domingo, 22 de março de 2009

Filhos e Feitios

A minha filha desenvolveu nos últimos meses uma timidez acima da média. Assim que alguém que ela não conhece lhe dirige a palavra, tapa os olhos com as mãos. Na maior parte dos locais onde vamos dou por mim a torcer para que não se metam com ela e não lhe digam: Olha que linda menina, como é que te chamas? Ó tão envergonhada que ela é!
É verem-me a fazer sorrisos amarelos: Ah desculpe e tal, ela é um bocado antipática, mais vale não fazer conversa com ela.
Mas o incrível é que quase ninguém me dá ouvidos, tirando raras execepções, continuam a tentar a sua sorte: Ah mas ela comigo fala, como é que te chamas minha linda?
E agora é sinceramente a parte que mais me constrange. A Alice desiste da táctica das mãos à frente dos olhos e enfia a cara no meu rabo. Sim, cola-se a mim exactamente naquele sítio e em modo automático lanço mais sorrisos forçados: Isto é uma fase, se a ignorar, daqui a uns minutos já se está a meter consigo.
Ninguém ouve a mãe desesperada e ainda dizem: Ai a minha é tão desinibida, não tem nada a ver.
Porque é que as pessoas não respeitam os ritmos das crianças? Os diferentes feitios? Pensarão elas que os putos vêm de uma fábrica onde são feitos em série e têm os mesmos gostos, feitios, personalidades? Não entendem que cada criança, apesar de ser criança, é diferente? Não basta dizer-lhe meia dúzia de lugares comuns com vozes execessivamente idiotas e esperar que ela reaja de forma eufórica.
Ontem ao jantar era vê-la na galhofa para quem não lhe ligava peva e absolutamente bicho do mato para quem lhe dizia: Vem-me dar um abraço, ó minha linda tão envergonhada que ela é. Ó mãe, porque é que ela é assim?
Pois a culpa deve ser minha de certeza. Eu também não vos digo que os vossos são mal educados para c..., que gritam, pulam destroem como se não ouvesse amanhã. Também não ando atrás dos vossos com voz distorcida até ao nível do ridículo a perguntar indirectamente o que é que a mãezinha dele fez para que ele ficasse tão selvagem.
Por favor, menos ditadura mamãs e se querem simpatia da minha filha venham visitá-la mais vezes.

22 comentários:

Hermes disse...

Concordo em absoluto contigo. A minha filha teve uma fase em fez precisamente o mesmo. Agora já lhe passou. Não ligues, as pessoas são parvas e julgam-se sempre melhores mães e melhores pais que os demais. O pediatra da minha disse uma vez, relativamente ao facto dela não beber água, não se preocupe, ela quando tiver sede, bebe! É assim com isso e assim com tudo, cada criança tem o seu ritmo.
E é mesmo assim. E está grande, saudável e linda linda linda :)

Beijo

Miguel C. disse...

Gostei especialmente da parte "Eu também não vos digo que os vossos são mal educados"!!! É bem verdade e a maioria dos putos são assim, completamente fora de controlo enquanto os pais acham que dão uma educação liberal!!!!

Melissinha disse...

Ora, falou e disse, dona Ana! Deixai-os ser como são, sem insistências. Eles não têm de fazer fretes, é das maiores vantagens da infância.
E por Cristo, parem todos de fazer comparações, olha a chatice que era sermos todos farinha do mesmo saco.

Kitty disse...

Eu até entendo as crianças. Eu também detesto adultos anormais e parvos.
Quando era criança detestava aquelas pessoas que me vinham dar daqueles beijos tipo esfregona, que é o beijo que te lava a cara.
Ou então ouvia aquelas piadas de que falas Ana C. "ai que ela é tão envergonhada" quando na verdade se me escondia atrás da minha mãe não era por ser envergonhada para simplesmente para não ter de aturar "aqueles" adultos. Sim! Pq nós quando somos pequenos não temos de fazer conversa de ocasião, portanto há que fazer valer os nossos direitos de criança.

A melhor técnica para conseguir a atenção de uma criança, é simplesmente não lhe ligar e esperar que seja ela a pedir atenção, é assim que costumo fazer e funciona sempre.

Kitty disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rosemary disse...

Não podia concordar mais! Há pessoas que passam a vida a julgar os outros, e pior ainda, a julgar os filhos dos outros pelo seu feitio e acções. Por amor de Deus, sâo crianças!!! Cada uma é especial, cada qual é como é!!!

Bjs*

Ana C. disse...

Hermes, olha que boa visita e que bom comentário. Eu geralmente não ligo, mas ontem tive um jantar especialmente duro...

Ana C. disse...

Miguel pelo menos a minha pode não dar muita confiança, mas sabe bem os seus limites na nossa casa e acima de tudo na casa dos outros...

Ana C. disse...

Ai Melissa, estou pelos cabelos. Prepara-te, porque a quantidade de sugestões em forma de indirecta que irás ouvir ao longo da vida só agora começou. Também estou quase a dar tiros para o ar.

Ana C. disse...

Kitty, eu também desconfio que metade disto não é vergonha, mas falta de pachorra para aqueles adultos que se impõem, sabes quais são, não sabes? Enfim, é respirar fundo e andar.

Ana C. disse...

Rosemary, antes de mais bem vinda aqui ao estaminé.
Obrigada pelo teu comentário, a sério que depois de vos ouvir a todos fiquei mais animada. Às vezes não é fácil estar rodeada de chatos :)

Precis Almana disse...

Utiliza uma táctica: diz que a médica que disse que quanto maior a timidez, maior a inteligência. Vais ver que se calam logo.
Mais a sério, eu acho que os miúdos demonstram essa timidez como forma de transmitirem o afecto que têm por nós, os mais chegados. E quanto melhor se sentem connosco, mais estranhos lhes parecerão os outros; ou seja, quanto mais dados, é como se menos importância nos atribuíssem. E isto tem que ver com fases e idades e depois tenderá a transformar-se.
O que te digo faz-me sentido, não sei se a ti sim...
Obrigada por teres sentido a minha falta :-)
Ah, e sabes uma coisa estranha? Li 1 livro do Gabriel Garcia Marquez em muito adolescente ; não me lembro de qual é [inserir um sorriso envergonhado]. O do filme soou-me todo a novo, por isso acho que foi o "Cem anos de solidão".

socasmoinhosebicicletas disse...

Há pessoas que, não obstante o facto de serem realmente inconvenientes, ainda se acham o supra-sumo da educação infanto-juvenil e, claro, os seus rebentos são SEMPRE um modelo a seguir... é mandá-las pastar, Ana!
(eu já mandei algumas sob a forma de desprezo total) ;-)

Ana C. disse...

Precis nunca tinha pensado sob essa perspectiva, mas agora que me falas nisso podes estar muito perto da verdade...

Ana C. disse...

Socas e quando os rebentinhos dessas pessoas são a coisa mais insuportavel do planeta? A minha pode não primar pela simpatia, mas pelo menos não destroi casas alheias :)

Tasha disse...

As criancas teem uma sensibilidade fora do comum, e conseguem perceber coisas que a nós (adultos) nem nos passam pela cabeca... Pessoínhas, entao... Se ela é envergonhada com algumas pessoas é porque nao simpatiza com elas por alguma razao. Nós adultos fazemos os fretes e aturamos, os miúdos, felizmente nao o sabem fazer e por isso escondem-se em "porto eeguro" e ragem de forma antipática para poderem rapidamente afastar quem nao gostam. Eu sei bem o que é isso... Tenho um aqui em casa igualzinho... E eu própria era assim em pequena. Hoje falo pelos cotovelos e dou-me com toda a gente (mesmo os insuportaveis, aguento os fretes sempre com um sorriso politicamente correcto. Mas os miúdos sao genuínos.
Se ela é assim, melhor! Tem tempo para crescer e ter mesmo que aguentar as pessoas de que nao gosta...
Como dizes e muito bem, ao menos nao destroi a casa dos outros (e nao é mal educada!!).

Brisa disse...

Há gente muito burra a achar que uma criança é um boneco animado! Esquecem-se que se trata de um ser humano, ainda que pequenino, e, por isso, merece o seu espaço e requer o seu tempo para se envolver com estranhos. Experimentem fazer o mesmo com um cão ou com um gato - há logo dentada! Se calhar era o que os miúdos deviam fazer!

Ana C. disse...

Tasha o que me dói mais é o facto de este tipo de atitudes virem de pessoas bem próximas dela em termos familiares. Pessoas que não se dão ao trabalho de a conhecerem um bocadinho melhor e só se limitam a exigir dela, quando mal a conhecem...
É sempre bom ouvir-te como mãe e ouvir as histórias desse lado, para me sentir menos só :)

Ana C. disse...

Brisa muito obrigada. Adorei ler as tuas palavras :)
Há pessoas que se julgam maravilhosas com crianças só porque dizem meia dúzia de banalidades com vozes de debéis mentais. E depois estranham muito que a criança não sinta a menor empatia...

Joanissima disse...

sempre odiei que me "obrigassem" a dar beijinho a tudo o que era gente que os meus pais encontravam só porque era de mau tom não o fazer.
Com a minha eu digo "diz olá ás pessoas". O beijinho ela é que decide.
E já rosnei a muito boa gente que cutucou a miuda e a maçou, de alguma maneira. Eu sou mãe DELA e é a ELA que protejo desses abelhudos de merda... quero mais é quer os outros de fecundem!!

(muito radical, eu, hã? mas sou mesmo no q lhe diz respeito)

Ana C. disse...

Joaníssima tu fazes uma pedra sem sentido de humor sorrir. A mim que tenho algum sentido de humor fazes sempre com que me mije a rir. Quero é que os outros se fecundem? Ah Ah
Quanto ao resto, sabe sempre bem ouvir que há outras mães como eu :)

banita disse...

Antes tímida do que mal educada!