segunda-feira, 12 de abril de 2010

SMS

O que é que se passa com as pessoas hoje em dia que só comunicam por mensagem escrita?
Pessoas adultas, maduras, já com idade para terem juízo. Escrevem verdadeiros testamentos com os botõezinhos do telemóvel, de língua de fora, concentradíssimos, à mesa do jantar, no carro, em andamento, na fila do supermercado.
E depois exigem resposta pela mesma via. Não atendem quando se lhes quer responder pela via mais rápida e antiga, que é como quem diz, com a voz.
Também funciona quando não se quer aturar alguém, mas fica mal não perguntar como está a recuperar da cirurgia, então escreve-se uma mensagem a perguntar, limpando assim o sentimento de culpa.
Desejar parabéns por escrito também é o último grito. Para quê ligar de viva voz, quando se pode despachar aquele incómodo com letrinhas?
Para quê dialogar quando se pode monologar até ao infinito com um aparelho de telemóvel?
E aquelas maravilhosas mensagens de Natal, de Páscoa, de Passagem de Ano que se enviam a 100 pessoas ao mesmo tempo?
Tenho para mim que é o último grito em cobardia emocional. É mais prático desejar os pêsames por sms. Não tenho que escutar o tom de voz. Não tenho que enfrentar a tristeza do outro, confrontar-me com a desgraça alheia, nem chatear-me muito se o outro decidir lamentar-se do outro lado da linha.
Sinceramente prefiro que me escrevam uma carta.

10 comentários:

Crente disse...

Eu prefiro quase sempre ligar. A não ser que esteja numa reunião ou noutra chamada - que nesses casos o belo do sms é mais prático.
As pessoas ouvem-se pouco, conversam pouco... É a sociedade do "curto e grosso" acabando muitas vezes por ser desprovida de sentimentos.

Melissinha disse...

Ui! Odeio falar. Cada vez mais!
I'm the mail girl!

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Eu sou exactamente como descreves. Sempre a responder ao SMS, sempre a enviar um mail. Sinto uma invasão, quando vejo que alguém esta a telefonar. Incomoda-me.

Agora SMS ou mails de forward é que não. Bloqueio ainda mais que chamadas.

A Elite

Joanissima disse...

Pois eu cá adoro sms.
Há lá coisa melhor do que estar com voz de cama, esparramada no sofá, a mastigar batatas fritas que fazem, como é sabido, um basqueiral do caraças, e a trocar mensagens escritas com uma amiga sobre uma pérola qualquer que esteja a dar na SIC?

Falado não teria a mesma graça. Até porque é sabido que adoro escrever.

(e acreditas que o Brad consegue perceber, pelo meu "tom" nas mensagens, se estou triste ou nao???)

Lebasiana disse...

tens razão! é uma cobardia emocional, em alguns casos, mas em outros é bastante prático!

beijocas! ;)

Jo Ann v. disse...

Eu simplesmente DETESTO telefone. Não gosto de falar ao telefone, não gosto quando o telefone toca, quando falo ao telefone, depois de um minuto e meio perco o fio... Adoro SMS ;-)

Precis Almana disse...

Também perdi o prazer de falar ao telefone e acho sempre que posso estar a incomodar.. Só falo com a minha mãe, quase. E os sms são bons porque chegam à pessoa e ela responde quando quer. Mas telefono sempre a parabenizar, para saber de coisas importantes, etc. E nessas circunstâncias só ésseémeésso quando não a consigo apanhar.

Kitty disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LaranjaLimão disse...

Eu tenho um limite de 2 sms por pessoa, quem me manda 2 sms seguidas já sabe que n pode mandar a 3ª pq eu n respondo. Ou me ligam ou ficam sem resposta.

Detesto é sms's "eskritas axim" tás a ver o estilo?! Tzzzz Tzzzz!!

Ana. disse...

É curioso, este último Natal decidi que em vez de mandar as 100 mensagens de que falas, só ia ligar a quem realmente queria, a quem importava de verdade. E a sensação foi infinitamente melhor!

Nunca entendi completamente a noção de sms, quando as pessoas são verdadeiramente próximas, quando o que temos a dizer não é uma simples constatação. Agora, para que conste, é muito bom receber sms espontâneos só porque alguém se lembrou de nos enviar um beijo de bons dias!

;)