segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Quantos Casamentos

Porquê a obsessão de convidar meio universo inter galáctico e arredores para o casamento?
Qual é a piada de partilhar um momento tão íntimo com uma cambada de pessoas que se conhece apenas à superfície?
Eu por mim dispenso, já não aguento nem mais uma boda em que mal conheço os noivos, em que tudo aquilo é puro frete, em que não sinto nada além da vontade de tirar os sapatos apertados e ir embora.
Depois para agravar o frete em si por um qualquer motivo obscuro que ainda estou para entender eu e o Hugo ultimamente éramos sempre colocados na mesa da terceira idade. Não que tenha nada contra essa faixa etária, muito pelo contrário. Mas quando estão literalmente a cair da tripeça, com as dentaduras sempre a descolarem-se de cada vez que falam é difícil manter-me acordada. Aliás é quase impossível sentir-me viva depois de três copos de vinho.
E os presentes? As listas de casamento pomposas em que não conseguimos escolher absolutamente nada para o nosso humilde bolso?
Acabamos por oferecer timidamente uma colher de café da Vista Alegre que rebenta com o nosso orçamento limitado para prendas de casório e nos faz sentir ridículos por darmos uma colher a um par de noivos, ainda que custe os olhos da cara.
Enfim, tradições não são de facto o meu forte e casamentos de quem mal conheço fujo deles a sete pés...

33 comentários:

Joanissima disse...

Pronto, ok, não te convido para o meu... ahahahahah

De facto, é um exagero. E não calculas tu a trabalheira que dá aos noivos preparar uma brincadeira dessas.... É uma palermice tanto mais que nem eles aproveitam o dia tal é o stress.

Os presentes são outra palermice... A maior parte das coisas nunca chegam a ser usadas mas têm que cosntar na lista pq é fino...
A minha proxima lista de casamento vai ser numa agencia de viagens... Quero patrocinio para ir laurear!!!! : ))))

joana disse...

Eu ando a pensar em dar o nó. Vamos para fora,para um país que ambos gostamos, sem pais, sem amigos, só os dois! Sem os stresses inerentes a esse tipo de festas que nada me dizem. E o melhor é q estou logo de lua de mel!

Miguel disse...

Completamente de acordo!! Neste momento declino quase todos os convites. Afinal, já quase todas as pessoas realmente importantes para mim se casaram!

Marina disse...

Eu agora estou na fase de apenas retribuir a quem foi ao meu casamento. Não vou a outros além desses. Primeiro, não há orçamento. lol E agora toda a gente escolhe ir para quintas caríssimas e depois parece mal não dar de presente o equivalente ao que os noivos pagam por cada convidado. Uma estupidez. Um casamento onde fui recentemente os noivos ficaram à rasca e mt chocados por não conseguirem pagar a boda com o dinheiro das prendas. lol Ora fod@-se, fossem para um sítio que conseguíssem pagar sem estarem dependentes de prendas, que foi o que eu fiz! ;)

Naná disse...

Por estas e por outras é que eu nunca fiz um casamento. E sempre disse que se o vier a fazer convido apenas cerca de uma vintena de pessoas, entre amigos do peito e familia mais próxima! O meu pai é que fica chateado quando lhe digo que não convido algumas pessoas de família directa, diz que é feio, mas eu no meu casamento só vai quem eu e o noivo quisermos. Não queremos fazer disso um negócio como muitos: tive uma prima que só aceitava dinheiro como prenda!...
Acho que não passa duma fantochada a maior parte das vezes... muitos «amantizados» como eu, como diz o meu pai, são felizes e nunca fizeram nenhuma festa de casamento...
As mais das vezes faz-se o casamento para os outros e não para os noivos em si, que são as figuras centrais da coisa...

Sílvia disse...

Realmente concordo contigo, antigamente diria que seria pela "prenda" que as pessoas ofereciam e por isso se convidava toda a gente e mais algu+em, mas em tempo de crise não me parece que seja por isso lol.. Enfim é uma profunda estupidez,além disso, detesto casamentos, detesto. Não tenho paciência...

bjo****

Ana. disse...

Gostava mesmo de te deixar a minha opinião sobre o assunto, mas é muito extensa, e não vais acreditar como me doem os dedos...

Mas como é uma coisa que me interessa bastante, um dia faço um textinho sobre isto em forma de comentário, pode ser??

;)

Ceres disse...

Eu não fiz festa de casamento e nem imaginas os muitos comentários. Ora era a tia que estava triste porque já não gostávamos dela....pffff.... ora a sogra com a chantagenzinha emocional... e até a mulher do ouvires onde mandamos fazer as alianças disse: "então, mas assim não recebem prendas?!!!"
Socorro!
Nunca pensei que as pessoas gostassem tanto de meter o bedelho num dia que era meu e do noivo. Fomos apenas nós que casamos, não os duzentos convidados que queriam que nós tivéssemos...
Enfim... Um filme...
Talvez aproveita a tua dica e a da Ana. e um dia escreva um post sobre isso ;-p

socasmoinhosebicicletas disse...

Uiii... Ir a um casório e ainda por cima ter de ficar na mesa da brigada do reumático é dose, ah ah ah ah ah ah!
Eu, desses eventos, até fujo e dou graças a Deus que todas as minhas amigas mais chegadas já deram o nó. Já há uns cinco aninhos que a tortura parou, safa!

Banita disse...

Eu até gosto de ir a casamentos. Porque tenho de arranjar a farpela para ir, porque a mala tem de combinar e quais são os sapatos, etc... Gosto pelo convívio, gosto de dançar e cantar (quando há karaoke), comer diferentes pratos e experimentar um pouco de tudo! Prendas caras? Dei uma vez! Dei uma parte de um endredon que custava não-sei-quantos-euros! Prefiro dar dinheiro que os noivos possam transformar em qq coisa que lhes faça falta! Agora, já se casaram quase todas as minhas amigas, embora ainda haja uma ou outra resistente. :)
Eu costumo dar mais um bocado do que a refeição vai custar. Não dou prejuízo mas, também não é com a minha prenda que vão às Maldivas (a não ser que os pais paguem a boda o que não foi o meu caso).
Cada um sabe de si mas, eu até já tenho algumas saudades de ir a casórios, o último foi em 2006 ou 2007, salvo erro.

Hugo Carvalho disse...

Convida-se muita gente para pingarem mais chequitos, ora bolas. A malta não é parva e quer ir para a República à pala.

Kitty disse...

Ainda não percebi se as pessoas se casam pelo significado do casamento ou pelo negócio lucrativo em que estes se trasformam.
Eu digo NÃO a casamentos.

Melissinha disse...

haha ali tá como o hugo, mas não foi, fui eu.

Only Words disse...

Eu sou suspeita em tudo o que possa dizer, porque casamento e only não combinam. Mais respeito quem queira "oficializar" a união. Casamentos de pessoas que conheço superficialmente e? Não, obrigado!

Tasha disse...

Como te entendo. O meu casamento foi no intervalo do trabalho e só foi uqem quizz aparecer, porque sabia que iamos casar (cerca de 5 pessoas). O copo de água foi no café (cafés e pastelinhos de nata). No dia seguinte fomos felizes.... trabalhar... Muito practicos!

Ana C. disse...

Joaníssima melher agora cada vez mais se usa essa coisa das agências de viagem e olha que é de facto uma bela ideia sim senhora.
Quando casares avisa.

Ana C. disse...

Joana cada um sabe o que é melhor para si, só é pena que não se respeite isso...
Se te fores casar para uma Ilha deserta tira fotografias e publica se fazes o favor ;)

Ana C. disse...

Miguel tu não acreditavas na quantidade de fretes que tive que fazer porque o chalado do Hugo não tem coragem de recusar. Colegas de trabalho dele!!! Achas normal???

Ana C. disse...

Marina AH AH AH AH Sim agora está muito na moda os copos de água nas Quintas de benzocas falidos que decidiram dedicar-se ao cattering :)

Ana C. disse...

Naná nos convites de casamento da tua prima dizia assim:
Homens - Fraque
Mulheres - Vestido
Consumo Mínio - 200 Euros de prenda?
Ah ah ah ah ah
Olha eu casei-me sim senhora, mas só foram as pessoas realmente importantes que iam vestidas como quisessem e davam o que bem entendessem.

Ana C. disse...

Sílvia penso que não há prendas que alcancem o valor que certos casamentos atingem...

Ana C. disse...

Ana. Fico à espera do teu texto, quando tiveres tempo para respirar :)

Ana C. disse...

Ceres se queres realmente levar com os outros experimenta dizeres que vais casar. Acabei de inventar este ditado :)
As pessoas metem-se EM TUDO a partir do momento que dizes que vais dar o nó...

Ana C. disse...

Socas aquelas pessoas que importam para mim também já deram o nó. Esse é que é o problema, agora é só fretes e o xoné do meu esposo não consegue recusar!!!!!

Ana C. disse...

Banita gabo-te a paciência sim senhora...

Ana C. disse...

Melissa mas isso é estúpido, pois quanto mais gente convidas mais massa gastas!!!!

Ana C. disse...

Kitty eu casei-me, mas não tive grande lucro, só com o Hugo claro :)

Ana C. disse...

OnlyWords eu também respeito e eu casei como manda o figurino, mas só convidei quem realmente importava.
Eu só falo daqueles que convidam praticamente estranhos com quem têm apenas relação profissional...

Ana C. disse...

Tasha AH AH AH AH Olha que casamento em conta sim senhora!!!!

Naná disse...

Não chegou a tanto... mas uma amiga minha fez-me gastar uma pipa de massa para ir ao casamento dela de chapéu! Logo eu que adoro andar com coisas enfiadas na cabeça... sabes lá o frete que foi andar com aquela joça na cabeça... ainda hoje o guardo religiosamente para me lembrar que amigos mentalmente sãos não nos exigem parvoíces iguais àquelas...!

Melissinha disse...

Olha, se eu recebesse um convite de casamento com exigências, não ia. Para mim seria um recado claro de que a pessoa achava fraques e chapéus mais importantes do que a minha presença.
(No meu casamento houve uma exigência, que por acaso foi prevaricada: as gravatas estavam proibidas. O Hugo casou de ténis e a mãe dele reclama até hoje.)

Ginguba disse...

O meu casamento também foi em conta!
E ainda hoje, já lá vão 20(!) anos, há pessoas q se lembram do meu vestido nada de noiva!
:D

Eva disse...

Como te dou razão...as coisas que se inventam agora para os casamentos deixam de ser simplesmente risíveis para serem absolutamente ridículas...ele são os convites em embalagens que não lembram nem ao Menino Jesus, as "alembranças" para os convidados, extremamente úteis para encher gavetas em casa de quem tenha espaço para isso, as fantochadas tipo Klus Klus Klam (será que é assim que se escreve?!) para transportar e partir o bolo!!!!!!
Eu casei vai para dez anos, com o único vestido que sempre tinha dito que usaria se me viesse a casar - um modelo Armani feito por umas modistas conhecidas para o qual tive a sorte de encontrar o tecido ideal, que me ficou em 50.000$00 (tecido e confecção)em "dinheiro antigo" - como dizem os meus clientes - e que foi elogiadíssimo até por um entendido da especialidade que naquela altura ainda frequentava as n/ festas de família na qualidade de afim; sim, porque os convidados - que não chegavam a 50 - só incluíam a família mais próxima e, da minha parte, a única amiga que conservo desde a escola primária. O almoço foi servido na antiga casa dos meus avós - que não é uma quinta de "benzocas falidos" mas é um casinha de aldeia com um pátio recatado e charmoso,o que fez com que a maior parte dos fins-de-semana desse Verão fossem preenchidos com almoços de família digeridos em sessões de limpeza de trastes que nunca ninguém tinha tido pachorra de deitar fora - e a isto se resume o mais "stressante" da preparação do casamento! Isso e o bolo...que como não me preocupei devidamente com o assunto era feíssimo, fealdade que ficou bastante atenuada nos registos fotográficos amadores - uma vez que o fotógrafo oficial só teve ordem de estar presente na igreja - pois os rolos de ambos os m/ cunhados (na era pré-digital à época) já deviam estar fora de prazo e as fotos ficaram com um belo tom esverdeado que atenua mágicamente as cores e contornos da decoração do bolo!!!
Ah...e a lista de casamento tinha prendas maravilhosas que ainda hoje usamos com gosto e que eram tão "bon marché" que alguns dos convidados ofereceram mais do que uma, a lua-de-mel foi um périplo por alguns sítios que mais gostamos em Portugal.
E a esta hora está toda a gente a pensar...coitadinha, esta é mesmo pobre! Segundo a SIC até poderei ser, mas não o sinto e acho que até nem pareço...!!!embora uns extras para viagens às vezes viessem a calhar!
Está visto que a mim não me doem os dedos!!!