terça-feira, 11 de agosto de 2009

Como Ganhar o Dia em 10 Minutos


Ontem enquanto fazia o almoço cheia de pressa deixei cair o pacote de arroz no chão e milhares de grãos barulhentos espalharam-se por tudo quanto era sítio, frincha, abertura, debaixo da máquina da loiça, no meu cérebro. Um verdadeiro pesadelo. Enquanto vociferava furiosa comigo própria e com a minha estupidez, a Alice entrou na cozinha alarmada pelo meu pânico e ao ver aquele gigantesco tapete de cereal no chão da cozinha:
- Espera aí mãe, não te preocupes.
E correu para dentro, regressando com uma panelinha de brincar. Ajoelhou-se no chão e começou a apanhar grão, a grão, com uma dedicação enternecedora.
Sem grande consciência da tarefa utópica que acabara de iniciar, dedicava-se de corpo e alma a ajudar a mãe para lhe tirar a aflição do rosto.
Não precisei de rigorosamente mais nada para ganhar o dia.
E quando de aspirador em punho lhe mostrei como afinal de contas não era assim tão dramático, ela sorriu com a sua panelinha cheia de arroz nas mãos e disse:
- Estás a ver não era preciso gritares, és mesmo tonta sabes?
- Sei Alice, por acaso até sei.

14 comentários:

Melissinha disse...

Eu deixaria lá o Gabriel a tarde toda a catar milhos enquanto lia um livrinho, cheia de culpa e feliz.

Lia disse...

as crianças são o que basta p nos fazer sorrir, né? relativizam as preocupações c uma facilidade incrivel... o que é um pacote de arroz pelo chão comparado c a ternura da tua filhota?

jocas gordas

JBrito disse...

Incrível este blogue impressiona-me sempre!?

PARABÉNS!

Agora ao que interessa, nós adultos somos umas bestas, realmente as crianças são lindas é pena é que eles/nós vamos perdendo estas e outras tão boa qualidades á medida que crescemos!?

JBrito disse...

Deve ser do o2 ou a falta dele, quanto mais para cima mais escasso é, ou um conjunto de factores sócios ou culturais que nos são impostos por cérebros dementes de Pessoas Estúpidas que governa e igrejas e religiões e coiso e ou se calhar não é nada disto!?

Ana C. disse...

Melissa sua grande bitch, como é que não me lembrei disso?

Ana C. disse...

Lia eu tenho uma sorte tremenda, pois tenho uma criança em casa que me ajuda a relativizar muita coisa. Eles vêm as coisas como eu muitas vezes gostava de ver...

Ana C. disse...

JBrito, como pessoa que sou, fico muito vaidosa com o teu elogio.
Também me pergunto muitas vezes porque é que temos que perder tanta coisa boa que estava lá quando eramos crianças.
O que vale é que estou sempre a aprender com a criança aqui de casa e a relativizar muita merda que antes me punha maluca, como apanhar arroz do chão ;)

JBrito disse...

Há pessoas e Pessoas.

Miguel disse...

E depois fica aquele amargo de boca por nos termos irritado com nada!!

Ginguba disse...

:)

Ana C. disse...

Miguel tu sabes...

Maria Lapa disse...

Parabéns pelo blogue.

Também há cá por casa uma Alice, mas já não vê o Puff nem brinca com panelinhas.

Bjs

Maria

ML disse...

:) amorosa a Alice!

Maria disse...

Que ajuda deliciosa :)
beijinho.