segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Ser Mãe É Também Seguir Coração

Eu fui mãe depois dos 30, mas isso não quer dizer que sempre me tenha sentido uma mulher adulta e responsável ao longo de todo o processo. Há dias em que me sinto muito filha, outros há em que me sinto mais mãe.
Quando tomo decisões mais importantes em relação à Alice muitas vezes olho em volta em busca de um olhar aprovador e só depois percebo que o olhar sou eu que tenho que o dar e mais ninguém.
Saber se demos o passo acertado, ou não. Se aquilo que escolhemos é de facto o caminho a trilhar, se a resposta que demos é a que responde de verdade àquela pergunta são passos que em última instância damos sós, no mais íntimo que nos governa e por muito que nos digam que fizemos bem, que fizemos mal, temos que ser nós a decidir.
E eu decidi adiar a entrada da Alice na escola até ver como esta história da pandemia evolui.
Para me provar que nada é 100% programável, surgiu a Gripe A e a minha gravidez em simultâneo. E os meus planos de ter mais um filho quando a Alice estivesse já na escola aos 3 anos, ficaram assim bastante menos lineares.
Será que fiz a escolha certa? Será que exagerei? Será que? Será que? Será que?
Fiz o que o meu coração mandou e por enquanto isso terá que chegar para me calar.

22 comentários:

Lia disse...

As duvidas fazem parte do caminho. Se é o teu coração que manda, acredito que estejas a fazer o correcto! Estás a proteger a(s) tua(s) "cria(s)" e enquanto assim for, acho que tens toda a razão do mundo do teu lado!

joana disse...

Não consigo planear a vida assim. Nunca o fiz, sigo a vontade e os instintos. Adoro o meu trabalho e vivo com uma pessoa fantástica (filhos ainda não, por opção).Por vezes é "deixá rolar"...

Mulher a 1000/h disse...

Por vezes, uma falsa ideia de segurança é o seguro bastante para nos fazer aguentar! Eu também sou mãe, perto dos 30... e as incertezas e inseguranças são as mesmas! Mas o que interessa no fundo é tomares decisões em prol do teu bem e do bem da tua pequenina e pequenino! Isso vale tudo! ;) As decisões tomadas por amor, até podem ser erradas, mas nunca são más! ;)

Daniel Monferrato disse...

Se foi acertada ou não, só o tempo o dirá. Ou então, até podes nunca chegar a saber.
Mas pelo menos, nunca ficarás com a sensação de que não fizeste tudo o que estava ao teu alcance.

Melissinha disse...

Eu já tive o filho e ainda não me sinto minimamente adulta. Estou sempre a pedir conselhos parvos.
Admiro quem segue o seu instinto assim, como tu. Eu fico sempre num pé e noutro. Sei que é algo que terei de mudar para ser a melhor mãe que consigo ser.
For the record, acho que, estando tu grávida, fizeste bem. :)

ML disse...

Dos meus 24 anos fiquei apavorada..
Se decidir a nossa vida já é difícil, escolher a dos outros (nossos filhos), seres completamente dependentes de nós...dá medo!

Que essa Gripe A (e as demais porcarias) fiquem bem longe de ti e dos teus!

Only Words disse...

Tenta não questionar as tuas decisões, porque as tomaste de acordo com o momento e com aquilo que te pareceu o mais correcto. Ser mãe é mais do que seguir o coração, é proteger parte de um Ser que é parte de nós!

carl@ disse...

Fizeste o que o teu coração de mãe mandou e por vezes é assim que tem de ser.
Agimos na defesa dos nossos tesouros, enquanto pudermos protegemos

Vai tudo correr bem!

mãeee disse...

Eu fui mãe muito cedo, e as dúvidas smepre fizeram parte do caminho ... na maternidade, como em tudo. No entanto, o coração sempre foi o fio condutor das minhas decisões.
Aos 30 tinha 3 filhos, muitas dúvidas, muita necessidade de ser filha, tanta quanto de ser mãe.
Penso que fizeste bem ... fizeste o que o coração ditou/intuiu, mas alimentado pela razão.
Bjs

carlostgc disse...

Ana C. às tuas dúvidas tu pp dás a resposta. A vida é sempre tão imprevisível que apenas a vamos tentando gerir da melhor maneira... à nossa maneira.

Importante é o medo não nos tolher o cérebro e o dia-a-dia, ok?!

... olha, o meu Tomás regressou à escola logo no dia 1 de Setembro... nem dá para fazer qq opção :)

continuando assim... disse...

na minha opinião penso que não terás de te preocupar.
Ao que parece é uma gripe como as outras...:)

bj
teresa

Ana C. disse...

Lia obrigada :) quem me dera que fosse assim tão linear...

Ana C. disse...

Joana penso que ter filhos, para mim é claro, mais do que qualquer coisa no mundo, tem que ser planeado, desejado. É uma coisa séria demais para se produzir de ânimo leve...

Ana C. disse...

Mulher a 1000 obrigada pelas tuas palavras, tens toda a razão.

Ana C. disse...

Daniel também não foi uma decisão de grande grande monta. Ela só tem 3 anos e vai ficar mais uns meses em casa, tem a vida toda para ir para a escola. É assim que tenho que pensar ;)

Ana C. disse...

Melissa mas temos que optar não é? Não podemos ficar ora num pé, ora no outro. Eu tinha que decidir...
Obrigada!

Ana C. disse...

ML nem mais, tomar decisões em prol de um ser inocente e dependente é assustador sim senhora...

Ana C. disse...

OnlyWords eu ainda estou a descobrir o que é ser mãe ;) Mas estás certa, tem tanto de coração como de razão. O equilibrio é que é o mais complicado de conseguir...

Ana C. disse...

Carla obrigada :) Ao contrario do que dizem, penso que o coração de mãe não é infalível, mas enfim...

Ana C. disse...

mãeee nem mais, coração temperado pela razão. QUanto a ti meu Deus mãe de 3 antes dos 30 é dose, parabéns!

Ana C. disse...

Carlos o teu filhote não tinha pais que pudessem ficar em casa, provavelmente se tivesse tinham feito o mesmo que eu fiz. Obrigada pelas tuas palavras ;)

Ana C. disse...

continuando assim o problema é que as grávidas são grupo de risco, para quê arriscar? Bjs