sexta-feira, 29 de maio de 2009

Questões de Princípio


Numa das minhas idas aos Estados Unidos trouxe uma caneca com umas frases famosas de Thomas Jefferson.
Usava-a para beber o meu café matinal, mas cedo iniciei uma relação de amor com ela. Gostava mais de a ter à minha frente do que a servir de recipiente para a minha bebida de eleição, por isso de vez em quando trago-a para perto de mim enquanto trabalho no computador e leio-a vezes sem conta, como se aprendesse uma lição de cada vez que sigo as linhas de letras na superfície circular.
Hoje ao olhar para a minha companheira senti que devia partilhar aqui as pequenas lições nela impressas:
- Em questões de estilo, nada com a corrente; Em questões de Princípio permanece firme como uma rocha.
- Nunca incomodes ninguém por algo que podes fazer sozinho.
- Quando estiveres furioso conta até 10 antes de falares, quando estiveres tremendamente zangado conta até 100.
- Os meus afectos devem ir em primeiro lugar para o meu país e só depois para toda a humanidade.
Esta última frase é extensível a um sem número de coisas na nossa vida. É um lembrete para que nunca se invertam prioridades. Para mim enquanto houver uma única criança a sofrer, jamais gastaria as minhas energias a defender animais.
Enquanto alguém da minha família precisar de ajuda, essa pessoa terá sempre prioridade sobre desconhecidos.
Às vezes precisamos de uma mão cheia de princípios para mantermos os pés bem assentes naquilo que importa.

18 comentários:

Precis Almana disse...

É controversa essa do país e depois para a humanidade... Foi feita nos Estados Unidos, não é? :-)
Mas sim, se pensarmos como tu, toda a razão. Passo-me com aquelas pessoas que são sócias da AMI e mais disto e mais daquilo - se calhar para o IRS - e depois são umas egoístas de primeira e não ligam nenhuma a quem têm próximo. Conheço, oh se conheço...

Vanessa. disse...

Concordo com as tuas palavrinhas, todas elas fazem todo o sentido. E essa última frase, não acrescento nada, porque a tua explicação está tremendamente bem elaborada!

Ana C. disse...

Precis eu penso que um Presidente da República deve ter sempre como primeira preocupação a sua nação. Foi a ela que fez promessas, que jurou fidelidade. É perante ela que tem que responder primeiro.
É claro que esta é a perspectiva de Thomas Jefferson no séc. XVIII. Hoje em dia os EUA são uma grande potência mundial...
Quanto ao resto estou totalmente de acordo contigo, é precisamente isso que penso que o homem quis dizer :)

Ana C. disse...

Vanessa aposto que gostavas de ter uma caneca com estas palavras para ti :)
Obrigada!

Blue C disse...

Ana, concordo contigo excepo na parte dos animais e das crianças. Eu sinto que um dos grandes problemas da Humanidade é a falta de aceitação pelos diferentes e a assumpção de superioridade sobre os demais. É assim que andamos há séculos a destruir ecossistemas.
Na realidade quando não respeitamos outras formas de vida, dificilmente respeitamos a Vida qualquer que seja. Por isso, defendo que podemos defender e proteger as crianças e tudo o que tiver Vida.
O ser humano limita-se demasiado, pensando que é "isto" ou "aquilo". Nós somos o que quisermos ser. É uma questão de scolha.

A verdade é que se cada um de nós quisesse, tudo poderia ser diferente. Como não posso querer pelos outros, faço a minha parte: não mato animais desnecessariamente (mas como carne porque o homem é omnívoro), agradeço a vida dos seres vivos que me proporcionam comida, faço os meus donativos a algumas instituições (e não é só no Natal que elas precisam), faço o meu trabalho junto das pessoas (que tem a ver com transformação pessoal) para as ajudar a serem melhores seres humanos (na medida do que estão preparadas para ser), estou atenta ao que se passa na minha vila e no meu País, vou votar (em vez de não votar e passar 4 anos a queixar-me), rio (também é importante) amo muito e tento respeitar as diferenças (bem, nem sempre consigo, mas tento).
O mais importante para mim é não deixar de fazer a minha parte só porque o vizinho do lado não faz a dele.

Melissinha disse...

Think global, act local! :D
Também acho que precisamos ir do micro para o macro: nós próprios, a nossa família, o círculo alargados de amigos, a comunidade, o país, o mundo.

Tou numas de mandar fazer uma caneca com os meus princípios!

Hyndra disse...

Nao querendo ser desmancha prazeres... e achando interessantes os ensinamentos que a dita chávena te revela...não deverias preparar-te para a eventualidade de um dia destes tu ou alguém encalhar na chávena e ela ir secretária abaixo caminho a uma vida - ou será que devo dizer morte - de cacos?

InêsN disse...

"Nunca incomodes ninguém por algo que podes fazer sozinho."

há tanta gente que se esquece desta grande verdade!

Ana C. disse...

Blue C às vezes sinto que sou mal interpretada. Eu respeito os animais e o meio ambiente, sou conscienciosa, faço a minha parte na sociedade. Falo dos fanatismos em defesa dos animais, daqueles que gritam, manifestam, enlouquecem, debatem sobre as touradas por exemplo. Penso que enquanto houver uma criança a sofrer no mundo, uma mulher mutilada em tantas comunidades por esse mundo fora, as energias deveriam focalizar-se nessa direcção. Entendes? Apenas e tão só isso.
O valor de uma vida humana e o valor de uma vida animal, pelo menos para mim que não sou budista, têm pesos diferentes sim.
Esta é a minha visão do mundo, apenas a minha visão, não quer dizer que seja universal :)

Ana C. disse...

Melissa olha que bela ideia. Havia por aí um desafio a circular em que tinhas que escrever os teus 5 princípios de vida, força! Quanto à frase que deixas, vou desde já adoptá-la :)

Ana C. disse...

InêsN é bem verdade que muita gente pede primeiro antes sequer de pensar em fazer ela própria ;)

Ana C. disse...

Hyndra AH AH AH AH
Pelo menos não levas nada demasiado a sério ;)
Se isso acontecer mando fazer outra como sugere a Melissa com os meus próprios princípios.

Joanissima disse...

Esse moço dizia umas coisas... pese embora seja americano (enfim, ninguém é perfeito) tinha miolos, sim senhor!!

(a minha caneca favorita diz "Mamã". Por aqui se vê que não fui talhada para a intelectualidade... : )))))

socasmoinhosebicicletas disse...

Esses princípios são óptimos para mandar inscrever numa t-shirt que a caneca é gira, mas não tem tanta visibilidade! ;-)

Blue C disse...

Ana, não te interpretei mal, só penso diferente ;-). Não vejas o meu comentário como crítica, mas somente como exposição daquilo que penso. Eu compreendo o teu ponto de vista, mas a verdade é que no exemplo que dás das touradas, reitero o que escrevi anteriormente: há uma clara desvalorização da vida e isso faz-me questionar sempre se as pessoas que defendem a visão da morte por entretenimento "só" desvalorizam a vida dos touros ou também outras formas de vida. Percebes? A minha reflexão é somente no sentido de olhar para trás do que é aparente nestes casos.
Quanto à familia, concordo contigo. Se cada um cuidasse dos seus, teríamos uma sociedade mais justa (sem idosos e crianças afastados das familias, espancados e violentados).
Lembrei-me de uma frase do Clube dos Poetas Mortos. Vou ver se a encontro sobre isto.
Grata por me inspirares!

Blue C disse...

Outra coisa não me passaria pela cabeça que tu não defendesses os animais... dá para ver que tens sensibilidade.

Ana C. disse...

Joaníssima nem tudo o que é americano é mau :) Olha o Obama-mos

Ana C. disse...

Socas manda fazer uma t-shirt com os teus princípios sim. Eu vou mandar fazer um quadro...