domingo, 22 de novembro de 2009

À Superfície

É incrível como ainda me espanto, me embasbaco, me choco de cada vez que vejo mais um pai destruir o património emocional de um filho com uma ligeireza estúpida, como se fosse a coisa mais natural do mundo.
Fazer filhos é fácil, fazer-lhes gracinhas e cuchi cuchi no queixo enquanto eles se babam é cagada, mudar fraldas e gabar-lhes o jeito para a muda é um peido, agora não os traumatizar, tentar mantê-los sempre à tona quando tudo o resto desmorona, puxá-los com todas as forças à superfície quando a vontade é deixar a própria vida afundar, isso sim é de gabar.

11 comentários:

Vanessa. disse...

É verdade, isso sim é de gabar!!!

Melissinha disse...

É nas crises que se vê de que material são feitas as pessoas.

PP_FANTASMA disse...

Ana,
Ainda estou para descobrir os meus defeitos/qualidades como pai mas,apesar disso, creio que sei do que estás a falar.
Ks

Lia disse...

sei bem do que falas, qd há mães que ensinam os filhos a chamar nomes ao pai só pq já n estão juntos, ou a fazer guerra por causa do Natal...enfim!

Lebasiana disse...

AINDA TE ESPANTAS?!

anda passar uma hora á minha escola... só uma!

jinhos

Ana C. disse...

Vanessa de gabar e de louvar...

Ana C. disse...

Melissa e foi precisamente a pensar nas crises conjugais que escrevi isto ;)

Ana C. disse...

Pp Fantasma Ciranças/Jovens e adultos com a cabeça toda quinada (ahahaha) pelos pais é o que há mais por aí...

Ana C. disse...

Lia e vice-versa também. É uma tristeza...

Ana C. disse...

Lebasiana calculo a quantidade de histórias que te passam à frente...

Brisa disse...

Quando se pisa o risco, um pai/mãe minimamente atento vê logo as consequências no rosto do filho. Se, apercebendo-se, não fizer nada para tentar compensar, então é um pai/mãe que só pensa no seu umbigo. E é muito, muito triste...