quinta-feira, 1 de março de 2012

Pelo vosso olhar



Para mim, a melhor parte de vocês, não foi as fraldas e as cólicas e os biberons, os babetes e os aviões com a colher de sopa.
Para mim, a melhor parte, se é que há melhores partes deste todo de ser mãe, não foram os choros, os banhos, as botinhas de lã que nunca chegaram a usar, ou as noites mal dormidas e o ovo no carro.
Para mim, a parte mais incrível nisto de vos ter, é poder partilhar as minhas coisas de criança convosco e reviver tudo pelos vossos olhos. É como renascer.
Não sei explicar isto que sinto, quando vejo de novo o ET com a Alice, ou quando lhe explico os Goonies e o barco pirata desse filme da minha infância.
Não sei colocar para fora a emoção de vos sentir crescer para o meu mundo. De vos ver na minha vida lá atrás e agora, aqui à frente.
Querer que sejam felizes onde eu fui e felizes onde não fui.
A Alice perguntou-me quem era aquele homem que cantava no rádio do carro e eu respondi-lhe que era a Tracy Chapman, uma mulher com voz poderosa, que conseguia enfiar centenas de palavras num único refrão e que eu ouvia quando tinha 13 anos.
E ela quis ouvir, porque eu ouvia quando tinha 13 anos, como se pudesse imaginar-me mais pequena.
Quando, digam-me, quando no raio das nossas vidas, nos sentiremos mais protagonistas do que isto?
Bem sei que depois o pano cai e eles percebem que somos apenas pessoas banais e repletas de defeitos e inseguranças. Há quem nunca recupere da decepção, há quem aprenda a construir novos heróis, há quem veja os pais a vida inteira como heróis. Só sei que, enquanto depender de mim, hei-de aproveitar cada segundo deste protagonismo de me viverem, como se fosse a coisa mais incrível do mundo.
Aquele filme ali em cima, é um filme que quero muito ver com ela e depois com ele. Um filme lindo e, como não poderia deixar de ser, baseado num livro de John Irving.
Também já comprei a 30 Diabos da Enid Blyton e ando a controlar-me para não comprar já os volumes todos da Condessa de Segur.

4 comentários:

triss disse...

bolas, como me revi neste teu post! A minha filha tem 13 meses e já lhe comprei a Anita, os Cinco (infelizmente a minha colecção original, comprada por mim nos anos 80 está na biblioteca, long story), tem também os filmes mais maravilhosos da disney cujo top 1 é o Livro da Selva, etc.
É de facto maravilhoso poder ser criança, outra vez, brincando com os nossos filhos e mais importante ainda, partilhando com eles o que vivemos de bom:-)

João disse...

Pensas e vives a vida de uma forma muito saudável, Ana.

Naná disse...

Eu já fui recuperar a minha colecção Formiguinha, que guardei religiosamente durante anos... e tenho a série completa do Verão Azul para mostrar ao meu pequeno Falipe!

Vera Dias António disse...

Estamos a fazer a colecção do público de dvd's com os bonecos animados da minha infância. Dos primeiros volumes eles já conheciam o Bugs Bunny e o Tom e Jerry mas não o Speedy Gonzalez. Outro dia disseram á minha mãe: "Estivemos a ver os desenhos que a mamã via quando era pequenina, ontem foi o Rato Cowboy". ahahahah, e ainda não conseguiram decorar...