sábado, 8 de agosto de 2009

A Importância de Nos Sentirmos Assim

Acho que no fundo o que todos precisamos é de nos sentirmos importantes na vida de alguém. Pode ser na vida de um filho, de um marido, de uma mãe, de uma irmã, de um amigo, ou até de alguém que se cruza no nosso caminho por poucos minutos.
Porque quantificarmos aquilo que valemos vale mil vezes mais pelo olhar dos outros do que pelo nosso próprio olhar.
Posso até saber que faço bem o meu trabalho, mas um pequeno elogio do meu patrão é um incentivo melhor que gasolina.
Um médico pode sentir-se a pessoa mais competente do mundo, mas se alguém lhe agradece por lhe ter salvo a vida, ou até por algo mais pequeno, mas tão importante, como lhe ter aliviado a dor, tenho a certeza que se sentirá recompensado pelas horas de banco.
Uma mãe pode sentir que cumpre o seu dever, mas quando vê o sorriso nos lábios do filho, sente que valeu a pena.
Uma mulher pode até saber que é amada, mas se não ouvir de vez em quando que ainda importa, que ainda representa mais do que uma peça de mobília, acabará transformada nas suas próprias tarefas, perdendo-se.
Por isso enquanto importarmos para alguém vamos sempre amar-nos mais um bocadinho...

19 comentários:

Ginguba disse...

O seu blog é lindo, Ana!
E eu não a conheço mas cada vez gosto mais de vir aqui!

Melissinha disse...

Olha uma confirmação a voar em direcção a esse fim-de-mundo em que vives:

És FANTÁSTICA!Pau para toda a obra! Uma grande mãe de família E grande escritora! Num pacote só!

(Vale o que vale mas é sincero.)

Naná disse...

É tão verdade!
Sabermos que deixamos uma marca por muito indelével que seja em alguém!
Sem dúvida que neste momento, o melhor que sinto é quando vejo o sorriso do meu filhote quando me vê, quando chego a casa do trabalho e estende os bracinhos para mim a pedir colinho!

Izzie disse...

Nem imaginas o tempo que eu perco a pensar nisso.
E a massacrar-me por não ser feliz simplesmente comigo mesmo e para mim mesma.
Não seria tão mais fácil às vezes?

Mas não... é sempre preciso o amor, o reconhecimento, o abraço, do outro.

Mas é mesmo assim.

Lia disse...

ate podemos achar que fazemos algo bem, que importamos...mas se ninguem nos disser nunca teremos a certez, né???
olha, aproveito p dizer que gosto mto do teu blog e que escreves mto bem, tu ja devias saber mas fica a confirmação

jocas gordas

ergela disse...

Não há nada como ser pai ou mãe para cumprirmos a nossa obrigação.

Como vês, venho ao teu blogue, ler-te, o que é sempre um prazer.

:) beijo, espero que esteja todo bem contigo, e com rapagão.

AnaM. disse...

E sabe sempre tão bem ouvir coisinhas dessas de vez em quando...quem não gosta?? ;)

carlostgc disse...

Dos post que mais prazer me deu a ler, vai-se lá perceber porquê.

Gosto muito deste blog! :)

Eumesma disse...

Somos sempre importante para lguém nesta vida, só que ás vezes não temos consciência disso, ou ás vezes nem sempre os outros o demonstram.

Olha, gosto mto mto deste cantinho (se bem que ando cada vez mais ausente de tudo e todos), e para mim és importante ainda que não te conheça, identifico-me mto contigo e com aquilo que escreves aqui...

Tenho te acompanhado todos os dias embora talvez tu não o saibas. :-)

Portanto como vês tb para a blogosfera és importante...;-)

E pronto é isso, tb é sincero, isso podes tu crer!

Beijinhos

Ana C. disse...

Ginguba olha que bom que foi ler estas palavras! Muito obrigada!

Ana C. disse...

Melissa tu estás a querer derreter-me, não é you bastard????
Obrigada :)

Ana C. disse...

Naná é quando sentes que estás a fazer as coisas bem, não é?

Ana C. disse...

Izzie todos precisamos de um incentivo de vez em quando. Não nos bastamos...

Ana C. disse...

Lia muito obrigada mesmo :)

Ana C. disse...

ergela e é sempre um prazer constactar que apareces por aqui :)
Está tudo bem obrigada!

Ana C. disse...

Ana M é um bálsamo que todos nós precisamos de vez em quando...

Ana C. disse...

Carlos se calhar porque pensas assim também, não?
Beijinho e obrigada.

Naná disse...

É sim! Porque por vezes tenho mesmo dúvidas...!

Ana C. disse...

Eumesma sinto a tua falta. Acompanhas-me no silêncio, mas lá está de vez em quando gosto que te mostres :)
Quando é que vais emergir lá pelo teu blog?