terça-feira, 21 de maio de 2013

Marquem na vossa moleskine, merdeskine, ou qualquer outro objecto com folhas de papel



De todas as situações patéticas existentes, acreditem que uma das mais acutilantes é estar sentada numa mesinha a ver passar as pessoas e a verificar, mais uma vez, a minha absoluta falta de relevância.
Se quiserem constatar comigo, apareçam, pois que prometo escrever-vos palavras de platónico amor agradecido.
Se não aparecerem, aproveitarei para colocar em dia o meu soninho, fechando os olhos e cabeceando um bocadinho :)

11 comentários:

Luísa Livros disse...

Oh! Olha muita pena tenho eu de estar tão longe!!!:( Já viste o que era ter um livro que tem uma dedicatória especial da Vânia (tu sabes a história) e uma tua???? A escritora?? Ai podes ter a certeza que não te ia deixar dormir! ;) Ao menos um cafézinho tomávamos, falávamos e o tempo passava sem que não tivesses se quer tempo para pensar em dormitar!;) Mas vais ver que isso vai acontecer com outras pessoas que gostam de te ler!:) Eu adoro a Feira do Livro de Lisboa e tenho uma tradição pessoal que este ano será quebrada pela distância de tantos mil kms...:( Desejo-te um dia cheio de surpresas boas!!;)
Beijinho

Melissinha disse...

Aparecendo as cinco e meia apanho as duas, eh 2 x 1. Gosto muito da dona de casa perfeita.

Ginguba disse...

Vem dar autógrafos ao Porto; Prometo que não te deixo dormir! :)

Paulinha disse...

Comprei o livro na sexta feira, estou a adorar lê-lo.
Se fosse em Viseu ia cravar um autografo, como é em Lisboa fica um bocadito fora de mão! :)

Sílvia disse...

Rais'parta isto tudo em Lisboa tudo em Lisboa, tens que vir ao Porto já mencionei que quero que me assines o livro? Já? Jááááá?

Vânia Silva disse...

Os leitores do Porto também merecem :)))
Eu estou emprestada a Lisboa e marcarei presença!!!

http://saladosilenciocorderosa.blogspot.pt/

Ana C. disse...

A minha relevância não dá para o Porto, meninas. O Porto é maior do que eu :)
Muito obrigada a todas e muito obrigada à Paulinha.

Mariinha disse...

Quero muito ir, só se aparecer algum imprevisto. Até porque quero comprar o teu livro para oferecer à minha grande amiga e madrinha do meu filho mais novo. Ela vive em Luanda, vem cá estar uns dias, no sábado já está cá. Na volta ainda lá aparecemos as duas. Bj

gralha disse...

Vou tentar aparecer. Espero que estejas junto a uma barraquinha de churros para eu ficar ali contigo a sentir o aroma (e levá-lo para casa nos meus longos cabelos castanhos).

ouvirdizer disse...

Nos meus anos na capital o ponto alto (além da companhia diária da Gralha) era a Feira do Livro. Ia lá todos os dias, juntava os tostões para investir na Feira e um dia vi uma fila enorme para um tal de Mia Couto de quem nunca tinha ouvido falar... Apaixonei-me por ele nesse dia, tenho e li tudo o que ele produziu.
Espero que muita gente se apaixone assim por ti no fim-de-semana.
Aquela Feira é um sítio mágico, onde a magia acontece. Para mim, um sítio cada vez mais distante(vivia duas ruas acima, agora quase 300km's ao lado).
Em relação ao autografo, se Maomé não vai á montanha, talvez a montanha venha a Maomé, certo?!!!!!!!!!

Vânia Silva disse...

Consegui ir e valeu tanto a pena!!! Posso confessar que fui de São Domingos de Rana de propósito só para dar um beijinho.
Não vi quase bancas nenhumas :/