sábado, 24 de janeiro de 2009

Meninos da Mamã


Às vezes penso que se as mães portuguesas tratassem os filhos rapazes de uma maneira menos "maternalista", estariam a contribuir para o crescente sucesso deste país em muitos aspectos.
Porque é que insistem em continuar a dizer: "Deixa estar filho eu faço"; "É só sentares-te à mesa, o jantar está pronto". Ou pior e mais gritante ainda, quando os filhos já passaram dos 30 e ouvem: "Fiz a tua comidinha preferida meu querido, como mais ninguém sabe fazer". O que descodificado dá: "Comidinha desta não te faz a tua mulher".
Ah pois não, não faz. A mulher não põe chouriço, enchidos, não frita batatas por tudo e por nada, não tritura batatas para fazer puré natural, usa cebolas congeladas de vez em quando para desenrascar,não saca de um doce conventual de um minuto para o outro, como que por magia, nem recita o livro de Pantagruel de trás para a frente.
Mas a mãe do menino continua a fazer tudo isto e muito mais até à eternidade, como se quisesse passar a mensagem subreptícia de que na sua casa vai ser sempre melhor, de que o filho, no fundo, jamais deveria ter saído do ninho.
Por favor mamãs de meninos, deixem-nos sair debaixo das vossas asas. Se os amam, se os querem ver felizes com as respectivas esposas, recuem quando não forem chamadas e avancem apenas quando precisas forem.
Criem homens independentes, capazes de tomarem decisões, capazes de fazerem uma refeição por obrigação e não apenas quando se sentem inspirados, capazes de escolherem uma camisola sem precisarem do vosso conselho e, mais importante do que tudo. Criem os vossos meninos de maneira a saberem programar uma máquina de lavar roupa, por favor.

15 comentários:

Sílvia disse...

Pois, realmente não posso concorda mais contigo =)
Tudo dito

bj***

Ana C. disse...

Ainda bem que concordas, também podes ser uma futura mãe de menino. Começa já a pensar nisto ;) Temos que mudar o país.

Sílvia disse...

Ana quanto a pensar... Bem nao tenho grande pressa nao =)

Quanto ao livro o da Ines Pedrosa adorei. O do teu log nunca li mas de certeza que é uma boa opção

bj***

Ana C. disse...

Sílvia fazes bem, ainda tens muito tempo e muita coisa para viveres antes de te aventurares pelos caminhos da maternidade. Só te disse para ires começando a pensar no assunto meninos-da-mamã, just in case ;)

Sunrise disse...

Olha, só por este post vou-te adicionar à minha lista preferida de blogs a seguir. Afinal não sou só eu que penso isto!!! Graças a Deus alguém partilha da mesma opinião. CANSA E CANSA MESMO ESSE TIPO DE MÃES. Não há santo que aguente!!! Como eu entendo tão bem isto...

Ana C. disse...

Sunrise, haja alguém que me entenda!

JS disse...

Clap, clap, clap, clap...e não digo mais nada.

KILGORE disse...

Vou mostrar este post à minha mãe:)
Será que ainda vai a tempo:)?
Gostei!

McSleepy disse...

Eh pá...
Que grande barrete que um certo blogger com cheirinho a éter enfiou agora!!
E conheço uma certa senhora, cujo nome está gravado na minha aliança que deve, no mínimo imprimir este post e afixa-lo no frigorífico!!!
Muito bom!

Ana C. disse...

JS és mãe de meninas como eu, os teus problemas são outros ;) clap clap para ti também

Ana C. disse...

Kilgore, acho que já não vais a tempo de reverter nada, isto tem que ser logo desde a primeira infância, se não depois quem tem que reverter tudo é a esposa... Seu MENINO DA MAMÃ

Ana C. disse...

Mcsleepy, acho que vou entrar no negócio dos ímans para o frigorífico, tenho vários pensamentos dignos de serem esparramados lá :)

Lady disse...

Vou estragar o consenso.
Eu sou mãe de um menino e vou mima-lo em tudo o que puder. Ensiná-lo a respeitar uma mulher é uma conversa, deixar de lhe fazer a comida favorita mesmo que ele tenha 40 anos é outra.
Ter um filhinho-da-mamã não é sinónimo de ser uma sogra horrorosa.


A mãe de um menino-da-mamã

Ana C. disse...

Ah ah ah Lady, é claro que aqui fala a mãe de uma menina, logo, mais imparcial no assunto. Mas a realidade é que não ias gostar de estar casada com um menino assim, materno-dependente.
O mimo sim, sempre e muito. O sufoco e intromissão na vida adulta nem sempre ;)

cardigrilos disse...

Ahhhhhhh... Como eu gostava de ter coragem para escrever tudo isto no meu blog... ;)