sábado, 31 de outubro de 2009

A Inocência é o Melhor do Mundo

Desde cedo que tento explicar à Alice que não se fica embasbacado a olhar de cada vez que alguém um bocadinho diferente passa por nós. É claro que não posso pedir que ela se transforme numa espécie de Nova Iorquina capaz de passar com uma indiferença desconcertante por uma mulher nua a cantar o fado em plena avenida, mas dentro das nossas limitações de gente comum, ela já aprendeu que não fica de queixo caído embasbacada de cada vez que alguém com uma deficiência passa.
No entanto com apenas 3 anos é natural que de vez em quando se esqueça. Por isso outro dia quando estavamos numa loja e uma senhora de cadeira de rodas motorizada passou por nós, os olhinhos dela ficaram como se diz em bico. Completamente vidrada naquela viajante de motor, seguiu-a com o olhar durante minutos a fio.
Finalmente caiu em si e olhando-me como se tivesse cometido uma grande asneira sorri e disfarça falando muito alto para que a senhora a escutasse:
- Ó mãe que carrinho tão giro, gostava tanto de ter um, compras-me?
Emendou a mão da melhor maneira que conseguiu, eu não faria melhor, mas que pode ter passado por humor negro infantil, lá isso pode...

8 comentários:

Raquel disse...

A minha mãe tem muitas histórias deste género para contar! Por exemplo, a minha irmã tinha 3 anos de idade quando viu uma mulher anã pela primeira vez, ficou de boca aberta a fitar a mulher, a olhar a mulher de alto a baixo, até que a anã se vira para a minha irmã e diz algo do género: tu também és pequenina! ao que a minha irma responedeu: mas eu sou nova e tu és velha. E eu tinha uns 5 anos e estavam 2 senhoras a nossa frente para a caixa do supermercado e ouvi-as dizer algo sobre serem da Guiné (as senhoras eram de cor), nesse momento virei-me para a minha mae e perguntei: mae, se eu tivesse nascido na Guiné era preta?
A minha mae enfiou-se num buraco no chao Ahahah!
Adoro a honestidade e transparencia das criancas!

Lia disse...

mas pelo menos as crianças não fazem por mal...pior são os adultos que dizem coisas e têm atitudes que magoam e fazem-no conscientemente!

Ana. disse...

Com três aninhos ela demonstrou foi uma sensibilidade extraordinária!
Que querida!
;)

Joanissima disse...

ahahahahah

safou-se com muita dignidade...

Ana C. disse...

Raquel ahahahaha adorei as vossas tiradas. Espero também eu me lembrar de todas para poder contar à Alice mais tarde ;)

Ana C. disse...

Lia na idade dela não há maldade nenhuma, só inocência. Mais tarde tenho que admitir que há muitas crianças sádicas, infelizmente...

Ana C. disse...

Ana. eu quero acreditar que sim que foi precisamente isso ;)

Ana C. disse...

Joaníssima alguma coisa ela aprende com a mãe, não é?