segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A Parte Melhor


A parte melhor de fazer um bolo é rapar o recipiente onde se prepararam os ingredientes, principalmente quando se deixa de propósito uma quantidade generosa de "massa" esquecida no seu interior.
Mas não pode ser rapada com um objecto qualquer, que isto tem arte, tem que ser com os próprios dedos e mais para o fim, quando os dedos emporcalhados já não conseguirem cumprir tão nobre missão, com o insubstituível rapa-tudo, ou Salazar como lhe chama a minha avó :)
A Alice ainda não desenvolveu este gosto, é mais adepta de furar o bolo com o dedo depois deste estar pronto.

18 comentários:

Azzrael disse...

Adoro fazer bolos, mas não sou capaz de pôr o dedo na massa que por lá fica.. Don´t know why!
Mas quando a minha querida avó faz arroz doce, aí é dedos, é colheres é com o que for!
Tenho vindo muito frequentemente a este cantinho e adoro a sua escrita. Parabéns (atrasadissimos) pelo pequenote que ai vem... Suspiro com o dia em que também terei essa sorte!
Continuarei por cá passear se me for permitido tendo já colocado um link deste blog no meu (para ser mais facil de aqui chegar).
Beijinhos
Azz

Sílvia disse...

Eu adoro fazer isso, "rapar o alguidar" eh eh... Adoro mesmo... E também gosto de fazer isso com o leite creme :)

bjo**+

Miguel disse...

Ahhhhhh! O velho hábito de rapar o tacho!! Como eu adoooro fazer isso! O, pelos vistos, o meu Gabi também! Nem a novíssima Bimby se safa ao ataque dos dedos lambuzados!!

mãeee disse...

Ai que agora fiquei cheia de vontade de fazer um bolo ... só para comer a rapa!
Os meus pequenos gostam mesmo do antes e do depois: ora elas rapam o fundo com os deditos cada vez mais besuntados, ora comem os pedacitos que ficam com a forma, ora furam e bicam o bolinha acadadinho de desenformar:)
Bem ... hoje acho que´vai haver sobremesa!
beijos gulosos

Ginguba disse...

Não é por acaso que na minha terra o dedo indicador se chamava fura-bolos!!!
:D

(Espero que o bolo signifique que estão as duas melhor!)

Precis Almana disse...

Além do bolo em forma de coração ser lindo, o prato que o suporta foi uma excelente aquisição... Adoro a cor e o princípio subjacente a tais cartas de amor :-)

Eva disse...

Correndo o risco de repetir alguém, um bolo que me parece não ter sido feito "à toa" (uma forma em forma de coração para um "prato dos namorados") e a acção do fura-bolos significa melhoras? espero bem que sim.
É...uma espécie de leite creme com rum mas...sem a parte do creme!!!
Eu já sabia que tinhas essa recordação pois quando encontrei o teu blog (por um mero acaso) gostei tanto que o li de fio a pavio.
Há 17 anos atrás,alguém muito especial, sabendo da minha paixão pelo António Alçada Baptista, preparou-me uma surpresa de aniversário, uma deslocação em trabalho a Lisboa...! e um jantar num restaurante no Bairro Alto que ele costumava frequentar, agora não consigo recordadr o nome; infelizmente, ele nesse dia não jantou lá mas esse e outros gestos fizeram com que esse alguém especial seja uma daquelas pessoas que amaremos até ao fim da nossa vida, não por qualquer espécie de nostalgia ou sequer porque o quisesse hoje ao meu lado, mas porque é uma recordação que nunca me deixa de maravilhar!

disse...

Ahhh, eu adoro rapar as formas! Sabe-me pela vida!

Ana C. disse...

Azzrael andas a desperdiçar o melhor do bolo ;)
Quanto ao resto muito, muito obrigada pelas tuas palavras, não imaginas como foi bom lê-las.

Ana C. disse...

Sílvia vamos rapar juntas vá.

Ana C. disse...

Miguel também faço o mesmo na Bimby, mas aquela lâmina no fundo lixa-me o esquema...

Ana C. disse...

mãeee então houve sobremesa? O meu coração já se foi todo :)
Por enquanto a Alice ainda não aprecia a massa crua, não sabe o que anda a perder...

Ana C. disse...

Ginguba eu sei que é o dedo fura bolos, foi exactamente isso que lhe disse quando a apanhei em flagrante delito ;)

Ana C. disse...

Precis ora ainda bem que gostas. Eu fiquei apanhada por este serviço, é tão ternurento. Sim são as cartas de amor :)

Ana C. disse...

Eva cá em casa tem que haver sempre romantismo, quanto mais não seja nos pratos e nos bolos ;)
Há 17 anos atrás alguém foi muito romântico contigo sim senhora.
Costumavas ler o que ele escrevia para a revista Máxima?
Bjs

Ana C. disse...

Bê a ti e a mim. Hoje se calhar faço um bolo e nem o cozinho...

Raquel disse...

Confesso que sempre que faço um bolo deixo mais massa na tijela onde misturei os ingredientes de propósito do que seria necessário, só para poder rapar tudinho! Hmmm, então quando é bolo de chocolate melhor ainda! Viva o Salazar (utensílio de cozinha, note-se!)! ahahah

margarida disse...

A minha mãe também lhe chama Salazar, e eu também, para ser sincera nem sabia que outro nome dar. É verdade que rapa-tudo está-se mesmo a ver o que é, mas Salazar tem uma magia que não sei explicar, está um nome tão bem posto!