sexta-feira, 8 de março de 2013

Quando leio por aí

Coisas como: O dia da mulher devia ser todos os dias.
Flores deviam ser todos os dias.
Cartões deviam ser todos os dias.
Que dia tão parvo.
Também devia haver dia do homem.
Que dia sexista.
Só me ocorre deixar aqui duas imagens que falam por si.
Para as mulheres que acham, do topo da sua vidinha suburbana e segura, com os seus direitos fundamentais adquiridos, que não devem ser lembradas as mulheres.


Imagens retiradas da net.
Uma delas representa uma mutilação genital feminina, feita a uma menina.
Mulheres que são castigadas pelo simples facto de terem nascido mulheres.

É verdade, temos que lidar com idas ao supermercado e jantares para fazer e putos para criar e condições desiguais no mundo laboral, mas não me fodam, estamos já a léguas de distância da barbárie que tantas mulheres ainda sofrem em tantas partes do mundo. Agradeçamos por isso, nem que seja uma vez por ano, sim?
Lembrem-se. Se menosprezam este dia, é porque fazem parte do grupo de sortudas que podem dar-se ao luxo de fazê-lo.

11 comentários:

Melissinha disse...

É malta que acha que o dia da mulher serve para nós, com direitos mais ou menos assegurados.

Melissinha disse...

É uma pena, uma PENA que sejam mulheres a ter a ilusão de que o nosso género não seja uma minoria.

Daniel M. disse...

Aqui vai (uma) perspectiva masculina.
Ia fazer um post lá na tasca onde divagava sobre a inutilidade do dia de hoje, mas depois do que li aqui perdi a vontade. Não porque tenha mudado de ideias, mas porque é uma temática já amplamente debatida.
No entanto, o assunto é pertinente e, não posso deixar de concordar com os seus pontos de vista. Ainda assim pergunto: Este dia ajuda a mudar a vida de alguma dessas mulheres? Como?

Ana C. disse...

Ajuda a lembrar que ainda estamos a quilómetros de distância de um mundo igual, em termos de direitos fundamentais. Ajuda a reflectir, sim.
Ficarei muito feliz com o dia em que deixar de ser preciso lembrar, mas, infelizmente, ainda há muito para lembrar, sim. O mundo não é a europa.

Jo Ann disse...

Há dia do homem. É no mesmo dia que o dia da latrina. (Juro.)

Daniel M. disse...

O mundo não é a Europa. Mas já repararam que por cá o Dia da Mulher é assinalado pelas visadas, com jantares (a restauração com IVA a 23% agradece), ofertas de bugigangarias, idas a casas de strip masculino e mensagens fofinhas com gatinhos no facebook?
Não vejo no que isso poderá contribuir para o resto do mundo...

Dia da latrina? A imaginação não chegou para mais? Disappointing...

Ana C. disse...

Cada um celebra aquilo que quer, como quer. Mas convém não esquecer que, enquanto levam uma massagem no lombo, ao som de flautas de pan, existem mulheres pelo mundo que não podem sair à rua sem estarem cobertas da cabeça aos pés e que são consideradas abaixo de animais. Só isso.

Daniel M. disse...

Concordo. Mas francamente, alguém acredita que a dita, deitada a levar a massagem no lombo vai lembrar-se das desgraçadinhas do continente do lado?

A. F. disse...

Grande post, Ana!

ouvirdizer disse...

Também não percebo o stress e o desdém. É nosso, tem algum mal? Pode não contribuir para nada. O dia da poesia está à porta e ninguém o questiona. Mas nesse dia dá-se uma atenção especial à poesia. Há tertúlias, lançam-se livros, evocam-se autores. Mas há poesia nos outros dias todos... Há quem a leia e quem não ligue puto... Mas a poesia existe, é uma forma de literatura, de arte e tem um dia em que é, simplesmente, celebrada. O Dia da Mulher, como todos os dias comemorativos é isso mesmo, um dia comemorativo. Eu gosto deste dia em que se comemora o ser-se Mulher.
O que me faz mesmo confusão é o ser questionado... não tem lógica. Só comemora quem quer. Como a poesia, só lê quem quer...

Maria Francisca disse...

Assino em baixo.
Este dia é por todas as mulheres a quem, ainda, não são reconhecidos direitos consagrados.