sexta-feira, 28 de maio de 2010

À Noite no Hospital

Apesar de a cesariana do António me ter custado menos, em termos de dores pós-cirurgia, que a da Alice. Em grande parte, senão na totalidade, devido à morfina que levei na espinha a pedido expresso da minha médica (quando foi da Alice só me deram paracetamol ahahahah). Tive uma grandessíssima hemoragia que me levou as forcinhas todas embora e me transformou numa espécie de fantasma/cara-pálida do recinto.
De modos que na segunda noite de internamento (com o António à guarda das enfermeiras) o Hugo apagou como nunca o tinha visto apagar. Aliás desmaiou na cama dele de boca aberta e tudo.
Eu estava a soro e a minha mão começou a inchar descontroladamente até ficar como uma daquelas luvas do Rato Mikey em formato balão sem conseguir movimentar-se e como o saquinho de soro estava preso a um suporte fixo na cama não conseguia levantar-me para ir à casa de banho sem ajuda. Por isso comecei a chamar o Hugo:
- Amor, Hugo acorda, não sei o que tenho na mão e tenho que ir à casa de banho!
Silêncio.
- É a sério, acorda lá!
Silêncio sepulcral.
- (voz muito alta) Caraças HUGO ACORDA! ACORDA, ACORDA.
Silêncio.
Então começo a a agarrar em tudo o que consigo alcançar, desde pacotes de bolacha Maria, a bisnagas de halibut e a arremessar tudo na direcção da bela adormecida.
- ACORDAAAAAAA!!!
Silêncio.
Em modo contorcionista, lá consigo alcançar o saco de soro e arrastar-me com ele debaixo do sovaco até à sanita, olho a minha mão e não quero acreditar no tamanho daquilo. Arrasto-me até à cama e chamo uma enfermeira.
Silêncio.
- HUGO SEU SACANA ACORDA!
Então ele levanta-se de um pulo já pronto para ajudar, mas desconfio que sonâmbulo.
Caraças agora que me lembro disto acho que nunca o vi tão cansado. Não acordou nem com um pacote de bolachas na tola. Sou mesmo uma mulher pacífica e independente, caramba que orgulho em mim.

4 comentários:

Melissinha disse...

hahahahahahahah ó paaaaa.

Luisa Corte Real disse...

Desculpe, mas o seu post fez-me rir!
Imagino que na hora tenham sido dolorosos os acontecimentos, mas ao ler as suas palavras sobre o seu Hugo, deu-me imensa vontade de rir!

Um beijo grande

gralha disse...

Muito bom!
Pois eu tenho um marido abençoado com sono de passarinho (pois, os filhos devem sair ao papai) que se levanta as 734 vezes para pôr a chucha quando eu já estou no estado comatoso do pós-dois biberons durante a noite. Benzódeus!
(e as vezes que eles se queixam que "sofreram muito" nos partos, porque nós estávamos a sofrer... Até mete dó)

sofia disse...

ahahahah
Como é possível não acordar com um pacote de bolachas na tola???...