinha, faz birrinha. Coisa linda da mãe. Na escola é vê-lo a comer todo acelerado, não vá a comida fugir-lhe para o prato de algum colega. :) Agora a sério, sem pressa, mas com o devido beliscão à autonomia, caso contrário aos 15 ainda querem comida à boca. Resumindo, lá para os dois, três já têm de saber fazer um churrasco para os pais!

Olá!

gralha disse...

Espero bem que enfiem um funil na boca do Diogo lá na escola senão ele não come nada. De resto, como em tudo, tenho muita pressa que sejam independentes. Porque gosto de ser independente.

Ana C. disse...

Meninas, a questão é que um bebé de 1 ano sem apetite não vai comer coisa nenhuma, vai engonhar e sujar...
Quanto à independência, já percebi que cada caso é um caso e que cada miúdo tem os seus próprios ritmos, acelerar um miúdo que não está ainda pronto, ou atrasar um que já está há de trazer chatice. Isto também já sei por experiência própria. Há putos mais independentes do que outros.

Marina disse...

Ámen! ihih Bjs

Melissinha disse...

O meu é incrivelmente independente, o problema é não ter competência para tamanha independência.

Não sabe comer sozinho mas acha que sabe, portanto.

Luz de Estrelas disse...

Exacto. Por isso te disse, lá para os três trata da independência, até lá é deixá-los ser bebés, cum carago.

Ginguba disse...

Melissinha, esse é o problema dos filhos em geral..acham que são independentes! E olha que tem tendência a piorar ;)

Marina disse...

Agora com mais vagar: também acho que eles têm tempo de crescer , serem independentes, enfim, de saírem debaixo da nossa asa. Mas por enquanto deixá-los cá estar! Ainda ontem vi um vídeo do Manuel com uns 13-14 meses e fartei-me de chorar de saudades... Bjs