quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Um Bocadinho de Brio Por Favor


Saio da cama com a sensação de que carrego o peso do mundo nas costas. Tenho a garganta irritada pela chuva e os pés recusam-se a obedecer às minhas ordens simples para se colocarem um à frente do outro e andarem. Mesmo assim desenterro de dentro de mim um sorriso de bom dia para que não te sintas culpada pelos meus cansaços matinais e dou um beijo na tua cara quentinha de sono.
Escolho-te uma roupa e saímos as duas. Vamos beber o café à pastelaria da zona.
Como tento sempre ser cordial com os outros, mesmo quando me sinto em baixo de forma, digo bom dia à empregada mal encarada atrás do balcão. Esta responde com um grunhido: O que é que vai ser?
Desfaço o meu sorriso e digo: Um café. Atenção que não é um descafeinado, pingado, cheio em chávena escaldada. É mesmo só um café.
A senhora arrasta-se a bufar até à máquina dos cafés e sempre a bufar lá me tira a bica, sendo que de seguida a pousa com tamanha violência em cima do balcão que quase a entorna.
Senhoras atrás dos balcões. Eu sei que a vossa vida não é fácil, deve ser duro terem que se levantar às 6 da manhã para entrarem ao serviço às 7. Não vos peço um sorriso de orelha a orelha, mas que façam o vosso trabalho com algum brio e com o mínimo de cordialidade. Devemos pôr tudo o que somos naquilo que fazemos, o que quer que seja que façamos.
E tenham muito cuidado, porque pessoas pacatas que dizem bom dia, por favor e obrigada, qualquer dia podem-se cansar e minhas queridas, não queiram nem imaginar do que somos capazes quando nos viram ao contrário...

16 comentários:

Sílvia disse...

Tenho que concordar contigo. Existem tantas pessoas que parecem fazer as coisas por favor. Vejo isso em muitas lojas e cafés. E é como dizes, sei que não é fácil mas as pessoas servidas não têm culpa disso. Um bocadinho de simpatia nunca fez mal a ninguém.
E nem vou falar de alguns serviços públicos em que é preciso uma paciência enorme para não me passar da cabeça.

bjo***

Ana C. disse...

Sílvia, se eu fosse falar das repartições públicas precisava de um blog só para esse tema. Às vezes só mesmo ao estalo. Temos pessoas frustradas a tentarem impedir os outros de sucederem no que quer que seja...

Melissinha disse...

E quando pousam a grade de chávenas e pires com toda a frustração que carregam nos ombros sobre o balcão, fazendo o café inteiro pular de susto?

O governo devia pagar ginásios e terapeutas a toda a gente, a ver se andamos mais contentinhos. Por mim a ordem de prioridades seria, sempre com "alguns" à frente, é claro.

1. taxistas
2. empregadas de balcão
3. enfermeiras do hospital da minha zona.

Ana C. disse...

Melissa, agora mijei-me a rir (salvo seja). Mas que bela ideia. Isso, ou arranjarmos homens de jeito para tirarmos as frustrações a muitas mulheres que andam aí...

Joanissima disse...

Eu nessas coisas sou muito pratica. Se estou bem disposta sou exageradamente simpatica para que a outra pessoa acuse o toque. Mas se estou de neura, sou tão mas tão ruim que lhe pergunto, de rajada, se lhe devo alguma coisa e/ou se tenho culpa dos problemas d evida dela. Já o fiz uma vez. A garota corou, pediu desculpa e ficámos conversadas a partir dauele dia.
Nunca fui tão bem tratada como a partir daí. : )

Às vezes, se não nos queixamos, o outro nunca vai saber o quão antipático está a ser. Chamo a isso dar-lhe oportunidade para melhorar.

C disse...

Realmente não há paciência para gente mal educada. Todos os trabalhos pressupõem determinados requeisitos e atender ao público o mínimo de educação e de simpatia.
Sou tão pouco tolerante com a falta de profissionalismo!

Ana C. disse...

Joaníssima, eu cada vez acho mais que com certo tipo de empregadas é como os franceses: Trata-os bem e tratam-te como merda, trata-os como merda e eles tratam-te bem ;)

Ana C. disse...

C o nosso país é rico em pessoas medíocres que não gostam do que fazem e que o fazem mal. Eu continuo a achar que devemos fazer bem o que quer que façamos e também fico verde com faltas de profissionalismo.

Sunrise disse...

Elas que se cuidem, é só o que tenho a dizer. O problema é se nos exaltamos com algumas bestas dessas nós é que ficamos mal vistas. Mesmo que tenhamos razão.

Ana C. disse...

Sunrise, tens razão, mas há pessoas tão, mas tão notoriamente antipáticas que se lhes respondermos à letra acho que somos levadas em braços pelo resto da clientela :)

AnaMoreira disse...

Acredito que determinados empregos custem, que seja necessária muita paciência, porque ao contrário de ti, nem todos os clientes são simpáticos e eles tanmbém apanham com cada um que enfim, mas a verdade é que existe muita gente mal-educada e que não põe o mínimo do que é naquilo que faz. Todos temos problemas e isso reflecte-se no dia-a-dia mas tal como dizes, um pouquinho de brio não fica mal a ninguém!

Bj

Eumesma disse...

É..se nós fazemos esforço para sermos simpáticos mesmo estando menos bem, porque não aqueles que estão a trabalhar para o público? ( e aí não existem desculpas, porque deveria existir educação e brio como dizes).
Se todos pensassemos mais nos outros, dando de nós um pouco, e eles tb fazendo o mesmo, este mundo estaria mto melhor e sorriamos todos mto mais, com ou sem vontade, mas mas sorriamos..
Caso contrário teremos que levar em conta a sugestão da Mellissinha, que me não parece ma de todo lol, pagar-nos terapeutas a todos seria uma excelente ideia sim ;-)

Ana C. disse...

Ana, o problema é que eles descarregam nos clientes simpáticos e acobardam-se com os antipáticos. Isso é que me tira do sério mesmo a sério.

Ana C. disse...

Eumesma, a ideia da Melissa encantou-me. Acho cada vez mais que as pessoas andam por aí a descarregar as suas próprias frustrações em quem quer que apanhem pela frente.

KILGORE disse...

Onde é que eu já vivi isto:)???

Ana C. disse...

Kilgore, talvez num estabelecimento comercial perto de ti :)