domingo, 25 de janeiro de 2009

Lado a Lado


Se há imagem que me comove sempre é a dos casais de velhinhos.
No restaurante, partilhando uma refeição num silêncio cúmplice. Daqueles silêncios que só são possíveis para quem se conhece tão bem.
Passeando na rua de manhã muito cedo de mãos dadas, não querendo perder um só minuto do dia. Ela detendo-se em cada montra, ele detendo-se ao lado dela. Ele parando para comprar um jornal, ela ajudando-o com o dinheiro trocado.
Os dois apoiando-se um no outro quando é preciso. Ele puxando-lhe o casaco para cima dos ombros, ela apertando melhor o dele para que o frio não lhes provoque desconforto.
Vê-se que os dois não imaginam a vida de outra maneira, pois um mundo onde o outro não exista, não faz sentido. Foram muitos anos juntos a criar filhos, netos, a vê-los partir, muitos anos a assistir à erosão do tempo. Muitos anos em que a única coisa firme, a única coisa que restava quando tudo o resto fugia era o amor deles.
Quando decidi casar tive que responder a esta pergunta interior vezes sem conta:
Imaginas-te a envelhecer ao lado deste homem? E a minha resposta era sempre a mesma: Sim.

6 comentários:

Sunrise disse...

Realmente o amor é das coisas mais belas que existem. A cumplicidade. O perceber o outro sem ser preciso falar. Um pequeno gesto, movimento, um olhar ou simplesmente um som que já é compreendido pela nossa cara-metade. Não há muitas coisas tão belas quanto esta.

JS disse...

Era a pergunta que a minha avó nos fazia...

Marquês de Sade disse...

É engraçado... Tb fico comovido e com um sorriso nos lábios quando veja um casal de velhinhos passear de mãos dadas...

Alexandre disse...

a velho chegarás e então saberás... :)

Rainha Mãe disse...

Lindo! E é muito bom quando passado 10 anos ainda achamos que não nos enganámos na resposta. Por vários motivos também eu tive que responder interiormente a essa pergunta. E apesar de me tentarem convencer que a resposta estava errada segui o meu coração. Felizmente era eu que estava certa...

Eumesma disse...

Sim, será sempre essa a resposta a que teremos que dizer "SIM"...
E é tão bonito, ano após ano, sempre ali ao lado...
Almoço num refeitório todos os dias e lá tb existe um casa assim, e nem sequer ainda são mtos velhos, terão uns 55 anos...
Ele levanta a cadeira dela, qd ela se levanta e empurra, ele vai de braço dado com ela, etc, etc...
E eu olho e invejo, sinceramente...
Uma inveja boa, de quem admira alguém assim, de quem tb gostava de assim viver uma história, mas sempre a querer que eles tb a vivam...
Não é só plantar uma árvore e ter um filho, deveria tb contruir um caminho e percorre-lo com essa pessoa até que um deles desapareça...
(ai, fazes com que me começe a palpitar a veia mais romãntica que existe dentro da minha pessoa eheheh)

;-)