quinta-feira, 3 de novembro de 2011

O caixote do lixo em que me transformei

Os meus filhos, além de verem em mim um poço de ternura, amor fofinho e todas as lamechices inerentes ao estatuto que nos traz a maternidade, gostam de me ver como o seu ecoponto privado.
Lenços ranhosos depositados na minha mão, bolachas cuspidas, papéis rasgados, embalagens vazias. Enfim, eu sou um caixote do lixo com olhos.
Às vezes, o cansaço é tanto, que me limito a comer as bolachas cuspidas, só para não ter que levantar de novo a peida em direcção ao caixote do lixo.
Sim, sou triste.

17 comentários:

Dorushka disse...

Como eu te compreendo! Também já fui um "caixote do lixo com olhos"... mas deixei-me disso. Agora, ainda mal eles pensam em dirigir-se a mim com o lixo e já eu estou a gritar "vai deitar no caixote!". E eles aprendem rápido, por vezes já vão direitinhos ao caixote sem passar por mim. Juro!

- Futura mãmã ! disse...

Rs mas isso faz parte do estatuto de mae..pq se sente assim ?=/
Parece.me uma mae triste :S

Beijinho
Me visite, e comente..se gostar torne-se seguidora...retribuirei o carinho =D

Ana C. disse...

Doruska, às vezes nem percebo como é que o lixo foi parar às minhas mãos, juro-te. Olho para a mão e lá está mais um lenço ranhoso ;)

Dorushka disse...

LOL! Tens que os "domar". E depressa.

Ana C. disse...

Futura mamã, a expressão triste é aqui associada à palavra patética que, por sua vez está associada ao facto de comer bolachas cuspidas por preguiça de me levantar. Só isso, sem drama ;)

gralha disse...

Já comi tanta comida que o Diogo atira para o chão que nunca mais apanho uma gastroenterite, benzódeus!

Ginguba disse...

Ana C: Um caixote do lixo com olhos a transbordar de amor fofinho.
:D

Deixa lá que eu sou a caixa multibanco mais próxima, queres trocar?

La Boheme disse...

Ossos do Ofício da profissão mais difícil do mundo: ser mãe!

efilipe disse...

Eu também te compreendo, comigo acontece o mesmo... é uma tristeza.

Turista disse...

Não és nada! És mãe, querida Ana. Olha, eu também como as bolachas das minhas sobrinhas, ou seja reaproveito e reutilizo. ;)

Melancia disse...

Bolachas amassadas nas mãos, restos de pão lambuzado... mas o melhor é mesmo açorda vomitada no cabelo, baba na cara toda ( e não é de caracol)... Consta que são medalhas do nosso bom desempenho como mães!!

Anna^ disse...

Por essas e por outras,que eu ,sentindo o cheiro a papas (cerélac,nestum e afins)a menos de um km, fico numa agonia que nem a santa! e olha que já passaram uns anos valentes de caixote. :)

JS disse...

Tu acreditas que o Mateus uma vez foi para a rua com um braço cheiinho de diarreia amarela!!!

Só demos por ela quando levantou o braço na esplanada...

Beijinhos*

Lina disse...

Isso é só mais 1 tarefa de mãe como tantas outras. Não te sintas triste por isso. Tenta habitua-los de outra forma, mas triste nunca.

Beijinhos nossos

Ana C. disse...

Lina, ficar triste por ser um caixote do lixo com olhos, não é de todo aquilo que quis dizer. Tem o seu lado profundamente cómico, como aliás dá para ver pelos relatos das restantes mães :)
Eu só disse que era triste, patética, por comer bolachas cuspidas, entendes?
O português é uma língua muito traiçoeira...

CIPS/RC disse...

Venho cá tantas vezes e nunca comentei, mas hoje é dia! Já chorei a rir com este post e conheço muito bem este filme!

Crente disse...

Ri-me tanto agora!
Estou sempre a dizer que as mães são os caixotes de lixo dos filhos e ninguém me liga...
E os chupa-chupas meio comidos?