segunda-feira, 25 de maio de 2009

Ler, ou não Ler no WC?

Ler, ou não ler no WC, ou water closet para os mais eruditos, eis a questão.
Durante muito tempo achava quase um sacrilégio levar boa literatura para me entreter durante o acto de... Como é que lhe hei-de chamar? Durante o acto de libertação orgânica.
E como sempre fui rápida, indolor e inodora (é claro) durante a coisa, nunca achei necessário munir-me de um livro para me acompanhar nas horas mais solitárias.
No entanto sabia de pessoas que se não tivessem mais nada à mão levavam as Sagradas Escrituras para o poleiro. Outras que levavam a chamada literatura de bosta, como as revistas da fofoca. Outras que eram até capazes de levar os Miseráveis de Victor Hugo para as ajudar na árdua tarefa de parirem um calhau.
Confesso que sempre me ri à socapa só de imaginar a cara do Saramago se soubesse que era lido em tais circunstâncias. Se bem que para mim o Saramago (e atirem-me pedras se quiserem) é literatura de insónia. Resulta melhor do que um Valium 10.
Mas avançando na minha divagação. Como já devia ter aprendido há muitos anos, não devemos gozar com nada na vida dos outros, pois um dia pode-nos calhar a mesma sorte e assim foi. Grávida de poucas semanas, comecei a ser assolada pela mais grave crise de prisão de ventre da minha existência.
Nada resultava. Por mais fibra que enfiasse pela garganta abaixo, a Alice foi a responsável pelo maior número de horas sentada na sanita de que tenho memória.
Nessas minhas horas solitárias dei por mim a ler os rótulos dos Shampôs, Gel de banho, pasta de dentes, até bulas de medicamentos. Tudo servia para me abstrair daquela tarefa tão dura em todos os sentidos e timidamente comecei a levar às escondidas umas revistas da cusquice para me acompanharem. Não havia melhor do que ler as aventuras da Lili Caneças naquele ambiente. Mas cedo me entediaram as aventuras do nosso Jet7. Eram sempre as mesmas caras, as mesmas festas, os mesmos eventos. Por isso essas revistas cederam lugar aos livros.
Depois da minha filha nascer e consumida pelo choro constante daquele bebé absorvente. O único tempo que tinha para ler era de facto na casa de banho. E muito embora já não sofresse de qualquer dificuldade a esse nível, dava por mim a ler entre o sossego daquelas quatro paredes. Acreditem que cheguei a ler um livro inteiro apenas nos momentos em que me sentava na sanita.
Hoje em dia atribuo a esse hábito que sempre critiquei um nome bem mais pomposo do que é na realidade. Eu digo que é a paixão pela leitura.
Mas há quem certamente diga com a mesma rapidez que me estou é a cagar para a leitura.
Tenha o nome que tiver, digam o que disserem, eu prefiro continuar a pensar que é tremendamente intelectual levar um bom livro para qualquer parte da nossa vida.

36 comentários:

Brisa disse...

:) É o que dá gozar à partida com uma ciência que se desconhece!! :)
Eu sempre adorei levar uma revistinha ou um livrinho ou palavras cruzadas, mesmo que o tempo da obra demorasse uns escassos minutos. Agora, mais do que nunca, partilho dessa sensação de sossego e de paz entre as quatro paredes... enquanto o meu filho não se apercebe da minha ausência e vai a correr ter comigo, escancara a porta e senta-se aos meus pés à espera.
Mas só assim posso dizer que leio um livro hoje em dia!

Miguel disse...

Como é sobejamente conhecido pelos leitores do meu blogue, o meu intesino prima por ser caprichoso!! Assim, habituei-me a levar sempre algo para ler no WC. Seja o livro que estiver a ler no momento ou outra coisa qualquer. Afinal, sempre se dinamiza aquele espaço de tempo, que é basicamente, uma cagada!!

Miepeee disse...

Eu mesmo que queira ter sossego na casa de banho nao posso, porque o raio da gata tem que me fazer companhia a toda a hora. Enquanto nao lhe abro a torneira do lavatorio nao me larga e depois de saciar a sede ainda vem esfregar-se nas minhas pernas.
Quando consigo ser mais rapida do que ela (coisa rara) nao levo nada porque nem tive tempo de apanhar nada a jeito.

Jo Ann v. disse...

Eu sempre levo livro porque não gosto do tempo perdido a olhar para a porta (em França, os WC são separados da casa de banho) ;-)

Rainha Mãe disse...

Na minha casa de banho existe uma gaveta cheia de revistas. Assim quem se quiser servir está á vontade...:)

Only Words disse...

Oh Deus meu!!!! Que raio de tema te foste lembrar, é que só me deu para rir!!!!! Ok, confesso que também sou das que lê tudo o que houver à mão durante a hora All-bran!:)

Ana C. disse...

Brisa AH AH AH
Só que comigo ninguém me tira o minuto de sossego. Já ensinei a minha filha que quando alguém está na casa de banho a fazer o que mais ninguém faz por nós. Ninguém entra. Até ela já pede para ficar sozinha ;)

Ana C. disse...

Miguel: Sempre se dinamiza aquele espaço de tempo? AH AH AH AH AH
Já pensaste numas aulas de aeróbica, em levares uns pesos para ires fazendo enquanto o teu intestino capricha?

Ana C. disse...

Mieepe se fosse comigo não me saía nada. Eu tenho que estar em paz naquele momento de divina inspiração. Andar a levar marradinhas da gata enquanto coiso e tal? Nem pensar!!!!

Ana C. disse...

Jo Ann tocad e escrever na porta da casa de banho, já pensaste nisso?

Ana C. disse...

Rainha Mãe mas tu pensas em tudo, que acolhedora que és ;)

Ana C. disse...

OnlyWords Hora All Bran???? Ah Ah Ah
Esses cereais são de facto uma verdadeira bomba de fibra, cuidado com eles :)

gralha disse...

Quanto rótulo de champô já me serviu de literura intestinal!
Mas agora a sério, não se deve ler nessas circunstâncias porque provoca hemorróidas: ora aqui está mais um tema tão pouco falado na blogosfera! :)

adelaide amorim disse...

Ana, ri muito com seu texto. Mas ele fala de grandes verdades, e posso dizer que partilho dessa sua forma de paixão pela leitura :D
Abraço.

Polar Azul disse...

Eu leio tudo o que me aparece no WC, desde rótulos de shampoos a amaciadores. Tudo.

Ana C. disse...

gralha não achas que os shampôs têm químicos a mais? Aquilo não pode fazer bem ao cérebro... Quanto ao hemorroidal pára lá de agoirar :)

Ana C. disse...

Adelaide antes de tudo bem vinda!
Ainda por cima do outro lado do Atlântico e com sotaque tropical. Que bela surpresa :)
Ainda bem que partilhas da minha paixão pela leitura. Deviamos poder ler em qualquer lugar, sem constrangimentos ;)

Ana C. disse...

Polar Azul, tal como eu és uma leitora compulsiva :)

Banita disse...

É muito raro ler no WC! Quando era mais nova gostava muito, mas não o fazia quando arreava o calhau... É preciso concentração para isso e não pode haver distracções! :D

Jo Ann v. disse...

Anz, já já ! Houve até altura que tinha um poster na porta com "Women at work", e os nossos convidados assinavam ;-)

Kitty disse...

E dizes tu que te ris quando vais ao meu blog ahahahaha deixa lá que eu a ler este post não fiquei nada atrás ahahahaha

Melissinha disse...

Eu acho de um tremendo respeito levar um livro para o troninho. É um momento de concentração total, em que estás entregue a ti própria, em total intimidade com o teu eu verdadeiro.
É uma prova de amor ao autor, é sim senhora.

Eu cá gosto de ler os champôs e cremes, e todas as suas virtudes.

Ana C. disse...

Banita AH AH AH AH É preciso mais concentração para arrear o calhau do que para ler um bom livro.

Ana C. disse...

Kitty é sempre bom fazer rir quem nos faz rir :)

Ana C. disse...

Melissa achas que é de um tremendo respeito? A sério? Nunca tinha pensado sob essa perspectiva. Há sempre uma primeira vez. Mas vou incluir esta dica na minha mente.

MARIINHA disse...

Pois, e tu continuas a escrever com muita graça. Hoje espreitei o teu blog e li o post por alto, ele é grande e não deu para ler tudo, mas mesmo assim deu para ver, por alto, do que se tratava. Dei por mim a rir para o computador. Se alguém visse, devia achar que estava tontinha.
Há pessoas que têm muitos problemas para defecar ou evacuar (já viste que fino,às segundas-feiras sou assim), quando estão grávidas. Conheço várias que sofreram horrores como tu. Dos comentários gostei principalmente da Miepeee que leva maradinhas da gata Nina nessas ocasiões e a querida Rainha Mãe que se lembra das suas visitas em todas as ocasiões, até quando estão no acto de defecar. Ha. ha. ha. Vocês são demais, o que comentam durante o dia e eu sem poder dizer nada.
Tenho de ficar quietinha à espera de chegar a casa. É por isso que só comento agora.Isto não se faz.
Beijinhos

Francisco disse...

Eu só tenho tempo para ler (livros) aí!!

:)

Ana C. disse...

Mariinha fico contente por saber que te arranco da rotina do trabalho e que te faço ficar à beira da explosão nos sítios mais impróprios :) Obrigada

Ana C. disse...

Francisco o que importa é ler. Onde não tem o menor relevo :)

alma disse...

há os que não têm tempo para ler nada!!!

Ana C. disse...

Alma mesmo esses precisam de tempo na casa de banho. Porque não tirar proveito desse tempinho morto? Ah Ah

Tasha disse...

E ler a publicidade que deixam na caixa do correio??? Tipo catalogos do Continente, do Plus, da gaja que le a sina, do canalizador (que apropriado...). Sei lá! Tudo serve!
Ajuda-o a sair macio hihihi

Ana C. disse...

tasha podes sempre aproveitar a publicidade se te faltar o papel higiénico :)

socasmoinhosebicicletas disse...

Pois uma coisa te garanto: o teu livro nunca foi lido a partir do meu trono que as minhas conversas com a porcelana querem-se bem rápidas, assim tipo visita relâmpago, e por isso sem qualquer literatura, seja ela qual for. Excepção feita à necessidade frequente de uns banhinhos de imersão para relaxar, esses sim, os principais responsáveis por ficar mais tempo no water closet. ;-)

Ana C. disse...

Socas que saudades!!!! E isto é muito mais importante dizer do que falar do Water CLoset :)

socasmoinhosebicicletas disse...

I'm back on track! ;-)
(e a actualizar-me gradualmente de tudo o que andei a perder)
Obrigada!
Beijinho