sexta-feira, 7 de maio de 2010

Sling Me To The Moon


Adoro ver mães de slings, pois remetem-me sempre para a paisagem africana em que as mães quase incorporam os putos em si próprias, amarrando-os para todo o lado numa simbiose linda de se ver. Vou trabalhar de sol a sol, deixa-me incorporar-te filho. Vou andar 20 quilómetros até à aldeia mais próxima para comprar 100 gr de farinha, deixa-me incorporar-te filho. E aquilo mexia comigo, sempre mexeu. Era e é um quadro de mãe-natureza em pleno e transposto para as mães do mundo Ocidental uma imagem super cool e descontraída.
Com o nascimento da Alice veio um marsúpio que agora passou para o António, mas acreditem, ou não, ele não cabe lá dentro. Sei que há tamanhos diferentes, mas como me tinham emprestado um sling toca de experimentar ser uma mãe africana. Sempre atenta às instruções pego na minha bolinha chamada António e espeto com ele lá dentro em posição Yoga. Berros e gritos. Caraças que lhe parti a tíbia, torci-lhe um tornozelo, esmaguei-o!!!
O Sling parecia querer dar de si a qualquer instante e o António também. Calma filho, a mãe já te tira daí!!!
E quem disse que o conseguia tirar? Ãh? Vá, quem disse?
O suor já me escorria formando uma poça aos meus pés e o António preso nas malhas do maldito Sling aos gritos, furioso comigo, farto de estar ali colado a mim.
Pensei em pegar numa tesoura e cortar aquilo tudo até o libertar, mas o Sling tinha sido emprestado por uma querida amiga de uma amiga que nem me conhecia pessoalmente. Como explicar isto?
Pensei em chamar os bombeiros para desencarcerarem o bebé, juro que pensei. Até que o milagre se deu e a minha bolinha de quase 8 quilos rebolou dali para fora, já roxo de raiva.
Desculpa António, a mãe não tem jeito para ser cool, nem fashion, nem coisa nenhuma. A minha cena é empurrar o teu carrinho. Raisparta o Sling, ainda por cima este da foto é quase um acessório de moda e giro que se farta. Mas enfim não se pode querer tudo...

10 comentários:

LaranjaLimão disse...

Meu Deus, querias meter a criança dentro daquele saco de sarapilheira??? Até eu do lado de cá me sinto apertada só de olhar para aquilo.
Olha filha, empurra o carrinho que a criança gosta mais, e tu vais treinado o bicepe, é que com os 8 kg do António naquela posição, acho que o melhor que levavas dali eram dois bicos de papagaio e três artroses.

Lídia Borges disse...

Adorei o texto, desde a primeira à última linha.
"A necessidade aguça o engenho" e a mim também sempre me intrigou a forma como a mulher africana desempenha as suas tarefas carregando os filhos como se estes realmente fossem "carne da sua carne".

Parabéns pela "agilidade" do texto.

Melissinha disse...

Ó pá tás em grande forma! :D

O meu andou desde um mês no marsúpio, não gostou nada do sling. Mas conheço bebés que adoram. Depende muito, mesmo.
Tenta um marsúpio XXL.

Jo Ann v. disse...

Sendo eu angolana, quando queria fazer algo e um dos meus sobrinhos/primos não deixavam porque "não me deixes sozinho/a", eu ia buscar o pano (tipo lençol) e amarrava-o/a às costas e lá ia eu lavar a loiça ou engomar ou que seja, e a criatura a rir que s'a fartava.

gralha disse...

Os meus tb n curtem do sling mas do marsupio oh yeahhh

Nina disse...

Desculpa, querida, mas tive que me rir do teu relato. És fantástica.
bji gde

Rita disse...

Eu adoro o sling!!!

O Gonçalo tem quase 3 anos e quando anda mais ansioso pede-me logo para ir para o "saquinho" (como lhe chama).

Após o nascimento dele tive uma depressão pós-parto e quase de um momento para o outro deixei de o amamentar e tive que ficar internada. Quando voltei para casa sempre que lhe pegava ao colo ele chorava muito (estava a fazer as queixinhas a que tinha todo o direito... tinha se sentido abandonado).

Foi com o sling que o conquistei, foi sem dúvida uma preciosa ajuda para reconquistar o meu filho.

Raul e Joel Carvalho disse...

Divulgação Blog de Noticias Humuristicas

http://noticiasanctuanlizadas.blogspot.com/

Petra Pink disse...

olha eu quando for mãe quero experimentar tudo para ver o q da mais jeito! loll beijo

sofia disse...

Ana, se me é permitido dizer alguma coisa é para que não desistas à 1ª
A minha filha está quase com 2 anos e adora o sling
Mas quando com 1 mês a enfiei por 1ª vez lá dentro parecia um touro enraivecido, aprisionado dentro de qualquer coisa, como se estivesse pronto para o talho!
Tem a ver com o nosso próprio à vontade em "manusear" o "artefacto" e com o descobrir a posição que lhes é mais confortável
O que é certo é que, passado pouco tempo, lá nos entendemos com aquilo, até chegar o momento em que já era possível sair à rua
E fiz de tudo com ela no sling: passear, aspirar a casa e quando se começa a conseguir mete-los às costas até cozinhar e passar roupa!
Do marsupio é que nunca gostei
Bjs