sábado, 10 de abril de 2010

As Mil e uma Maneiras de os Desculpar

Adoro ouvir os pais de criancinhas mal educadas quando tentam à força toda desculpar o mau comportamento dos filhos, arranjando adjectivos rebuscados para adocicar a realidade, senão vejam a lista que já consegui reunir:
- Ele tem uma personalidade muito vincada.
Tradução:
- Nunca nos obedece, é uma mula.
- Ele sabe muito bem aquilo que quer.
Tradução:
- Enquanto não conseguir aquela barbie tropical vai continuar a gritar e espernear no chão da loja, porra para este puto que me enlouquece (neste caso é um puto que gosta de barbies).
- Ele preza muito as suas coisas.
Tradução:
- É um puto egoísta a toda a força, não empresta nem o papel higiénico depois de o ter usado para salvar a vida da mãe, diz que é dele.
- Ele é indomável, gosta da sua liberdade.
Tradução:
- É pior, mil vezes pior que um animal selvagem à solta dentro de casa e nós temos medo que nos morda se lhe dissermos para não mexer no plasma.
E podia continuar a noite inteira, mas a preguiça instalada impede-me...

17 comentários:

Lídia Borges disse...

Excelente tema.
A incompetência de alguns pais quanto à educação que [não] dão aos filhos pode ter muitos nomes.
Educar é difícil, obriga a um esforça que esses pais não estão dispostos a fazer pelos seus filhos. Então, se nem isso os filhos lhes merecem, por lhes darão tantas coisas inúteis?

Maria João disse...

Adorei a tradução...
Eu, como educadora de infância, faço essa tradução diariamente só para mim...
Hoje em dia os miúdos são cada vez mais mimados e fazem tudo (mas mesmo TUDO) o que querem!
Parabéns pela originalidade do post e parabéns pelo blog!

Sunrise disse...

Até diria mais que a Lídia Borges: EXCELENTE EXEMPLIFICAÇÃO DA REALIDADE.

Melissinha disse...

Há também o super célebre-e-conveniente "ele é hiperactivo".

É hiperactivo, toma ritalin, ó o caraças.

Nina disse...

E o que se diz quando a mãe, apesar de babadíssima, se farta de dizer que o filho está mt mal-educado e fica furiosa quando lhe dizem que o miúdo é hiperactivo? A resposta a esta é sempre: hiperactivo, não, caprichoso, mimalho e mal-educado. Pois...a mãe sou eu...mas hei-de torcer o meu pirralho, senão lá terei que ouvir o que não gosto de dizer aos pais de alguns alunos meus. Como costumo dizer aos meus pais, uma coisa é mimá-lo...outra é deseducá-lo, levando-o a pôr-me fora de casa daqui a uns anitos.
Estarei a exagerar? Pelo que vejo não estou.:)
beijocas

Petra Pink disse...

se ha coisinha que me incomoda verdadeiramente é ver na rua ou shoping, comboio etc é putos mimados q nao param de gritar a todo minuto... mal educados!
sei k a culpa nao é deles, é dos papás q como bem exemplificas procuram defesas escondendo-se atrás de eufonismos...
uma tristeza...
"uma palmada na hora certa: nao traumatiza, educa, ajuda na tomada de consciencia dos limites...

Lebasiana disse...

lol... o que me ri! lol... mais, por favor! fantástico!

beijinhos

Lia disse...

os miudos de hoje em dia são o reflexo de uma educação muito baseada no material e muito pouco na companhia e na partilha...e dp isso reflecte-se!

Precis Almana disse...

Conheço um casal que teve a sorte de ter um miúdo a quem quase não era preciso ensinar nada, o puto saiu quase naturalmente bem educado. Ou sossegado, pronto. A seguir teve uma miúda dessas com personalidade muito forte e que sabe muito bem o que quer. A miúda é insuportável. Eles não fazem nada, só quando está mesmo a chegar ao limite é que o pai lhe dá um berro... e a seguir a mãe vai mimar. Enfim!
Os meus sobrinhos estão constantemente a serem chamados a atenção. Às vezes até acho demais... Mas a verdade é que são bons miúdos. E não é por serem meus sobrinhos, porque tenho outros dois que são dos que querem tudo e fazem tudo...
Mas que giro, é mesmo isso, Ana. As frases usadas são típicas!

MARIINHA disse...

Pois é Ana C., educar, dá muito trabalho, e chatice. É cansativo. É melhor deixar essa tarefa para a escola.É esta a atitude de muitos pais. Dão-lhes tudo, desde que não chateiem. E depois as crianças, ficam insuportáveis, e passam e ser uns jovens, que não aceitam ser contrariados por ninguém. É preciso saber dizer não. Isso também faz parte da tarefa de educar.
Sou mãe de dois rapazes, como sabes, e foram na infância muito diferentes um do outro. O mais velho, apanhava uma palmada e esquecia-se logo do assunto. Ficava a falar naturalmente como se nada se tivesse passado. O outro, se levava uma palmada, merecida, claro. Deixava-o sempre revoltado e muito, muito sentido. Hoje são homens e de certa forma ainda são assim. Nenhum filho é igual. Tu vais sentir isso.

gralha disse...

É mais um post que assino por baixo.
Só acrescento a minha teoria que estes paizinhos são geralmente aqueles que afirmam orgulhosamente que são pessoas teimosas, como se isso fosse uma grande qualidade. Ah, e também são os que não sabem sair do Continente sem um brinquedinho ou uma m€rdinh@ qualquer para o petiz.

I. disse...

É, têm todos muita personalidade, são hiper-activos (alguns miúdos andam já tão novinhos a tomar medicação que punha um urso a dormir...) quando o que lhes falta é educação. Uma trabalheira, educar. E depois os outros que lhes aturem os selvagenzinhos.

LaranjaLimão disse...

Conheci uma criança dessas ontem. Irritante, rude, ranhosa e sei lá mais o quê...

Falava com ela e a mula só me deitava a língua de fora, portanto achei que para desbloquear a conversa entre nós devia contar-lhe uma história. Aproveitei a ida do pai aos gelados e resumidamente contei-lhe a história da Joana e da Maddie...

Juro que isto é a mais pura das verdades!!

Crente disse...

A mim chateia-me crianças mal-educadas. E sim, é quase sempre culpa dos pais. Que permitem os abusos desde sempre - com a desculpa que "ainda é muito pequenino e não sabe que está a fazer asneiras". Depois crescem e a qualidade e quantidade das asneiras também cresce. O meu filho pode ser teimoso, mas é educado. E não falta ao respeito, nem faz birras.
Educação precisa-se por esse Portugal fora (diria até por esse mundo fora...).

Porque ... disse...

Muiiiiiiiiiiiiiiiiiiito bom;)

Anna^ disse...

Que pena a preguiça se ter instalado.Fantástica esta tua "tradução". :)

Brisa disse...

Ahahaha
Eu não vou por meias palavras: sou a primeira a admitir que o meu filho é torto como um parafuso e teimoso que nem uma mula! Essas palavrinhas mais bonitas sabem-me a pouco, principalmente quando me "oferece" uma das suas impressionantes birras. Tenho a esperança de um dia lhe conseguir ensinar a direccionar tanta teimosia para coisas mais úteis. Por ora, só aplica a teimosia em conseguir que seja o pai a levá-lo à casa-de-banho dos homens para ver os urinóis! O que hei-de fazer??