terça-feira, 12 de março de 2013

fenómeno clone



Um dos fenómenos que mais me diverte, quando enfio os pés e os olhos numa livraria, é assistir ao fenómeno da propagação das capas e dos temas.
Se Marley e Eu originou toda uma enchente de livros sobre animais de estimação e suas aventuras no mundo dos donos, com capinhas fofíssimas de gatinhos e cachorrinhos. Se o Código Da Vinci foi o fermento para centenas de livros com mistérios intricados no Vaticano e no Pelicano, eis que assistimos ao fenómeno erotismo sensualíssimo para mulherio com pipi carente.
A propagação deste novo género não necessita de muito além de uma capa parecida com a trilogia do momento. Reparem nos tons da capa, no tema fantasia sensual:
Um tem uma gravata em tons cinza mistério. Instigando assim o neurónio sensual à possibilidade de atar mãos e pés com gravatas de seda. Outro aposta no salto agulha, deixando transparecer as infinitas possibilidades que um salto alto pode proporcionar no imaginário erótico. Desde o salto no gasganete masculino, ao salto associado à meia com ligas:
Talvez se fizermos capas parecidas, o mulherio mais distraído se engane e leve este do salto alto, pensando estar a levar o da gravata. No próximo vamos pôr um laço de fraque para lançar o pânico na memória visual.
E, depois de ter celebrado, comigo mesma, o compromisso de não deixar aqui opiniões negativas sobre autores portugueses, até porque a minha opinião não é assim tão relevante, agora limitar-me-ei àqueles que não têm alertas do Google em português :)
Aproveito para dizer, que o livro da Dulce Maria Cardoso, "O Retorno", do qual já me tinham falado tanto e eu insistia em deixar para depois, é uma pérola.

8 comentários:

macaca grava-por-cima disse...

pérola é pouco... lê-se de um fôlego só!

Junto à Janela disse...

A primeira vez que me apercebi desse fenómeno foi com os vampiros. Lembro-me de entrar na Bertrand à espera que algo falasse comigo e me cativasse e em todas as prateleiras eram livros todos diferentes mas só de vampiros e do obscuro, com capas e sinopses tão semelhantes.
Escusado será dizer que saí de lá sem trazer nada.

disse...

Também há "agora é moda ler-se isto"! :)
ahahah muito sui generis pipi carente!!!

Naná disse...

Olha e para te ser absolutamente sincera, nem um nem outro me atraem... não sou dada ao cinzentismo!

Outro fenómeno sui generis no mundo da escrita foi a série de figuras conhecidas da praça de repente se armarem ao pingarelho e virarem chefs de cozinha cheios de sucessos e receitas culinárias, aspirando a ser Jamie Oliver!

Melissinha disse...

E o fenómeno clone em blogs? Pena não ter é capa.

Aislin disse...

Já começei a ler esse, do Retorno, oferta de uma tia minha cuja perdição por livros é quase tão grande (vá, tão grande) quanto a minha! =)

Quanto ao tema "pipis carentes" (o que me ri!!! ahahah) nem nunca tive interesse, assim como nos livros DaVinci... A única coisa histérica a que aderir (shame on me) foi mesmo os vampirinhos... Mas, verdade seja dita, desde os meus 5 anos que adoro essas coisas do sobrenatural tipo vampiros e lobisomens...(já zombies e aliens é para esquecer!)
Vou voltar ao meu Retorno assim que possivel! tadinho, ficou a meio!
=)

(P.S- estou quase a fazer anos e o meu pedido foi o seu livrinho! Que já me fartei de cuscar nas bancadas do continente/jumbo. Parabéns!)

disse...

Ó Melissa que fenómeno é esse?
No creo en brujas pero que las hay, las hay.
Clonaram-te posts?

Cantinho da Bê disse...

Quando vi a capa a primeira vez, achei que seria mais um da autora da porno xaxada do momento.