terça-feira, 10 de março de 2009

Conversa de Bosta

E porque aquilo que se aproxima mais do pecado para a Alice é falar de cócó, dizer que sabe a cócó, que cheira a cócó e que se chama cócó quando uma visita de cerimónia lhe pergunta o nome. Também em homenagem ao Gabriel da Melissa que só faz cócó em fraldas limpas (és cá dos meus). Impunha-se um post sobre este assunto mítico, ou sobre a mítica cagada.
Quanto a isso e, ao contrário de muita gente (inclusivamente da blogosfera) que faz onde quer que a vontade aperte, eu não consigo fazer em praticamente lado nenhum, tirando o meu próprio poleiro caseiro, limpo, brilhante, maravilhoso, cheiroso, o meu intestino simplesmente bloqueia perante a visão de uma sanita menos limpa, pingada, mijada, cagada.
O mesmo acontece quando ando a viajar, o meu organismo percebe que estou noutro país e dá ordens expressas ao intestino que bloqueie quaisquer transmissões para o exterior. Só após 3 dias de adaptação ao país é que ele decide começar a dar sinais de vida.
Também acho de mau tom chegar a casa de alguém e largar o que de mais íntimo tenho na canalização alheia. Não sou capaz, acho indecente.
Quando a Alice nasceu tivémos a visita de um amigo em nossa casa, que pediu licença para ir à casa de banho e ficou horas enfiado lá dentro. Nós não queriamos acreditar, mas sim, confirmou-se, ele estava definitivamente a cagar em nossa casa. Com direito a selo postal e tudo. É o chamado cagar sem remorso, sem olhar para trás e tentar ao menos limpar o vestígio da sua passagem por ali.
O meu querido marido nisso é ímpar, quando começámos a viver juntos eu reparava que ele nunca se demorava na casa de banho mais do que o tempo de uma mijinha. Um dia perguntei-lhe: Mas Hugo, tu nunca tens vontade de ficar mais tempo? Resposta dele: A fazer o quê? Ao que respondo: Dahhh, Cocó por exemplo. Hugo no seu melhor: Mas meu amor, por quem me tomas, eu não cago.
Ora querem melhor marido do que este?
Lamento a falta de chá deste post, mas tinha que falar nisto, pelo menos uma vez. Há coisa mais divertida do que falar de cócó? A Alice acha que não...

32 comentários:

Melissinha disse...

ADOREI!
Eu tinha o mesmo problema que tu, mas como disse no meu cantito, curei-me.
Perdia sempre os últimos dias de férias por causa desse bloqueio parvo.
Ah, e até há uns anos, toda a gente tinha de sair de casa para eu poder, digamos, relaxar. Papai dizia: minha filha, todos nós SABEMOS o que vais fazer na casa de banho.

Melissinha disse...

Sobre casamento e evacuação, cá em casa já não há tabus, entramos na casa de banho interrompendo o processo um do outro sem qualquer cerimónia.
Como diz uma prima minha, intimidade é um caminho sem volta...

Ana C. disse...

AH AH AH Melissa, metias todos na rua para poderes relaxar? Como é que deste a volta ao teu intestino?
Eu só quando estou mesmo doente é que o consigo fintar.

Ana C. disse...

Nap Melissa, é claro que hoje em dia o mito caiu e eu descobri que afinal o meu marido era igual aos outros. Mas vermo-nos no acto? NO WAY!!! Há limites que não se ultrapassam sob pena de o romantismo terminar.

Marquês de Sade disse...

Este post está fenomenal!
Não consegui parar de rir :))))))
Aliás, ainda estou a rir... sozinho... e já sem ter o texto à minha frente!

JS disse...

Eu ia de férias 15 dias e era um sofrimento enorme!!! O raio do intestino parecia que sabia se estava em casa ou não. Agora domei-o, vencio-o, sou eu que mando nele...e vivemos muito melhor.

Um abraço*

Miguel C. disse...

Bom, eu sobre esse assunto acho que me assumi num texto sobre um ilustre Sr. Intestino!!!
Já faltava neste blog sempre tão arrumadinho o inevitável post do cocó!! Parabéns!

Kitty disse...

Fui ás lágrimas a ler este post! Obrigada por este momento Ana C.
Brilhante! ahahahahahahahahaha

Tasha disse...

Fantástico Ana C. Agoraja nao me sinto anormal.... Que bela conversa de cáca.
AH! E eu também tenho que por toda a gente na rua para "estar á vontade". ada de marido e filhos no WC a essa hora!!
Intestino muito exigente!

Joanissima disse...

Pois eu devo dizer que já tive tambem um intestino snob... ahahahahah
Mas deixei-me de merdas que isto o que tem que ser tem muita força... (e, para ser sincera, já são poucas as vezes que o moço decide colaborar comigo que, quando ele quer, eu tenho que colaborar com ele nem que seja no quinta do coiso)

: ))

(a minha tambem é fã da palavra. Cócó, xixi e chulé são os palavrões maximos... : )))))

Ana. disse...

A Alice tem toda a razão!!

Este post foi o fim perfeito para um dia que podia ter sido um bocadinho melhor (mas que também podia ter sido infinitamente pior!).

Amei a resposta do teu marido!!Que família maluca!

E já que estamos a trocar inconfidências fecais (outra palavra que adoro!), eu quando era miúda achava que as pessoas muito importantes não faziam cócó como nós, os pobrezinhos! Não conseguia por exemplo imaginar a Rainha de Inglaterra ou a Princesa Diana (expoente máximo da importância, na altura!) sentadas na caganeira a castigar a porcelana, como faz o comum dos mortais!!

Vou deitar-me com um sorriso parvo espalhado pelo rosto e a culpa é tua!!
Beijo!
;)

Joanissima disse...

Tinha que vir aqui só para comentar a ana ponto..

ahahahahaahha castigar a porcelana???? ahahahahahaahahahhaha

MUITO BOM ahahahahaahahah

Eumesma disse...

Uma conversa de bosta com mto humor á mistura, a tua criança para além de inteligente tb tem mto bom humor...;-)
Pois eu tb não tenho um intestino snob, uma vez até deixei a minha marca algures ali para os lados de Madrid á beira da estrada lol
E na ultima viagem (andei de avião, comboio e camioneta) foi o desvario porque em todos tive que estrear o cagatório (neste caso não era de porcelana não, ehehe)
E como sou mto pouco disciplinada em relação a tudo na vida isso tb não é excepção, no estrangeiro é onde calha mesmo (excepto atras da moita que ai ainda ia presa eheh)

E posto isto e porque me d«fizeste rir á seria num dia que até estava a precisar vou dormir e espero não sonhar com esta conversinha em forma de comentario de merdinha que acabei de ter aqui!! ;-)

Ah, e o maridão tb deve ser um mocinho mto inteligente lol e espirituoso tb..;-)

Bjs

Ana C. disse...

Marquês republicano, eu não disse que não há coisa mais divertida do que falar de cócó? Aí tens a prova.

Ana C. disse...

JS, eu ainda não consegui domar o meu, aguardo essa pequena grande vitória :)

Ana C. disse...

Miguel, por isso é que escrevi "ao contrário de algumas pessoas, inclusivamente da blogosfera", a quem é que achas que me referia? Eu ainda não esqueci os campos de milho da Bósnia. O meu blog é arrumadinho? Hmmmm, estou-me a sentir desafiada para o desarrumar de vez em quando.

Ana C. disse...

Kitty, se consegui fazer rir a azarada das entrevistas de emprego, já ganhei o dia :)

Ana C. disse...

Tasha, acho que se pode dizer que tens um intestino britânico :) Conversa de cáca é comigo.

Ana C. disse...

Joaníssima, na Quinta do Coiso?!! AH AH AH. Eu quando estou em casa é limpo e sagrado sempre ao bater do relógio. Na Quinta do coiso, nem coisada seria capaz.
A Alice também adora brincar com a palavra chulé. Mas cocó é mesmo a palavra profana para ela. E ainda não anda na escola, imagino quando andar...

Ana C. disse...

Ana. Mas eu continuo a achar que a rainha de Inglaterra não faz cócó e o principe Carlos nem falar nisso! Já partilhei esse pensamento mais do que uma vez. Mas quem me parte a rir perante a perspectiva de a imaginar no poleiro é a Lili Caneças. Imaginá-la a mandar umas bufazitas de ensaio sentada na sanita, dá cabo de mim.

Ana C. disse...

Eumesma, muito obrigada por nos teres dado a conhecer um bocadinho mais de ti. É assim que queres arranjar homem filha? Uma mulher não caga!!!!!

Melissinha disse...

bem, bateu agora a pressao da casa de banho impecavel. a minha casa esta pouquissimo católica em termos de higiene. E vens cá hoje, meu Deus.
Aliás, confesso que não há fadas do lar nesta casa. É tão melhor ir ao cinema do que limpar, e só temos empregada de 15 em 15 dias.
Não repares, por Jesus Cristo!

Mas a casa de banho vou esfregar, hehe.

Rainha Mãe disse...

Mas se é complicado (e para mim também é) usar wc que não sejam os nossos, então e ter que deixar as nossas meninas usá-los? As suas vontades dão-se nos locais mais impropios (para não dizer sujos) e nas horas mais inconvenientes. E nós, mães desenrascadas, lá temos que improvisar!

P.s: O que eu já me ri com este post:)))

Ana C. disse...

Melissa por favor, eu não quero que entres em stress, eu não sou assim tão higiénica e asséptica, please. A minha casa está virada ao contrário. Deixei de trabalhar e deu-me a preguiça do século. Eu sou uma gaja normal e quanto ao wc, tranquiliza-te porque não vou lá defecar, e xixi faço em qualquer lado...

Ana C. disse...

Rainha Mãe, como ela ainda é pequena eu ando com um bacio na mala do carro. Tem-me valido nas situações mais mirabolantes. Comigo na carteira anda um pacotinho de forras para a sanita. Não digas a ninguém, porque ainda pensam que sou maluca. Mas também já a pus a fazer xixi no lavatório, quando a sanita é mesmo absolutamente nojenta.

Ana Paula disse...

Sofro do mesmo mal. Fora de casa, do meu espaço é-me muito difícil fazer "cócós".
A minha filha de 4 anos é igualzinha a mim. Nem na escola caga. A primeira coisa que faz quando chega a casa é ir para a casa de banho.
E concordo contigo quando dizes que ter gente a ver-nos nesses prantos estraga o romantismo.

Ana C. disse...

Ana Paula, olá, bem vinda!
Morro de medo da minha filha na escola. Ela ainda está em casa, só vai em Setembro, mas tenho a certeza de que se vai espremer, aguentar, contorcer até chegar a casa...

Eumesma disse...

Lololo é um facto que aprendi a ser bronca com o ex anterior , mas se uma pessoa não caga , arrebenta, moça ehehhe
Ok, não cago, defeco prontos, quem caga é a Alice e a filha da Joanita e algumas ninas piquenas por aí lol
(não há nada como uma bela conversa da caca hihihi)

socasmoinhosebicicletas disse...

Maravilhoso! Só esta conversa de merda e a luz diáfana que entretanto regressou para me fazer rir tanto e... sem tosse!

Ana C. disse...

Socas, ora ainda bem que voltou um bocadinho de luz aí ao país dos charrados :) E ainda bem que esta história soou como uma bufa luminosa aos teus ouvidos :)

banita disse...

Pois eu, como Banita que sou... cago em qualquer lado! É verdade! E só quando mudo de ares é que não cago, mas é por causa da prisão de ventre que me assiste quando mudo de poiso...
Mas também não gosto de ser observada, o que acontece com frequência quando vou aos WC's públicos com a Banitita! Ela põe-se atrás de mim a ver-me fazer o que tenho de fazer!! É tão humilhante...
Já com o Banito, se por acaso acontecer ele entrar no acto, não me sinto tão desconfortável, embora não possa dizer o mesmo dele! hi, hi, hi
Bom post de merda! ;)

Ana C. disse...

banita, também gostei de ficar a saber um bocadinho mais sobre ti. Se a minha filha se pusesse atrás de mim para o ver sair, acredita que ele não saía...