terça-feira, 22 de setembro de 2009

Ser Mãe a Tempo Inteiro

E sobre a profissão mais mal paga do mundo (em termos monetários) deixem que vos diga:
Ser mãe a tempo inteiro ainda é muito pouco valorizado por muita gente, até mesmo pelo pai quando bate a porta de manhã e sai da rotina caseira.
Ser mãe a tempo inteiro exige mais de uma mulher do que muitas profissões das 9 às 5.
Ser mãe a tempo inteiro muitas vezes desgasta-nos por dentro e por fora, principalmente quando tentamos decifrá-los, desdobrá-los, entendê-los, adaptá-los a nós e nós a eles.
Ser mãe a tempo inteiro muitas vezes tira-nos a força anímica que precisamos para coisas mais criativas.
Ser mãe a tempo inteiro é um permanente exercício de altruísmo na sua forma mais pura.
Ser mãe a tempo inteiro muitas vezes tira-nos força para mostrarmos de formas românticas e intensas que continuamos a amar muito o nosso marido.
Ser mãe a tempo inteiro deixa-nos muitos dias à beira de um ataque de nervos e muitos outros à beira de outra coisa qualquer.
Ser mãe a tempo inteiro é tanta, mas tanta coisa mais do que é possível deixar aqui escrito e meu Deus como seria bom estar escrito num qualquer lugar a chave do sucesso, mas não está.
Somos nós que conquistamos o sucesso a pulso, um sucesso invisível que mais ninguém celebra ao nosso lado, pois só nós sabemos como foi chegar ali.
Se trocava os dias que passei a descobrir tudo isto por alguma coisa?
Não, nunca. Jamais diria que o tempo que passei com a minha filha foi desperdício, ou em vão, pois ela é simplesmente a parte melhor da minha vida.

37 comentários:

Melissinha disse...

"Ser mãe a tempo inteiro muitas vezes tira-nos força para mostrarmos de formas românticas e intensas que continuamos a amar muito o nosso marido."


LOLOLOLOL!!!!

Azzrael disse...

É caso para dizer:
Graças a Deus que tive uma mãe a tempo inteiro, se não concerteza que hoje não seria a pessoa que sou. De certo que a Alice pensa exactamente a mesma coisa!
beijinhos

Azz

Ana C. disse...

Melissa tu não me lixes com o LOLOL que levas um estalo sua grande...
Uma gaja a escrever coisas sérias e tu a estragares tudo.

Ana C. disse...

Azzrael às vezes preciso apenas que me digam as palavras que acabaste de dizer. Obrigada :)

Melissinha disse...

Ó pá eu mereço estalos.
Mas hoje é rir para não chorar, mesmo.

Marina disse...

Ora, nem mais! Quem trabalha fora de casa e põe os filhos na creche tem a vida muito mais facilitada, não haja dúvidas. Vá crucifiquem-me. lol Bjs

Maria disse...

Não sei se algum dia vou conseguir sê-lo. É exigido demasiado ás mães que estão em casa..! Eu "sufocava"..

beijinho.

Mulher a 1000/h disse...

Percebo-te perfeitamente e admiro muito quem tem essa "profissão"! Eu, não fui capaz! Força!

Melissinha disse...

Pois... agora falando a sério.

Isto de ser mãe a tempo inteiro é a mais nobre das tarefas, não tenho dúvidas. Mas há que ter jeitinho para a coisa, tal e qual um engenheiro tem de ter queda para a engenharia ou coisa que o valha. Não vem com o pacote-gravidez.

Sei que um dia vou dar graças a Deus por este tempo que estou a dedicar ao meu mini-drama king, mas não hoje.
Hoje não.

gralha disse...

Pois eu adoro ser mãe mas gostava muito do tempo em que também trabalhava fora de casa. Agora, ainda não me habituei a não ter essa parte da minha vida - é que, sim, ser mãe a tempo inteiro é a profissão mais absorvente que há! E aquela em que nunca, nunca podemos falhar.

Myka disse...

Amiga, só te posso dizer que te admiro pela mulher que és (e sempre foste) e pela mãe que aprendeste a ser. Não deve ser fácil, mas nunca ninguém disse que era! Não tenho a mais pequena dúvida de que a tua filha (e o "nosso" mano que vem a caminho) te adoram e sempre admirarão pela mãe que és, para eles. As nossas mães são sempre as melhores do mundo! A minha foi pelo menos, para mim! :)
Bj grande xx

joana disse...

Ser mãe a tempo deve ser das profissões mais exigentes do mundo!Tenho muito respeito!Eu trabalho a meio tempo e de resto sou (odeio o termo)a bela da dona de casa. Ainda não tenho filhos e já vejo o trabalho que uma casa dá,agora com filhos...Mas mais coragem é trabalhar a full time apanhar milhentos transportes e ter marido, filhos, mais a casa isso sim é dose!

HannaH disse...

e são tão raras as mães a tempo inteiro!

Fala mãe! disse...

Tem gente que insiste em me oferecer emprego,não se conforma que eu não esteja procurando...Tem que ter paciência com o preconceito também..beijos

Ginguba disse...

Sou Mãe a tempo inteiro! Mas trabalho fora de casa também! Tenho que ter um emprego, pois infelizmente em Portugal é muito difícil criar um filho só com um ordenado!
Enfim Ana, hoje não consigo ver a poesia para além da realidade!

Ana C. disse...

Marina penso que também há muitas mães que têm que trabalhar e pôr filhos nas creches porque não têm alternativa...
Também não as invejo.

Ana C. disse...

Maria cada mulher/mãe é um caso. Se é para ficar em casa a enlouquecer juntamente com o bebé também não é lá muito saudável...

Ana C. disse...

Mulher a 1000 cada mulher é uma mulher e realiza-se, preenche-se com coisas diferentes.
Quando estou a trabalhar também tenho que gerir tudo em simultâneo, pois trabalho em casa...

Ana C. disse...

gralha e não há folgas, nem feriados. Às vezes falta-lhe muito reconhecimento também...

Ana C. disse...

Myca???? Mas mudaste de nome!!!!
Muito obrigada pelo teu elogio talvez um bocadinho parcial ;) de amiga. Não imaginas como sabe bem...

Ana C. disse...

Joana nem me fales na parte do dona de casa, nem me fales. Quando juntas tudo numa mesma pessoa, neste caso eu, tens a profissão desgastante por excelência sim senhora ;)

Ana C. disse...

Hannah também muito por exigências monetárias são precisos dois salários para pagar empréstimos, casas, carros, férias, escolas. Enfim, um pesadelo. Será que se houvesse mais mães em casa os jovens andariam menos perdidos? Ou não tem nada a ver?

Ana C. disse...

Fala Mãe também é verdade que há quem não entenda que isto já é uma profissão para a vida toda...

Ana C. disse...

Ginguba a tua última frase deixou-me a pensar...

InêsN disse...

ser mãe a tempo inteiro é isso tudo mas foi a época (2 anos e meio) de toda a minha vida em que me senti mais realizada!

e seria ainda se o dinheiro deixasse...

InêsN disse...

"Quem trabalha fora de casa e põe os filhos na creche tem a vida muito mais facilitada" - já isto me parece ir um pouco à frente demais...mais facilitada em quê? no sair a correr de manhã para os deixar e conseguir chegar ao trabalho a tempo? no sair a correr à tarde para que não fiquem demasiado tempo no colégio? nos banhos, jantares, mimos, conversas e afins que se tem que encaixar numas míseras 3/4 horas? não me parece...

ser mãe a tempo inteiro exige imenso de uma mulher mas ser mãe trabalhadora também exige.

eu só tenho realmente pena que as mulheres não possam simplesmente escolher a via que querem, tendo muitas vezes que seguir aquela que a vida lhes dita...

HannaH disse...

sinceramente nao sei...em alguns casos será certamente um motivo...mas ha mts factores sociais envolvidos...

Pekala disse...

bem,eu não tive sequer opção,deixar de trabalhar estava absolutamente fora de questão e mesmo assim,como em tantas outras casas,o orçamento é apertadinho,mas hoje em dia,se tivésse opção,juro que continuava a trabalhar,é preciso uma paciência,uma sensibilidade,uma calma,uma aura qualquer pra ficar todo o santo dia com os míudos e eu,mãe desnaturada me confesso,não tenho nada disso lol.e prefiro assim apesar de passar a vida a correr de um lado para o outro...tiro o meu chapéu a todas as mães que estão em casa com os filhos!
(http://neuroticbaby.blogs.sapo.pt

IsabelCunha disse...

Eu tb sou mãe a tempo inteiro... adorei o post!

Miss de Castro disse...

eu adorava ser mae a tempo inteiro mas n sei se convenço o meu marido a deixar meu trabalho.
eu acho k a profissao de mae a tempo inteiro é a melhor do mundo,cd vez k saio e deixo o meu filho so me apetece chorar e os dias k passei c ele kd tive de licença e dps de ferias foram os melhores.eu sei k é dificil mas p mim na vida tar c o meu filho vale td.lutei mto po ter.

Tuxa disse...

Olá eu sou mãe a tempo inteiro e adoro, mas sinto que a sociedade não valoriza as m~se que se dedicam 100% a uma casa e aos filhos, já ouvi comentários de que sou uma dondoca porque estou em casa, que não faço nada porque não tenho um trabalho. Eu tenho um curso superior e trabalhei muitos anos num escritorio e por opção decedi ficar em casa com a minha filha e sinto que o trabalho é muito maior e muito mais desgastante do que eu tinha num escritorio, acho que devriamos ser muito mais valorizadas pela sociedade e pelos nossos maridos que chegam em casa e têm tudo prontinho e pensam que tudo se faz sozinho.

Andreia disse...

Olha Tuxa, não podia concordar mais contigo...o meu namorado chega e deve achar realmente que eu passei o dia de papinho ao ar, e que não estou cansada. Só ele é que tem direito a tar cansado, que dorme 7h por noite...eu sou uma "felizarda" porque para ele, "durmo até às 11h", mas o que ele não conta é as vezes que eu me levanto de noite, enquanto ele ressona.
Que nervos, hoje tou possuída. O nosso filho tem 8 meses e ele se lhe deu banho umas 5 vezes foi muito. Não sabe fazer a sopa dele, não sabe o que he vestir. Enerva-me que não tenham o mínimo de reconhecimento...

Andreia disse...

Enerva-me sobretudo porque temos economias separadas, eu tou sem "emprego" remunerado a gastar as minhas economias, enquanto ele trabalha e chega a casa e tem tudo feito. Não tenho coragem para deixa-lo com o nosso filho, mas a minha vontade ao sábado, é sair de casa às 8h e chegar às 18h, e faz~e-lo passar um dia dos meus, para ver se ele trocava "esta vida" pela dele. Sem receber dinheiro nenhum.

Andreia disse...

Olha Tuxa, não podia concordar mais contigo...o meu namorado chega e deve achar realmente que eu passei o dia de papinho ao ar, e que não estou cansada. Só ele é que tem direito a tar cansado, que dorme 7h por noite...eu sou uma "felizarda" porque para ele, "durmo até às 11h", mas o que ele não conta é as vezes que eu me levanto de noite, enquanto ele ressona.
Que nervos, hoje tou possuída. O nosso filho tem 8 meses e ele se lhe deu banho umas 5 vezes foi muito. Não sabe fazer a sopa dele, não sabe o que he vestir. Enerva-me que não tenham o mínimo de reconhecimento...

M.Gomes disse...

Hoje estava num jantar com amigos e quando me fizeram a pergunta: o que fazes agora? respondi: sou mãe. Ao que um deles (que não tem filhos) me respondeu: Só!!!! Só quem não tem filhos, não compreende! Essa ideia incumbida na nossa sociedade de que todas as mulheres têm de ser super mulheres aflige-me. eu estive durante 2 anos a trabalhar numa cidade diferente de onde moro com dois filhos, num trabalho sem horários, onde via os meus filhos uma hora ao final do dia...Não os via, não os seguia e optei por abandonar essa vida.
O ser mãe, hoje em dia é encarado de ânimo leve, como se fosse um acrescento, um pequeno pormenor... Para mim, que tenho 2 filhotes pequeninos, que acho merecerem toda a minha atenção, apreço e consideração, acho ser a maior prova de amor que lhes posso dar nestes primeiros anos de vida. Podia estar a trabalhar? Sim... Mas quero segui-los, vê-los, conviver efectivamente com eles e não apenas chegar a casa e cumprir uma série de tarefas com eles até à hora de deitar. Eu QUERO viver a infância deles. Não me sinto mais burra, menos interessante ou que esteja a perder algo por lhes estar a oferecer a minha presença a tempo inteiro. Irrita-me sobejamente que hajam pessoas que pensem que ser mãe a tempo inteiro é uma tarefa menor... Que missão poderá ser maior que apoiar os meus filhos? Deixo de ser menos por isso? Enfim, confesso que fiquei ofendida por haverem pessoas que consideram ser mãe uma missão menor...

Maria Amelia Fonseca disse...

Ser mãe em tempo integral é um grande privilégio e um ato de verdadeiro amor. Não me arrependo de ser uma delas. Muito bom poder acompanhar o crescimento de minha filha, mas infelizmente isso não parece ser de maior importância para essa sociedade que valoriza mais coisas do que pessoas. A maternidade integral nos amadurece, enriquece-nos de uma forma que nenhuma carreira externa poderia. Riqueza de alma, riqueza essa que dinheiro nenhum compra.

Ana Santos disse...

que bom é ler estes comentários. Também eu tenho o sonho de ser mae a tempo inteiro e acredito que esse dia está perto :)