segunda-feira, 22 de junho de 2009

Enganados Até no Peixe

Eu sou uma gaja preocupada com aquilo que mete no organismo através da boca. Por isso tenho uma aversão muito especial à Aquicultura. Sim, eu já sei que sou esquisita, mete nojo e tudo o que me quiserem chamar. Mas enfiei nesta cabeça primitiva que os peixes criados em viveiro são alimentados com merda humana ( como já li algures, acontecia num qualquer viveiro Norte Americano) e com antibióticos nocivos.
Por isso nesta boca só entra peixe de mar, que mesmo o de rio já me mete uma certa angústia, imaginar um inteligente a pescar no rio Trancão e ir vender os resíduos tóxicos a um restaurante.
Por tudo isto hoje tive dois ataques de fúria quando pego numa bonita embalagem de salmão cuja designação "Atlanti.Co" me deixou desde logo tranquila, ilustrada pela fotografia de um belo e vigoroso salmão a saltar nas ondas revoltas do oceano, leio as letras miúdas, daquelas que só com duas lupas se conseguem decifrar e vejo: Peixe de Aquicultura. Ora bem para quê o engano visual? O embuste do nome da empresa. Nem sei se esta indução em erro não dá direito a um par de murros legais.
Os consumidores são enrrabados diariamente. São os produtos quase em final de prazo na fila da frente, as etiquetas que mal mostram a proveniência da carne, a constante ameaça da compra de gato por lebre.
Eu já sabia de tudo isto, mas não deixou de ser triste constactar que somos enganados até no peixe...

21 comentários:

Kelle disse...

Lá nisso tenho muita sorte: tenho um avô pescador :) Não há melhor peixe que aquele que acaba de pescar, especialmente se forem umas belas sardinhas assadas na brasa :D

Miguel disse...

Então o que dizer dos frangos, coelhos e tudo o que é animal pequenino e a sua forma de criação?? Sinceramente, excepto nos casos gritante, já nem me preocupo com isso!!!
Bom apetite...

Ana C. disse...

Kelle pede lá ao teu avô para me abastecer aqui em casa por favor :)

Ana C. disse...

Miguel filho se há coisa nojenta é um aviário e quem já esteve sequer perto de algum sabe que aquele cheiro nunca se esquece. Mas eu continuo a comer frango.
Agora os peixes, depois de ter visto um documentário sobre aquicultura e de como há pouco controlo ainda sobre o que os proprietários dão de comer aos peixes fiquei repugnada. Estou cada vez mais convencida que a escalada brutal de cancros está directamente relacionada com a merda que metemos na boca, salvo seja.

Miguel disse...

As BLOGONOVELAS voltaram!!!!!

Kitty disse...

Uiii! Pois a mim, não há bicho que não me meta nojo e que não tenha de ser mil vezes lavado antes de entrar na panela.

HannaH Sophia disse...

minha querida, como mulher que nasceu à beira mar e sabe reconhecer o peixe fresco do peixe k ja ta ressabiado, posso garantir-te que no peixe é onde MAIS somos enganados!!!!
:((((

(apesar de tudo ate hoje nao morri...e sabe-se la o k se come nos restaurantes!!eheheh)

HannaH Sophia disse...

tal como a Kelle, o meu avô tb era pescador, mas agora ja se reformou...é uma pena pois sinto falta de comer peixe de qualidade como comia na altura!

Luisa disse...

Ana

Infelizmente graças à acção humana a quantidade de peixe de mar está a diminuir dramaticamente. O futuro é mesmo a aquacultura, por muito que isto custe. Já agora uma dica que me deram há uns anos por pessoas ligadas às análises do peixe que chega às nossas mesas: peixe de aquacultura só de países da União Europeia. De outras origens não há controlo sobre o que é dado aos pobres peixes...

Bons grelhados...

MARIINHA disse...

Depois de ler o teu post, fico a pensar duas vezes antes de comprar trutas. É que são de cultura.Serão alimentadas com quê?

Ana C. disse...

Kitty sua comedora de langonha. Tu gostas de caracóis ;)

Ana C. disse...

Hannah aqui nem é o peixe pouco fresco, porque isso eu já sei que é uma constante em muitos locais. É mesmo a identificação da proveniência do mesmo. Se é de mar, se é de aquicultura. Acho que temos o direito de saber.

Ana C. disse...

Luísa bem vinda! Sei que tens razão, mas ainda há muito pouco controlo na aquicultura, designadamente nos antibióticos que dão aos peixes. Muitos deles são cancerigenos. Eu não quero dar esse tipo de peixe à minha filha se houver uma única dúvida quanto ao tipo de porcaria que dão aos peixes, percebes?
Bjs

Ana C. disse...

Mariinha penso que o mais problemático são os medicamentos que dão aos peixes...

socasmoinhosebicicletas disse...

Ainda bem que meu irmão faz pesca desportiva e assim o peixinho que como em PT é sempre de qualidade! ;-)
Aqui confio que seja do Mar do Norte, sem certezas, claro!

Hyndra disse...

Nem imaginas o que se passa nos "bastidores" dos produtos que nos chegam ao supermercado e aos restaurantes.

Ana C. disse...

Socas vai sonhando... Eu cá só confiava no peixinho do teu irmão ;)

Ana C. disse...

Hyndra uma vez falei com alguém que trabalhava nos bastidores do Continente e fiquei a saber de vários atentados sim...

joana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joana disse...

O drama da aquacultura é que a alimentação dos é muito diferente da natural (carne de vaca por exemplo).Ora a nível de implicações genéticas dos peixes não se sabe com o tempo o q poderá acontecer, logo como as implicações no homem pelo seu consumo. A doença das vacas loucas é um reflexo da alteração da alimentação do gado bovino. Mais vale consumir peixe que não é cultivado como carapau, sardinha, cavala etc, normalmente são peixes baratos (pois n compensa cultiva-los).

Ana C. disse...

Joana penso exactamente como tu...