terça-feira, 14 de maio de 2013

Angelina Bonita

São mais do que muitas as emoções que a notícia da Angelina Jolie suscitou dentro de mim. Primeiro a estupefacção, depois a reflexão e finalmente a admiração.
Gostava de perguntar a alguém que tivesse feito uma mastectomia por causa da puta do cancro, se tivesse tido a oportunidade de prever, com quase 90% de certeza, que iria contrair cancro da mama, se teria feito o mesmo.
Estou desconfiada que sim, mas não posso jurar.
Uma coisa é certa, ela viu a mãe lutar contra a puta do cancro durante 10 anos e o cancro não é uma doença como as outras, não é. É cruel, devastador, contamina vidas, cria esperança, destrói esperança, reaviva esperança, mata-a de novo e jamais deixa a pessoa doente e as pessoas que a amam incólumes.
Penso que já tinha ouvido falar de duas actrizes que optaram pela mesma solução, mesmo quando havia alternativas e esperança, mas já depois de terem tido que lidar com a doença.

6 comentários:

Luísa Livros disse...

Sem dúvida que em mim ficou a admiração! Já antes a achava uma grande mulher, não pelas suas personagens etc, mas por a mulher que se tem vindo a revelar e esta agora, foi para lá da coragem... Pois pode parecer uma decisão "fácil" até mesmo "lógica".... mas não duvido que não fossem todas as mulheres que tivessem esta coragem.... :) Uma grande Mulher mesmo, para mim!:)

Melissinha disse...

Achei o relato lindo. Adorei a franqueza dela. Adorei a coragem de se expor daquela forma.

Quanto à coragem de fazer a mastectomia propriamente dita... com a mutação que ela tem, coragem seria ficar com as mamas.

Ana. disse...

Também achei um relato bonito e sobretudo corajoso.
É chunga, mas para mim ela passou a ser um pouco mais real, mais gente...

Ana C. disse...

Eu fiquei a adorá-la e nem sequer era particularmente fã.

Naná disse...

Sempre fui fã dela, por todo o trabalho voluntário de manga arregaçada em países desfavorecidos. Aqui tenho a aplaudir o desapego pelas mamas em nome do apego à vida, aos filhos.

gralha disse...

Achei muito bonita e corajosa a intenção de tornar pública uma questão tão íntima e ocultada. Apesar da delicadeza da decisão, eu faria o mesmo sem hesitar.