quinta-feira, 30 de julho de 2009

De Gaja para Gaja

E agora uma pergunta inofensiva para as mulheres deste planeta:
Porque é que querem sempre para as outras mulheres uma realidade idêntica à vossa?
Porque é que bem no vosso intimo nunca aceitam a 100%, ou olham como uma espécie de aberração da natureza uma mulher que esteja solteira aos 40 anos, ou que tenha decidido que não quer ser mãe?
Eu adoraria entender, a sério que sim. Porque na minha ingénua maneira de pensar não temos que ser todas iguais, nem fazer exactamente as mesmas escolhas para sermos socialmente aceites.
Acharia tremendamente enfadonho estar enfiada na mesma sala que um bando de mães a falarem das gracinhas dos seus filhos, ou a queixarem-se da preguiça do marido, sem uma mulher por perto que me falasse das gracinhas de não ter putos, ou da sua vida de solteira.
Por isso senhoras que bombardeiam outras senhoras com perguntas como:
E para quando o casamento? E para quando um puto? E para quando uma bufa da cor da minha? Pensem sempre que cada uma terá as suas motivações, impedimentos, escolhas de vida que nem sempre passam por vidas fotocopiadas das vossas.
E não é bom sermos todos diferentes?

33 comentários:

Melissinha disse...

subscrevo isso e muitas outras diferenças!
Não é fixe encontrar alguém com valores completamente diferentes dos nossos? Aprende-se sempre um milhão de coisas, mesmo discordando de tudo.
volta e meia empenho-me em conhecer gente fresca, com perspectivas novas que é para dar gasolina aos meus miolos.
(Daí teres donas de casa perfeitas e "mães naturais", além de gajos raivosos e peruões linkados ao blog da família).
Viva as cores todas!

L. disse...

Ao contrário da grande maioria das minhas amigas e colegas, eu sou totalmente diferente!!!!

Não me envergonho de dizer que quando estive na faculdade não apanhei uma bebedeira/borracheira. E porquê? Simples. Não aprecio alcool. Gosto de uns bons licores, bem docinhos. Mas dispenso bem o resto das bebidas.

A uma semana e dois dias de fazer 24 anos (ai credo... que número tão redondinho) não tenho namorado, ao contrário das minhas colegas e amigas que parecem obcecadas com esse objectivo de vida. Algumas até ficam doentes porque não namoram há não sei quantos dias!!!!!

E podia continuar aqui a dizer mais coisas que me diferem delas, mas basta-me dizer uma simples frase: Sou feliz assim!

Gosto de ser diferente.

beijinhos

PS - Estou a voltar aos poucos. A ver se vou escrever lá na minha chafarica.

Poetic GIRL - BELA disse...

Eu acho que é bom sermos diferentes. Aliás cada um faz da vida o que bem entender. Eu sempre disse que prefiro ficar sózinha que mal acompanhada. E a vida de uma mulher, não se pode resumir apenas a marido e filhos, há tanto mais para se viver... beijocas

Only Words disse...

Também gostava de ver esta questão respondida! Para pessoas que, como eu, não ambicionam casar e ter filhos, acaba por ser castrador os questionários constantes, as ilações precipitadas.Por vezes acabamos por nos sentir demasiado diferentes e à margem das normas sociais. O respeito por quem tem opções ou orientações de vida "diferentes" é algo quem nem todos conseguem ter ;)

Melissinha disse...

Acho que algumas pessoas se assustam - e até têm uma pitada de inveja - dos que ousam querer algo de diferente.

Miepeee disse...

Completamente de acordo.
O que nos torna especias e sermos todos diferentes e aceitarmos as diferncas.

Miguel disse...

Gajas...
(suspiro...)

Marcia Parassol disse...

Ana,
Recuso-me a ser igual e longe de ser diferente! Quero ser eu mesma, com qualidades e defeitos respeitados.
Quando questionavam a vinda do segundo filho, eu respondia que seria amanhã...mas amanhã? Como assim? Porque amanhã é outro dia de planeamento e esperança. E assim se concretizou aos 41 anos, com uma diferença de 8 anos do primeiro filho.

Beijocas,

Márcia

DIABINHOSFORA disse...

Parece o clube da "Maria vai com as outras!" Que coisa...vê lá se andassemos todas ao mesmo! Não sobrava nada para ninguem!
Reinvente-se a originalidade!

HannaH disse...

não me enquadro nada nesse estereótipo. nao sei se fui sempre assim, ou se simplesmente o hábito e o grande numero de pessoas com quem convivo ser diferente (nao ser casado nem ter filhos) me fez ver as coisas assim... cada um vive como gosta ou como pode e ponto final!

Mamã do Raúl disse...

Muito bem dizido...aceitar para ser aceite...faz aqui e sempre todo o sentido!

miriam_ferreira disse...

Também não vejo qual o problemas de não querer casar (até hoje acho que me drogou para eu neste momento estar casada, porque eu na realidade não me lembro de quando decidimos casar) e ter filhos, no primeiro (filho) como foi cesariana com anestesia geral, fiquei largas horas a olhar para aquele ser e a pensar que talvez não fosse meu, afinal quando eu acordei ele já estava ao meu lado e não havia testemunhas presentes, ou pelo menos conscientes, de que ele era meu. Mas depois conformei-me e pensei: "afinal tenho de o levar para casa e tenho ... vamos lá ver se corre bem". E tem corrido já lá vão 8 anos e há 2 tive mais outro filho ( também devia estar drogada, não me lembro quando decidi ter outro...) este não tive dúvidas, estava lá e acordada e vi o alien a sair pelo "fecho éclair"(foi outra vez cesariana).
Com o testamento acima apenas quis dizer que apesar de fazer parte das casadas e com filhos, não me sinto minimamente parte do "rebanho". Não acho obrigatório casar e nem ter filhos, sem bem que as coisas podem acontecer naturalmente ( ou por força das drogas como eu acho que é o meu caso...) mas não sou a favor da militância de parte a parte. Nem ser anti casamento nem anti procriação ou achar que não é normal ser solteira e sem filhos aos 40 anos. Temos apenas que escolher o nosso caminho e deixar os outros escolher o deles.

Ana C. disse...

Melissa refiro-me a estas em particular porque tenho assistido a muitas pressões deste tipo, mas é claro que vale para tudo o resto...
Donas de Casa Perfeitas AH AH AH AH
Como organizar as ervas aromáticas.

Ana C. disse...

L tu ainda és muito nova e cheia de tempo para trilhares o teu caminho, qualquer que ele venha a ser. O importante é que respeitem o que quer que seja que decidas abraçar na tua vida.

Ana C. disse...

Poetic Girl já reparaste que há mulheres que para não ficarem sozinhas vivem mal acompanhadas e passam a vida a queixarem-se disso?

Ana C. disse...

OnlyWords muitas vezes sinto que as mulheres são mais preconceituosas umas com as outras, não achas?
Faças o que fizeres, fá-lo de plena consciência e não para seguires o rebanho ;)

Ana C. disse...

Miepeee mas porque é que há tanta gente que não entende isso?

Ana C. disse...

Miguel às vezes só me apetece ganir.

Ana C. disse...

Marcia essa pergunta: E para quando outro? Mesmo quando já se tem vinte filhos, é um verdadeiro quebra cabeças para mim.

Ana C. disse...

Diabinhos estou contigo, há muita coisa que tem que ser reinventada no cérebro de muito boa gente...

Ana C. disse...

Hannah tu ainda és uma moça jovem e ingénua, deixa-te crescer mais um bocadinho para começares a ouvir certas e determinadas coisas...

Ana C. disse...

Mamã do Raúl muito bem dizido para ti também ;)

Precis Almana disse...

Também já tive homens a perguntar-me porque é que eu não casei e não tive filhos... (nunca lhes ocorrendo que não haja uma explicação taxativa). É uma característica humana a de achar que um seu "semelhante" tem que ter semelhanças mesmo.

Precis Almana disse...

E agradeço-te este post :-)

Ana C. disse...

Miriam obrigada por me teres feito gargalhar sua grande drogada!!! Ah Ah Ah Ah
Tens toda a razão, ditaduras não valem para nenhuma das facções. Há que respeitar as opções dos dois lados, sem impôr pontos de vista a ninguém ;)

Marina disse...

Se as solteiras sem filhos aos 40 se incomodam com essas perguntas, também deviam começar a questionar as casadas e com filhos, porque escolheram esse caminho!
Eu sempre disse (na altura dos 18 anos) que não queria namorar, nem casar, nem ter filhos. Mas depois de conhecer o meu marido lá se foram as teorias de liberdade e independência que tinha! lol No bom sentido, claro.
Às vezes pergunto a amigos que já namoram há anos quando se casam, mas só porque é tão bom estar casado e como gosto muito deles, também gostaria que experimentassem a mesma felicidade. :) Sobre filhos nunca pergunto, sabe-se lá se andam a tentar e nem conseguem?
Mas pronto, eu acho que estar casada e com filhos é que é bom, porque foi esta a vida que escolhemos e é bom para nós. Aceito que outras pessoas que nunca tiveram esta experiência achem que a vida delas de solteiras independentes é que é boa, pois foi a vida que escolheram. :)

Ana C. disse...

Precis calculo que haja este tipo de perguntas vindas de homens e mulheres, mas infelizmente, testemunhei mais interesse feminino nas "aves raras".
Tu és apenas um exemplo de como se pode ser inteligente, descomplexada, de bem com a vida e não obedecer aos típicos padrões.

Ana. disse...

Obrigada gaja!

;)

Ceres disse...

Apoiado, Apoiado!!!!!

(som de palmas,lol)

joana disse...

Tão ler sobre o assunto, vindo de uma mãe e talvez casada. Vivo junta e passei a barreira dos 30 (30 certos), ainda ontem soube num jantar de amigas que mais uma no grupo está grávida (ora pelas minhas contas é a sexta ou sétima do grupo a ficar grávida)já estão:e a próxima és tu?!?! saberão elas mais que eu?...Tão bom saber que há pessoas que aceitam e vêm as diferenças.Quero ser mãe, mas o relógio biológico(de ambos) ainda não despertou para a maternidade.

Maria disse...

Estou rodeada de pessoas, que com a minha idade, ou decidem assumir qualquer relação, ou decidem ter filhos.. Já me perguntaram.. " Então e tu.. Quando é que te juntas.."

O quê ? nem todos temos de ter os mesmos ideais.

beijinho.

Ritinha disse...

... obrigada... :)

Undutchable disse...

Mais pertinente não podes ser! É por causa de postas como esta que eu gosto tanto de te ler, melhéri!!!